Sérgio Ricardo assina musical do Nós do Morro

Bandeira de Retalhos, de Sérgio Ricardo, narra resistência popular no Vidigal – Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

Sabe o Sérgio Ricardo, o que quebrou o violão diante das vaias no Festival da Record de 1967 e compôs o clássico samba Esse Mundo É Meu, cantado por Nara e Elis? Pois é, tal qual Chico Buarque, o cantor e compositor também escreveu um musical à esquerda, no fim dos anos 1970: Bandeira de Retalhos.

O texto e as canções ficaram anos na gaveta e agora ganham montagem com os meninos do Nós do Morro, o grupo de teatro carioca do Vidigal. Sérgio também é responsável pela direção musical da obra.

Com amor, corrupção e bandidagem como pano de fundo, a encenação conta a história de resistência dos moradores da comunidade carioca contra a retirada de seus barracos do local.

A luta aconteceu realmente e foi vencida pelos moradores em 1979. História esta que ganha vida no palco com 21 atores, muitos descendentes diretos dos lutadores daqueles tempos.

Guti Fraga e Fátima Guedes assinam a direção do musical, que tem 13 canções assinadas por Sérgio Ricardo.

Guti guarda lembranças antigas do bairro, já que se mudou para o local no começo dos anos 1970, época em que Sérgio Ricardo também resolveu viver no morro, até então fora do domínio do tráfico e apenas um lugar de gente humilde.

Eles não foram os únicos artistas a se embrenhar na ladeira do Tambá, naquela época de contracultura. Gal Costa, Lima Duarte e Cazuza também passaram temporadas no local.

Diante da proximidade, os artistas se envolveram com a luta e a história daquele povo. O de Guti foi tão forte que ela nunca arredou pé de lá e fundou, em 1986, o Nós do Morro, com o qual conta agora no palco aqueles tempos de brava resistência.

Bandeira de Retalhos
Quando: Sexta e sábado, às 21h; domingo, às 20h. Até 5/8/2012
Onde: Teatro Municipal Maria Clara Machado – Planetário da Gávea (av. Padre Leonel Franca, 240, Gávea, Rio, tel. 0/xx/21 2274-7722)
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Classificação: 18 anos

O Canto de Gregório coloca o homem em xeque

Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Malu Mader aplaude amiga Maria Luisa Mendonça

Nando Viana mostra stand-up gaúcho em São Paulo

Saiba quem já concorre ao Prêmio Shell no Rio e SP

Em mês olímpico, atores correm 42 km no palco

Surdos ganham linguagem de sinais nos teatros

Véspera tem filosofia de botequim em meio ao caos

Descubra agora o segredo de cada miss

Viva Zélia Gattai!

O Retrato do Bob: o charme de Giordano Castro

Conheça a musa e o muso do teatro de junho

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *