Destaque infantil do Mirada, O Fio Mágico comove crianças e adultos com uma história bem contada

Pernambucanos da peça O Fio Mágico conquistaram o público do Mirada - Foto: Carla Denise

Por Miguel Arcanjo Prado
Enviado especial do R7 a Santos*

Por mais que o mundo esteja imerso nas revoluções tecnológicas e as novas relações por elas impostas, o ser humano ainda é capaz de se surpreender e se deixar cativar por uma boa história bem contada.

É o acontece com o espectador do espetáculo infantil O Fio Mágico, da Companhia Mão Molenga Teatro de Bonecos, de Recife, Pernambuco.

Após fazer elogiada participação no Festival Palco Giratório, o grupo foi convidado a integrar a programação do Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, o Mirada, evento do Sesc São Paulo que chega ao fim neste sábado (15), após 11 dias de muito teatro na cidade portuária.

Os três atores do elenco, Fabio Caio, Fátima Caio e Marcondes Lima, que também dirige a montagem, surgem ainda despidos do figurino no começo da peça.

Ao colocarem as roupas que os transformam em velhas, com ajuda de máscaras, eles estabelecem um pacto de fantasia com o público. Com seus bonecos e inventivo e simples cenário (uma mesa que serve de palco aos bonecos e uma cortina atrás), eles contam a história de Gerard, um menino do interior da França que deseja ver o tempo passar depressa para resolver os problemas que surgem em sua vida.

Aliás, inteligente, o texto de Carla Denise é um verdadeiro achado. Simples e instigante. Cheia de reviravoltas, que são valorizadas pela direção, a dramaturgia cativa do menor ao mais velho na plateia congregando todos os elementos que uma boa história deve ter. Há amor, dor, vida, morte, sonhos e decepções.

No palco, o trio de atores respira sintonia e unidade pouco vistas. Todos estão juntos na função de contar a história da melhor forma possível. O público sente. E é por isso que conquistam vigoroso aplauso quando o conto termina, com crianças e adultos com olhos brilhantes e uma grande lição aprendida.

A vida urbana e frenética coloca as pessoas muitas vezes com o olhar voltado ao futuro. Assim, deixam o presente de lado, mergulhadas na insatisfação. O que O Fio Mágico transmite é algo muito simples, mas muitas vezes esquecido: a vida passa rápido e, por isso, deve ser aproveitada a cada minuto do presente. Porque a felicidade só é possível a partir da simplicidade.

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Sesc São Paulo.

Leia a coluna:

 

 

 

Leia também:


Leia mais:

Mexicanos incendeiam o Mirada

Adolf Shapiro fala ao R7 com exclusividade

Professorinha abusada vira tema de peça


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *