Cildo Meireles vira “fonte” para celebrar 20 anos da companhia Staccato, de Paulo Caldas

Bailarinos dançam com a obra de Cildo Meireles. Foto: João Julio Mello

Por Nina Ramos, do R7, no Rio

O coreógrafo e bailarino Paulo Caldas resolveu misturar seus passos ritmicamente calculados com a poesia da obra de Cildo Meirelles.

Fontes (1992), trabalho do artista plástico, foi o ponto de partida para o espetáculo Fonte, a nova montagem da companhia Staccato | Paulo Caldas, que celebra 20 anos de existência.

A estreia será no dia 15 de fevereiro, no Mezanino do Espaço SESC, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Para quem não conhece a obra do carioca Cildo, Fontes exibe milhares de réguas penduradas no teto, diversos relógios em exibição nas paredes e incontáveis números feitos de plásticos jogados no chão.

Todos os elementos de medição brincam com a ideia de tempo e espaço ao mesmo tempo em que sabotam sua funcionalidade alterando a ordem numeral da métrica perfeita.

Quando a dança entra na história, os bailarinos Carolina Wiehoff, Maira Aiex, Natasha Mesquita e Toni Rodrigues dividem a cena apresentada com recursos cenográficos e videográficos.

Cildo serve de inspiração, de base, de fonte, e de sua obra os artistas usufruem, ainda, das cores branca e preta para montar o espetáculo.

Fonte
Onde: Espaço Sesc – Mezanino (Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana
Quanto: R$ 20
Horário: quinta a sábado, às 21h, e domingo, às 19h30
Classificação: livre
Temporada: 15 de fevereiro a 10 de março

Leia também:

Fique por dentro do que os atores fazem nos bastidores

Descubra agora tudo o que as belas misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *