Galpão faz apresentação grátis de Romeu e Julieta

Por Miguel Arcanjo Prado

Após passar por Londres em uma temporada pré-olímpica que reuniu grupos de todo o mundo representando obras de William Shakespeare no Globe Theatre em maio deste ano, o Grupo Galpão, de Belo Horizonte, faz duas apresentações grátis em São Paulo de Romeu e Julieta.

As sessões serão neste sábado (4) e domingo (5), às 18h, no Sesc Belenzinho (r. Padre Adelino, 1.000, Metrô Belém), e os ingressos serão distribuídos uma hora antes de cada sessão.

O grupo também apresentou a obra com sucesso no último FIT-BH (Festival Internacional de Teatro, Palco & Rua de Belo Horizonte), quando levou 16 mil pessoas à praça do Papa em um único fim de semana.

Gabriel Villela é o diretor responsável pela remontagem do espetáculo, apresentado pela primeira vez há exatos 20 anos. Ele, que agora mora em São Paulo, esteve em Belo Horizonte entre 27 de fevereiro e 6 de março deste ano, quando se reuniu com o elenco original da peça para a remontagem.

Grupo Galpão apresenta Romeu e Julieta para 16 mil em praça de BH - Foto: Guto Muniz

O blog conversou com a turma do Galpão sobre este momento. Arildo de Barros, que faz assistência de direção de Villela, contou que o objetivo sempre foi fazer a obra tal qual foi feita em 1992.

— É exatamente o mesmo espetáculo. As marcações e as intenções são as mesmas.

Inês Peixoto, que entrou no Galpão justamente para fazer a Senhora Capuleto, mãe de Julieta, afirmou ao Atores e Bastidores que refazer algo pensado 20 anos atrás foi um verdadeiro desafio. Ela se uniu aos colegas para “abrir os velhos baús”, onde encontraram até “flores e cruzinhas usadas em 1992”.

— Abrir os baús foi bonito, mexeu com a gente.

A atriz Teuda Bara, a ama de Julieta, também “tinha um medo danado deste reencontro”. Mas, no encontro com Villela e os colegas do elenco, reencontrou “a alegria e o frescor” deste espetáculo, como contou ao R7.

— É uma peça que a gente não para um minuto. Uma hora você está cantando, na outra está dançando.

Inês conta que o diretor quis “reavivar as relações entre os personagens, buscar o impulso da precipitação, tão presente na trágica história de amor.

 Ele montou uma trave de madeira a um metro e meio do chão e fez com que andássemos sobre ela, igual fizemos em 1992. Esse perigo da queda iminente nos exercícios trouxe ao texto uma qualidade diferente.

Para a atriz, o reencontro com Villela é algo que também mexe com todos, pois “ele foi um diretor muito marcante na história do Galpão”.

— Romeu e Julieta foi um grande divisor de águas na trajetória do grupo. Visitamos 17 países com esta obra.

Tanta lembrança trouxe à tona uma ausência sentida nesta remontagem, a de Wanda Fernandes, que fez Julieta na primeira versão ao lado do Romeu Eduardo Moreira. Ela morreu dois anos depois da estreia. Desde 1996, Fernanda Vianna faz a personagem.

A volta de Gabriel Villela à trupe não foi por acaso. Ele já vinha sendo sondado pelos conterrâneos para dirigir a próxima montagem do Galpão, Os Gigantes da Montanha, texto do italiano Luigi Pirandello. Tudo “coisa do destino”, como acredita Inês.

Romeu e Julieta vai aquecer de novo nossa relação com Gabriel, que está em uma fase esplendorosa da carreira.

Romeu e Julieta
Quando: Sábado (4) e domingo (5), às 18h
Onde: Sesc Belenzinho (r. Padre Adelino, 1.000, Metrô Belém, São Paulo, tel. 0/xx/11 2076-9700)
Quanto: Grátis (ingresso distribuído uma hora antes da sessão)
Classificação: Livre

O Retrato do Bob: Einat Falbel, toda a força de uma atriz pós-desilusão

Coluna do Miguel Arcanjo n° 183: Adeus, Playcenter

Mito morto há 60 anos, Evita foi atriz consagrada

Musical sobre Milton Nascimento custou R$ 1 milhão

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *