Bichado põe dedo na ferida da Guerra do Golfo

Num motel de beira de estrada: Adriana Alencar e Einat Falbel atuam em Bichado, a nova peça no Teatro do Núcleo Experimental, na Barra Funda; às sextas é grátis - Foto: Ronaldo Gutierrez/Divulgação

O teatro paulistano é, por excelência, a porta de entrada no Brasil de textos teatrais contemporâneos estrangeiros. O espetáculo Bichado é mais um desta safra que apresenta novos autores ao público brasileiro.

A montagem tem texto de 1996 escrito pelo norte-americano Tracy Letts. O moço é premiado e reconhecido em sua terra e já ganhou os cobiçados prêmios Tony e Pulitzer. A tradução para o português ficou a cargo de Thiago Ledier.

Com uso do chamado “humor negro”, a dramaturgia põe dedo em uma ferida recente na história dos Estados Unidos, a Guerra do Golfo, em um enredo que traz um soldado desertor que entra em paranoia sobre experimentos secretos realizados pelo governo.

A montagem é a nova produção do Teatro do Núcleo Experimental, sob direção de Zé Henrique de Paula, que defende a chegada de um texto de Letts ao Brasil, a quem define como um “autor com mão incrível para escrever diálogos afiados e cortantes”.

Para Paula, o norte-americano consegue “fazer uma radiografia” do comportamento da classe média, tocando em pontos nevrálgicos da atual sociedade urbana.

Bichado tem ambientação em um daqueles motéis de beira de estrada típicos dos filmes de Hollywood. É neste tipo de lugar que, cansada de apanhar do ex-marido presidiário, se esconde a garçonete quarentona Agnes (Einat Falbel).

Por meio de uma amiga, ela vai conhecer um ex-combatente da Guerra do Golfo, Peter (Paulo Cruz), um garoto de 27 anos, por quem se apaixona e embarca em uma paranoia sobre experimentos secretos do governo dos EUA na batalha no Iraque.

Com a Guerra do Golfo como pano de fundo, Bichado, que tem direção musical de Fernanda Maia, integra o que o grupo chama de Trilogia da Guerra, que ainda inclui as peças Casa Cabul, sobre a Guerra do Afeganistão, e As Troianas, sobre a Segunda Guerra Mundial.

O elenco do espetáculo foi escolhido em um processo seletivo para o qual se inscreveram mais de cem atores, dos quais 20 participaram de uma oficina com o diretor e a preparadora de elenco, Inês Aranha, que já integrou o CPT (Centro de Pesquisa Teatral) de Antunes Filho e o Grupo Tapa. Além de Einat e Cruz, também estão em cena Alexandre Freitas, Adriana Alencar e Rodrigo Caetano.

Bichado
Quando: sexta, sábado e segunda, às 21h; domingo, às 19h. Até 21/5/2012
Onde: Teatro do Núcleo Experimental (r. Barra Funda, 637, São Paulo, tel. 0/xx/11 3259-0898)
Quanto: R$ 30 (às sextas-feiras a peça é grátis, com ingressos distribuídos uma hora antes da peça)
Classificação: 16 anos

Leia outras reportagens de teatro!

Leia outros blogs do Portal R7

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *