Falha técnica atrapalha parceria Brasil-Argentina no Festival de Curitiba; ingresso será devolvido

O argentino Pichón Baldinu (à esq.) e o brasileiro Leandro Knopfholz (à dir.) – Foto: Ernesto Vasconcelos/Clix

Por Miguel Arcanjo Prado*
Enviado especial do R7 ao Festival de Curitiba

A grande aposta do Festival de Curitiba, o espetáculo Homem Vertente, parceria do Brasil com a Argentina, não deu muito certo.

A superprodução multimídia teve duas apresentações canceladas por conta de falhas técnicas que não garantiriam a segurança dos artistas. Com fartos números aéreos, a montagem mistura dança, projeções, acrobacia, circo e números com água.

Em decisão conjunta, o diretor do Festival de Curitiba, Leandro Knopfholz, e o diretor argentino Pichón Baldini, da Cia. Ojalá, decidiram manter as apresentações de 5 a 7 de abril, mas o espetáculo mostrado não será completo. A maioria dos números aéreos foi retirada.

A produção, que teria 50 minutos de duração originalmente, agora ficou só com cerca de 20 minutos de show, segundo contou o próprio diretor ao R7 nesta quinta-feira (4).

Por sua vez, Knopfholz afirmou à reportagem que o espectador que não quiser ver esta versão menor terá seu ingresso devolvido nas bilheterias do festival.

– Vamos devolver o valor do ingresso para quem não quiser mais ver. Decidimos cancelar, pois o material disponível não garantia a segurança dos atores. Por isso, achamos melhor tomar esta decisão.

O argentino Baldini concordou, e explicou que a obra “tem muitos componentes cênicos de precisão técnica, sobretudo nos números aéreos”.

– Tudo isso requer uma estrutura técnica em funcionamento perfeito, o que não houve. Mas como houve muito trabalho da equipe desde novembro, quando começou a pré-produção, resolvemos apresentar pelo menos algo. Mas é bom que fique claro, sobretudo para a imprensa, que não estamos apresentando nosso espetáculo em sua totalidade.

O R7 questionou por que não foi trazido o aparato técnico que já existe em Buenos Aires. O portenho disse que o objetivo era construir outra estrutura no Brasil, mas o curto prazo tornou isso impossível. O objetivo é que a obra, com a estrutura nacional, circule pelo País.

Homem Vertente tem uma equipe de 62 pessoas, dos quais 50 são brasileiros e 12, argentinos. Sócio do projeto, Leandro Knopfholz afirmou que pretende continuar a produção da obra e estreá-la o mais breve possível.

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Festival de Curitiba.

Veja a cobertura completa do R7 do Festival de Curitiba

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Felipe disse:

    Lamentável. Mas, por outro lado, jamais se poderia pôr em risco a integridade física dos atores. Neste aspecto, a decisão foi acertada. Entretanto, a pergunta que não quer calar: como é que isso não foi visto se o projeto começou desde novembro passado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *