Irmã ordinária tenta roubar o marido da outra em A Serpente, de Nelson Rodrigues, com o Grupo Gattu

Marido vira objeto de disputa entre duas irmãs em A Serpente - Foto: Lenise Pinheiro/Divulgação

Por Miguel Arcanjo Prado

A ficção adora irmãs rivais. E Nelson Rodrigues, é claro, não poderia deixar tal tema de lado. Logo ele, que amava os conflitos familiares.

O dramaturgo centenário mergulhou fundo no embate fraternal em seu último espetáculo A Serpente, escrito em 1978 e que ganha boa montagem com o Grupo Gattu, em São Paulo. É uma boa pedida para quem ainda não prestigiou algum texto do mestre pernambucano dos dramas cariocas neste ano.

Eloisa Vitz e Daniela Rocha Rosa protagonizam o espetáculo, como as duas irmãs que vão morar juntas em um apartamento, com seus respectivos maridos, vividos por Daniel Gonzales e Elam Lima. Com competência, as duas conseguem transitar pelo clima de carinho que, com o desenrolar da história, se transforma em ódio mortal.

É claro que a coisa não poderia acabar bem, com dois casais debaixo do mesmo teto. E dá-lhe boa dramaturgia rodrigueana.

Eloisa, que também dirige a montagem, apresenta um elenco afinado no palco e uma encenação respeitosa com Nelson Rodrigues, com aquele clima histérico que só ele soube criar.

Dessa forma, o público se envolve com a história das duas irmãs neste texto de tirar o fôlego e com final surpreendente trágico.

A Serpente
Avaliação: Muito Bom
Quando: Sábado a segunda, 21h; domingo, 20h. 70 min. Até 26/11/2012
Onde: Casa e Teatro Grupo Gattu (rua Dos Ingleses, 182, Bela Vista, São Paulo, tel. 0/xx/11 3791 2023)
Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)
Classificação: 16 anos

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *