Vertigem dá vida aos fantasmas do Bom Retiro

Bom Retiro - 958 Metros tem olhar poético para o bairro paulistano - Fotos: Flavio Morbach Portella

Por Miguel Arcanjo Prado

A relação com a cidade é primordial para trabalho desenvolvido pelo Teatro da Vertigem, grupo com 20 anos de atuação em São Paulo. Ela mais uma vez ganha vida em Bom Retiro – 958 Metros, com direção de Antônio Araújo.

Depois de usar um hospital como cenário e até mesmo uma embarcação sobre o fétido rio Tietê, a trupe dessa vez mergulha fundo nas ruas e histórias do bairro do Bom Retiro, tradicional reduto de tecelagem repleto de imigrantes no centro paulistano.

A dramaturgia de Joca Reiners Terron tenta apresentar personagens e fantasmas que habitam o bairro, com seus dramas que vão da loucura frenética das sacoleiras em busca de roupa barata às atuais costureiras bolivianas escravizadas.

Como o nome do espetáculo diz, a plateia é convidada a percorrer 958 metros bairro adentro, partindo da sede da Oficina Cultural Oswald de Andrade. O porém é que a andança é feita à noite, quando o lugar, essencialmente comercial, se torna praticamente deserto.

Enquanto caminha, o público vai sendo surpreendido por imagens poéticas, como atores transformados em velhos manequins, e até agressivas, como o grupo de viciados em crack que rondam os transeuntes.

O espectador que procura uma linearidade na dramaturgia acaba frustrado, pois ela não existe de forma clara. A opção artística foi pelo recorte e não pelo todo.

Um dos momentos de maior excitação é quando o público é levado a um teatro caindo aos pedaços. Contudo, quando o Vertigem tinha tudo nas mãos para fazer deste “o” momento do espetáculo, prefere apresentar o elenco executando uma pobre coreografia de street dance no palco decadente.

Apesar dos pesares, enquanto o Bom Retiro pede passagem nesta obra, o Vertigem consegue dar seu recado politizado, com seus atores atléticos e aguerridos, exibindo as mazelas enterradas de um lugar dicotômico que, ao mesmo tempo, produz tanto dinheiro e tanta miséria, ou seja, uma metáfora da própria cidade.

Bom Retiro 958 Metros
Avaliação: Bom
Quando: Quinta a sábado, 21h. Domingo, 19h. Até 16/12/2012
Onde: Oficina Cultural Oswald de Andrade (r. Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo, tel. 0/xx/11 3222-2662)
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Classificação: 16 anos

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. outubro 30, 2013

    […] Tais sentimentos ou sensações de nossos dias estão por trás do primeiro espetáculo do Teatro do Abandono, Entre Ruínas Quase Nada, apresentado na carcomida Casa do Povo, no Bom Retiro, que aos poucos vai sendo ressurreta pelo esforço de artistas da metrópole como eles e o Teatro da Vertigem, que lá apresentou parte de seu Bom Retiro 958 Metros. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *