O Retrato do Bob: André Latorre, o artista que acreditou no teatro universitário e viu o sucesso

Foto de Bob Sousa
Por Miguel Arcanjo Prado

O ator e diretor André Latorre não esquecerá o mês de julho de 2013. Foi quando dirigiu o musical universitário Cabaret, com alunos da Faculdade Paulista de Artes, no Teatro Ruth Escobar, onde posou para o nosso Bob Sousa. A produção, feita na raça com apenas R$ 3.000, conquistou público de deixar qualquer teatro profissional de queixo caído. Filas intermináveis se formaram, com espectadores disputando cada um dos 60 lugares disponíveis em cada sessão. Êxito fruto da obstinação dele e do elenco de 21 jovens atores, que formam a Cia. Instável de Teatro. São 12 anos de estrada e 29 espetáculos montados, dos quais 12 são musicais. André se viu surpreso e realizado. A vida artística começou em 1992, quando, garoto, integrou o elenco da peça Saló Salomé, do então incipiente grupo Os Satyros, em uma louca viagem à Europa. Ficou por lá um tempo, estudou no Centro Andaluz de Teatro, voltou ao Brasil, trabalhou com gente importante, como o saudoso Zé Renato, criador do Teatro de Arena. Viveu de tudo. E sabe que sucesso não acontece todo dia. Não há fórmula mágica. Ao fim da temporada de glória de Cabaret, lembrou, no palco, emocionado, que grandes companhias da história do teatro brasileiro nasceram do teatro universitário. Coisa que leva a sério e à qual dedica sua vida. Foi aplaudido de pé.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Felipe disse:

    Boa foto! “Cabaret” é a peça que revelou o talento de Rita Gutt?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *