Domingou – Fogo no Memorial é golpe em todos nós

Auditório Simon Bolívar do Memorial da América Latina pega fogo nesta sexta (29) – Foto: Record News

Por Miguel Arcanjo Prado

Sou literalmente vizinho do Memorial da América Latina. Moro pertinho dele. Gosto tanto do lugar, que fiz questão de posar lá para o retrato que Bob Sousa teimou em fazer deste vosso escriba para seu livro, Retratos do Teatro, lançado com toda pompa na última quarta (27) no Sesc Consolação, em São Paulo.

O Memorial diz muito do que sou, do que penso, de como enxergo o mundo. E é por ter essa relação tão carinhosa, praticamente familiar com ele, que foi com um aperto no peito que vi o auditório Simón Bolívar ser consumido por chamas nesta sexta (29). E vi literalmente, porque justamente voltava para a casa, passando em frente a ele, quando o fogo começou e teimou em não parar enquanto quis.

Vi bombeiros em atos heroicos para salvar o patrimônio, alguns até exagerados, já que punham suas vidas em risco, como se empinar em guindastes, adentrando a cortina de fumaça, deixando a todos na rua apreensivos.

Saguão do prédio que pegou fogo durante a festa de abertura do Festival de Cinema Latino-Americano de SP

Lembro-me que sempre que estava no Simón Bolívar, ficava impressionado com seu conforto, seja das cadeiras revestidas de tecido preto, ao assoalho acarpetado e nas paredes cobertas com o belíssimo painel de nossa centenária Tomie Ohtake, também destruído pelas labaredas. É absurdo que o local com tanta coisa propensa à combustão não tivesse um eficiente sistema de combate a incêndio.

Sou frequentador assíduo de tudo o que acontece no auditório. Primeiro porque quase toda a programação é gratuita e de qualidade indiscutível. Segundo, porque, como já contei, é do lado de casa.

Lembro-me de ter ido a eventos importantíssimos, como a um show de Flávio Venturini que me emocionou com a música de minha terra, Belo Horizonte.

Também não costumo perder os ótimos filmes de nossos vizinhos exibidos no espaço, no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, cuja imperdível festa de encerramento já é evento obrigatório em agenda anual familiar.

Jovens bolivianas posam em frente à estátua Simón Bolívar, na entrada do auditório homônimo que pegou fogo no Memorial – Foto: Miguel Arcanjo Prado

Isso sem falar nas festas pátrias dos países latinos, como as comemorações da Independência da Argentina ou da Bolívia, que sempre animam o local e tornam o castelhano seu idioma principal – a festa boliviana é a mais linda de todas.

E ainda tem o Festibero, o Festival Ibero-Americano de Teatro de São Paulo, desde 2008 sediado no Simón Bolívar, que tem a estátua do libertador andino diante de sua entrada – esta se salvou das chamas, felizmente.

Por isso, ter de ver o fogo e descrever o incêndio ao vivo para a Record News por telefone nesta sexta (29), foi doloroso. Porque o Memorial da América Latina é como se fosse o quintal de minha casa.

É um lugar lindo, projetado por Oscar Niemeyer e idealizado pelo grande Darcy Ribeiro, como projeto primordial para a integração cultural latino-americana, infelizmente, ainda hoje, 24 anos após sua inauguração, ainda projeto a ser cumprido.

É por ter tamanha importância, não só para gente como eu, mas para o mundo inteiro, que o Auditório Simón Bolívar merece ser reerguido o quanto antes. O governador disse que havia seguro e que a reconstrução será feita. Esperemos de olho, porque o Teatro Cultura Artística da rua Nestor Pestana, no centro paulistano, consumido pelo fogo em 2008, até hoje não foi reaberto.

E que, na reforma, sejam tomadas todas as precauções para que o auditório do Memorial – e qualquer outro monumento cultural – não seja novamente transformado em cinzas de uma hora para a outra, deixando a todos nós com um nó na garganta, vítimas de um golpe cruel.

Imagem interna do Auditório Simón Bolívar do Memorial, com o painel em tapeçaria da artista plástica Tomie Ohtake ao fundo: labaredas consumiram tudo em poucas horas; veja a galeria – Foto: Divulgação

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Marta disse:

    Olá Miguel.
    Belo texto vc disse tudo, realmente foi muito triste ver pela televisão essas imagens, estive uma vez nesse auditório quando uma cantora do meu pais Bolivia esteve presente, realmente o auditório era bonito e gratuito. Me perguntava o que esta acontecendo? ñ bastase o que aconteceu com o estádio do corinthians (sou torcedora do corinthians)foram notícias muito tristes. Falando sobre vc te admiro muito, acompanho sempre no R7, nos programas da Record; Digo admiro pq são poucas as pessoas que se importam com o seu próximo, o apreciam com respeito, mesmo que seja simples, por favor nao mude sua essência nunca, seja sempre original e ñ seja como tantos q só criticam,menosprezam, etc. por isso vc é especial, ñ é igual a tantos escondidos que só querem o mal, (vc sabe do que estou falando.Desejo pra ti muito SUCESSO, bom curso de especializaçao na Usp. repito sucesso, sucesso, sempre. Que Deus sempre te proteja e ilumine teus caminhos.

    • Miguel Arcanjo Prado disse:

      Marta, muito obrigado pelo carinho. Tudo de bom para você também e volte sempre por aqui! É muito bem-vinda! 😉

  2. Felipe disse:

    Lastimável o incêndio no Memorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *