Peça obriga público a andar no trem da CPTM

Público de O Farol será convidado a ir de hotel até o trem paulistano - Foto: Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

O grupo teatral Opovoempé estreia neste sábado (23) um espetáculo inusitado.

O Farol – Uma Contemplação da Velocidade, apresentado gratuitamente sempre para 20 pessoas, que formam dez duplas, começa em frente ao Sheraton São Paulo WTC Hotel e termina dentro do trem da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O trabalho é a primeira parte do projeto Máquina do Tempo (Ou Longo Agora), concebido pela dramaturga e diretora Cristiane Zuan Esteves, que explica o porquê da pesquisa.

— Atualmente, nos sentimos na crista de grandes mudanças, em um mundo no qual o impulso geral parece ser o de uma aceleração vertiginosa. Das inquietações diante dessas mudanças, nasceu o desejo de questionar o tempo e nossa relação com ele.

Na peça, os espectadores recebem um aparelho MP3 e são conduzidos por uma atriz do alto do prédio a um vagão em movimento. Durante a encenação, as pessoas são levadas a repensar a relação que têm com a metrópole e seu tempo veloz.

Segundo a companhia, o projeto “tem objetivo de criar experiências temporais” e dá ao público o papel de “co-criador da obra”.

Além de O Farol, haverá os espetáculos O Espelho, que será apresentado de 30 de junho a 9 de julho no parque Água Branca, em São Paulo, e A Festa, entre 14 de julho e 5 de agosto, às sextas e sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h, no Espaço b_arco (r. Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426, Pinheiros). Todos gratuitos.

O projeto foi viabilizado pelo Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo.

O Farol – Uma Contemplação da Velocidade
Quando: 23 e 25/6 e 5, 6, 17, 18, 19, 20, 21, 23, 24 e 25/7/2012. Sempre às 11h.
Onde: Hall do Sheraton SP WTC Hotel (av. das Nações Unidas, 12.559, Brooklin Novo, SP)
Quanto: grátis (é obrigatório fazer reserva antes pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone 0/xx/11 8389-8231)
Classificação: livre

Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Magiluth em SP: seis homens moram juntos no Minhocão para viver de teatro

O Retrato do Bob: Zé Celso, o mito de batom

Guatemaltecos mostram profecia maia em BH

Ponto de Encontro do FIT-BH reúne artistas e público

Bando de Teatro Olodum revela cultura negra no alto do morro, no FIT-BH

No FIT-BH, ator argentino mete a ripa no panelaço

Primeiro dia do Fito tem muito batuque em BH

Por trás do pano – Rapidinhas Teatrais

Veja a programação completa do FIT-BH!

O Retrato do Bob: a doce brutalidade de Otto Jr.

Descubra agora o segredo de cada miss

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Malena Oliveira disse:

    Olá querido!
    Boa iniciativa, mas preste atenção ao título.
    Andar no trem da marginal não é tortura!

    • Miguel Arcanjo Prado disse:

      Madalena, tudo bem? Obrigado por comentar. Ninguém falou a palavra “tortura”. É você quem está dizendo… Não enxergo assim. Abraços e muito obrigado pela leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *