Crítica: Divertida, peça Os 39 Degraus envolve a plateia no faz-de-conta teatral

 

Danton Mello e Rosane Mulholland: dupla afinada em comédia europeia – Foto: Erik Almeida/Divulgação

Por Gabriela Quintela
Especial para o Atores & Bastidores*

O que são os 39 degraus? Como chegar a Alt-na-Shellach, e que mistérios o lugar esconde? São perguntas que surgem quando um homem comum conhece uma espiã bonitona… e acaba envolvido numa intriga internacional. Eis o ponto de partida do espetáculo Os 39 Degraus, em cartaz em São Paulo, no Teatro Sérgio Cardoso.

De autoria do inglês Patrick Barlow, a peça é baseada no filme homônimo de 1935 de Alfred Hitchcock, ainda na fase londrina do cineasta, antes de ele ir para Hollywood. A tradução e adaptação são de Clara Carvalho e Alexandre Reinecke.

A história se passa no agitado período que antecede a Segunda Guerra Mundial. Tudo começa em Londres: Richard Hannay (Danton Mello) leva para casa uma estrangeira (Rosanne Mulholland), na verdade uma agente secreta, mas ela é misteriosamente assassinada naquela noite.

Sendo o único suspeito, ele foge para provar sua inocência, viajando até a Escócia e se vê em uma trama que envolve segredos de Estado.

Completam o ótimo elenco Henrique Stroeter e Paulo Goulart Filho, cada um interpretando dezenas de personagens e fazendo essa tarefa complicada parecer simples. Rosanne também precisa se multiplicar e vive outras duas mulheres além da espiã.

Os 39 Degraus cumpre temporada até 25 de agosto no Teatro Sérgio Cardoso, em SP – Foto: Erik Almeida

O texto faz referências a vários filmes de Hitchcock. E apesar de a peça ser gringa, há piadas adaptadas para o Brasil, citando o ex-presidente Lula (já que, coincidentemente, no filme havia um personagem sem o dedo mindinho) e até a carreira dos atores em cena, como Danton Mello, cujo passado na primeira temporada de Malhação volta à tona num momento engraçado.

A trama envolve fuga de trem, queda de uma ponte de 300 m de altura, perseguição com helicóptero… E tudo isso só é possível graças à criatividade no emprego das possibilidades do teatro. O espectador é levado a reviver um pouco a infância, quando o faz-de-conta era a regra das brincadeiras.

O resultado é um espetáculo muito bem produzido e divertido, ainda que em alguns momentos o humor pudesse ser um pouco mais sutil. A peça explora o humor ingênuo e não tem vergonha disso, o que reforça o apelo retrô da montagem. Só que às vezes acaba forçando a barra. Felizmente, o exagero não chega a comprometer a diversão.

Na Broadway, o espetáculo venceu dois prêmios Tony, e em West End, arrebatou o prêmio Lawrence Olivier de melhor comédia de 2007.

Se você ficou curioso para saber o que são os tais 39 degraus, anota aí: a atual temporada vai somente até o próximo dia 25.

*Gabriela Quintela é jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia, editora de homepage e colunista do R7.

Os 39 Degraus
Avaliação: Bom
Quando: Sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 20h. 100 min. Até 25/8/2013
Onde: Teatro Sergio Cardoso (r. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, São Paulo, tel. 0/xx/11 3288-0136)
Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)
Classificação etária: 12 anos

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Felipe disse:

    Gosto muito dos filmes de Hitchcock. Poderiam fazer uma peça com UM CORPO QUE CAI, que tem enredo para uma peça espetacular. A atriz escolhida para o papel que foi de Kim Novak, se bem escolhida, mereceria até ganhar um prêmio de Melhor Atriz, pois é um papel duplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *