Estudantes de teatro experimentam nas Satyrianas

Luisa Juppe, aprendiz de direção da SP Escola de Teatro, estreia nas Satyrianas - Foto: Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

As Satyrianas, maratona de 78 horas culturais que ocorre a partir das 18h desta quinta (1º) na praça Roosevelt, em São Paulo, é alvo do interesse de estudantes de teatro. Gente que quer não apenas assistir, mas para experimentar encenar um espetáculo de uma forma profissional pela primeira vez.

Luisa Juppe (foto acima) faz parte deste time. Ela, que veio de Florianópolis para estudar direção na SP Escola de Teatro, se forma no fim do ano e vê no festival a oportunidade do encontro com o público fora do ambiente escolar.

A jovem dirige O Que Era para Ser Amor, peça que será apresentada às 17h30 desta sexta (2) no Espaço dos Satyros 1. Em conversa com o Atores & Bastidores do R7 ela demonstrou estar empolgada.

— Estou participando pela primeira vez. É a minha estreia como diretora. Vai ser bem importante para mim, porque vou ver como estou me saindo. A Satyrianas é um espaço democrático para toda a classe artística. Resolvi botar na prática mesmo para ver o que resulta dessa pesquisa que estou fazendo em cima de um teatro performático.

Leia a entrevista com o coordenador das Satyrianas, Gustavo Ferreira

Descubra as histórias mais engraçadas do evento teatral

Veja, abaixo, alguns trabalhos de aprendizes da SP Escola de Teatro que serão apresentados nas Satyrianas. Em todos o público paga quanto quiser:

Espetáculos:

Realismo – O Reality Show 
Baseada na experiência da guerra e sua reverberação que modifica o indivíduo, a peça revela a vida do soldado Luther através da figura do Exercito travestido em mulher-apresentadora de um programa de televisão. Luther um homem cuja experiência é transformada pela invasão de um programa sensacionalista, revela um showbusiness de horror, violência e humor negro que absorve a vida e atransforma em mercadoria. Texto: Criação Coletiva – Direção: Emerson Anunciação – Elenco: Aline Negra Silva e Denis Buenos – Quando: Quinta 1 de novembro, 20h – Onde: Satyros II. 

O Louco, a Caixa e o Homem
“Com licença, saberia me informar para onde estou indo?” – Um encontro entre um homem e um estranho portando uma caixa. A adaptação da história em quadrinhos homônima de Daniel Esteves se utiliza do encontro de duas linguagens artísticas, o teatro e os quadrinhos, para tratar do encontro com o outro. Texto: Daniel Esteves – Direção: Natasha Karasek – Elenco: André Haidamus e Willy Balieiro – Quando: Sexta 2 de Novembro 16h30 – Onde: Espaço dos Satyros I.

O que Era pra Ser Amor
O amor que cega, deixa o coração doendo, o estômago embrulhando, na opinião do poeta que insiste vivê-lo plenamente, da paixão à queda. Ou, pelo menos, o que era pra ser. Mas apenas senti-lo pode ser bem mais doloroso que vivê-lo, não fosse tão performático. Texto: Leandro Doregon – Direção: Luisa Juppe – Elenco: Ana Carolina Marinho e Marina Moreno – Sonoplastia: Carolina Guimaris e Luana Hansen – Iluminação: Leo Moreira Sá – Cenografia: Bruno Alves Manso – Quando: Sexta 2 de Novembro 17h30 – Onde: Espaço dos Satyros I. 

A.B.ismo
A história de um homem que procura um lugar para morar no Centro da cidade e o encontro dele com o proprietário de um apartamento. As cenas  foram escritas em partes, em decorrência da própria criação dos atores em contato com fragmentos do texto criado pelo autor, que modificava as cenas para criar um mosaico de relações: Quem é “A” e “B” um para o outro? São amigos? Irmãos? Parentes? Amantes? Texto: Lucas Arantes – Direção e Elenco: André Mendes e Giba Freitas – Quando: Sábado 3 de Novembro 17h30 – Onde: Espaço dos Satyros I. 

Placebo
O que escolher quando é necessário optar entre um realidade enlouquecedora e uma ilusão cómoda? Dois personagens em ruínas representam uma sátira da inercia humana. Texto e Direção: Bruno Carboni – Elenco: Juliana Spadot e Gutho Vieira dos Santos – Quando: Sexta 2 de Novembro 14h30 – Onde: Espaço dos Satyros I.

Alice 1.0
Três personagens, contadores de histórias, que se encontrarão a serviço da Srta. Alice. Com o auxílio de objetos do cotidiano destas três personagens, elas criarão e darão vida, através da técnica de animação de objetos, à personagem central Alice, que inicia a históriaconfessando ao público um segredo sobre si revelado ao se olhar no espelho. O que Alice viu? O que a deixou se sentindo tão culpada a ponto de querer se confessar a público? Texto: Criação Coletiva – Direção: Talita Rosa Elenco: Érica Caprotti, Ana Antunes e Negra Silva – Quando: Sexta 2 de Novembro 15h30 – Onde: Espaço dos Satyros I. 

Cabarezim do Humor
O espetáculo é formado por cenas de diferentes estilos a linguagem do humor, como mímica, clown, paródia, stand up e esquetes, e sempre conta com um Mestre de Cerimônia e seus assistentes de palco para apresentar e conduzir o magnífico espetáculo. Texto, Elenco e Direção: Aprendizes do Curso de Humor da SP Escola de Teatro. Quando: Quinta 1º . Horário: meia-noite. Sexta (2), 21h. Onde: Tenda Residência, praça Roosevelt.

Projeto Ouvi Contar 
(leituras dramáticas feitas em residências na região da praça Roosevelt)

118 Esquinas, de Débora Brenga
Um ciclista é atropelado por um carro em uma avenida movimentada da metrópole resultando em um congestionamento que alcança 118 esquinas. O caos é instaurado.  Texto e Direção: Débora Brenga – Elenco: Bruna Potenza, Fernando Alves, Priscilla Amaral, Véver Bertucci. Espectadores: 15. Data: Sexta-feira, 02 de novembro, 17h.

60 segundos, de Mariana de Menezes
Em polissituações de tantos espaços em poucos segundos, a cidade acontece e desacontece enquanto o meio dia é tocado pelo sino. As vozes e descrições são estilhaçadas, inaugurando imagens fragmentárias diluídas pela efemeridade dos acasos. 60 segundos condensados por um liquidificador do espaço social e subjetivo. Autora: Mariana de Menezes – Direção: Mariana de Menezes – Elenco: Adir Fonseca Jr., Beatriz Lopes, Tamiris Maróstica e Vanessa Ferreira Sousa – Sonoplastia: Carlos Ronchi – Espectadores: 15 pessoas – Data: Sábado, 03 de novembro, 20h e 21h.

Exercício para a Escrita do Nada – nº1, de Marcio Tito Pellegrini
Dois personagens percebem que são inventados enquanto falam e empreendem uma tentativa de fuga do rumo dramático –  Direção: Felipe Uchôa – Elenco: Heloísa Cardoso, Katia Calsavara – Espectadores: 10 – Data: Sábado, 03 de novembro, 16h e 18h.

Fragmentos de Um Dia Comum, de Victor Hugo Valois
Numa metrópole, pacientes sofrem com o descaso médico. Direção: Victor Ribeiro – Sonoplastia: Pammela Gentil – Elenco: Débora Ramos Ribeiro, Yuri Fernandes Lima e Victor Monteiro – Espectadores: 05 – Data: Sábado, 03 de novembro, 16h.

MANUAL doispontos Insaciável Barra Mórbida, de Heloísa Cardoso 
Uma mulher à beira da morte – Direção: Paulo Gircys – Elenco: Camilla Martinez, Carolina Decris, Clarissa Franchi, Heloísa Cardoso, Raquel Medici – Espectadores: 10 – Data: Sexta-feira, 02 de novembro, 18h.

O Mosquito, de Lucas Venturin
Um mosquito percorre a casa de várias personagens e revela os anseios existenciais de pessoas em conflito com a própria condição humana –  Direção: Jonas Mendes – Elenco: Rodrigo Mazzoni – Sonoplastia:Vitor Monaco – Espectadores: 5 – Data: Sábado, 03 de novembro, 19h.

Ronin, de Lucas Iglessias
A peça busca desvendar o suicídio de Yukio Mashima – Direção: Lucas Iglessias – Elenco: Cristiano Alfer, Lucas Iglessias, Melina Barbosa, Stella Menz, Thadeo Ibarra – Espectadores: 10 – Data: Sábado, 03 de novembro, 16h. (10 pessoas) e Domingo, 04 de novembro, 15h.

Vende-se, Marco Keppler
Desfazer-se de um bem é desfazer-se de memórias? – Direção: Aline Negra Silva. Elenco: Celso Amâncio, Viviane Corbani, Jackie Dolstoy – Espectadores: 05 – Data: Sexta-feira, 02 de novembro, 21h e Sábado, 03 de novembro, 21h.

Confira a programação completa das Satyrianas

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *