Crítica: Com drama apoiado na melancolia, Ester Laccava extrai bons frutos de A Árvore Seca

Talentosa, Ester Laccava compartilha vida com o público no espetáculo A Árvore Seca – Foto: Divulgação

Por Michel Ferrabbiamo, em Ipatinga (MG)
Especial para o Atores & Bastidores*

Com o pé na literatura de cordel, o espetáculo A Árvore Seca conta a história de uma sertaneja do Nordeste que passou uma vida permeada por desgraças. A montagem foi apresentada no teatro do Centro Cultural em Ipatinga (MG), no último sábado (10).

No monólogo de Ester Laccava, escrito por Alexandre Sansão, esta velha tenta incansavelmente extrair otimismo de sua sofrida rotina de luta para driblar o fato de não poder gerar filhos, a deficiência mental do filho adotivo e as mágoas do marido por quem é abandonada.

Juntamo-nos à Ester na medida em que ela, silenciosa, adentra a cena.

Compartilhamos com ela de sua vida no embaraço dos seus cabelos. Somos condescendentes num cenário que é como o título: seco.

Ela divide com a ficção relatos biográficos como a doença da avó, a morte da mãe seguida pela nascimento da filha em poucas horas, de forma simplória e rica ao mesmo tempo.

A dramaturgia deste espetáculo está nas entrelinhas do cordel, no terreno seco que habitou o autor, no vídeo sem pretensões que preenche a cena, numa atriz que faz tutto pela peça, extraindo felicidade nos pequenos momentos de uma vida amarga.

Tutto é uma palavra que ela repete, referindo-se a avó italiana que, após um derrame, responde a qualquer situação com somente esta palavra. “No fim de sua vida só lhe restou uma palavra: tutto”.

Ester atravessa o palco por dezenas de vezes repetindo a palavra e apontando para o céu.

Os versos “cordelistas” são pronunciados pela atriz como numa procissão: sereno, devagar, oral… é assim que esfregam em nossos rostos como os ensinamentos são repassados dos mais velhos aos menores no Recôncavo Baiano. É o drama apoiado na melancolia.

Do nascimento à velhice, acompanhamos uma história norteada pela celebração da morte e pelo culto à vida. Vimos uma árvore seca dando bons frutos às vésperas do Dia dos Pais. É tutto.

A Árvore Seca
Avaliação: Ótimo

*Michel Ferrabbiamo é produtor cultural de Ipatinga (MG) e escreveu esta crítica a convite do blog.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!


Você pode gostar...

2 Resultados

  1. hadassa disse:

    Ualll me arrepiei toda agora Miguel pode crê se quiser ontem tava pensando nesse nome Ester laccava, essa atriz admirada no meio teatral, nome raro e único que tem no cenário artístico no brasil a maioria que tem esse nome não fazem feio são talentosas!!!!!

  2. Felipe disse:

    Essa foto está belíssima. Creio que usou o recurso da luz ambarada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *