Crítica: Renata Sorrah salva Esta Criança no Festival de Curitiba com intepretação acima dos colegas

Renata Sorrah é o grande destaque do espetáculo Esta Criança – Foto: Annelize Tozetto

Por Miguel Arcanjo Prado*
Enviado especial do R7 a Curitiba

Geralmente atores da TV correm para o teatro em busca de algum estofo intelectual. E muitas vezes rostos conhecidos da telinha costumam ser um desastre quando sobem ao palco. Mas este não é o caso de Renata Sorrah no espetáculo Esta Criança, que ela faz ao lado da curitibana Companhia Brasileira de Teatro.

Muito pelo contrário, com qualidade de interpretação superior a de seus pares, Renata é a grande estrela da montagem. Não à toa ganhou o Prêmio Shell Carioca de melhor atriz no mês passado. A obra estreou neste domingo (31) no Festival de Curitiba e faz sua última apresentação nesta segunda (1º), no Teatro Guairinha.

Com direção de Marcio Abreu, o texto do francês Joël Pommerat é óbvio e repetitivo ao tratar de relações entre pais e filhos em dez cenas desconexas. Na cena mais forte, quando duas mães precisam ir ao Instituto Médico Legal reconhecer um corpo que pode ser filho de uma delas, a direção perde o tempo do suspense e menospreza a inteligência da plateia.

Quando a “surpresa” é revelada, boa parte dos espectadores já havia cochichado para o colega ao lado o “inventivo” desfecho. A direção ainda pecou ao insistir em colocar após esta cena forte, uma modorrenta cena didática para encerrar a montagem. O público ficou tão abismado que só aplaudiu quando os atores voltaram para o agradecimento. A decisão é a mesma que tocar valsa vienense em uma festa após todos terem sidos sacolejados por um funk carioca.

Apesar de não ser inovador, o cenário minimalista de Fernando Marés se destaca, bem como a iluminação de Nadja Naira, apesar do momento em que abre uma espécie de luz de serviço na cara do público. Soam forçados os números em que os atores Edson Rocha e Ranieri Gonzalez cantam sofrivelmente em inglês – este último interpreta a batida Ben, de Michael Jackson nos tempos de Jackson Five.

No geral, Esta Criança é uma montagem que promete bem mais do que realmente apresenta. Vai no lugar-comum das relações entre pais e filhos sem inovar na forma ou na qualidade das interpretações, salvo Renata Sorrah, de brilho inevitável. Como já do feitio da atriz, seja no palco ou na TV.

Leia a entrevista com Renata Sorrah.

Esta Criança
Avaliação: Regular

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Festival de Curitiba.

Veja a cobertura completa do R7 do Festival de Curitiba

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Abril 19, 2013

    […] a qual estreia nesta sexta (19), em São Paulo, no Sesc Belenzinho, o espetáculo Esta Criança (leia a crítica). Apesar do esforço da atriz em dividir a bola, é ela quem, indiscutivelmente, brilha em cena. E […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *