Entrevista de Quinta – Documentário mostra vigor do teatro musical e coloca preconceito em xeque

Mayara Calixto e Pollyanna Leite nos bastidores dos musicais: amor pelo gênero virou documentário primordial para a história do teatro musical feito no Brasil no início do século 21 – Foto: Arquivo pessoal

Por Miguel Arcanjo Prado

O boom de musicais que o Brasil vive neste início de século 21 acaba de ganhar um registro à altura do fenômeno que faz de nosso País o terceiro maior produtor mundial de espetáculos do gênero. Trata-se do documentário Da Broadway aos Palcos do Brasil, que já está disponível integralmente na internet.

Enquanto muitos por aí torcem o nariz para o estilo teatral que lota salas e dá emprego digno a milhares de artistas, uma turma sacudida resolveu fazer algo mais importante: ir atrás de quem faz o espetáculo acontecer e mostrar por que os musicais viraram sucesso.

Estrelas e especialistas na área de espetáculos surgem no filme, fazendo um panorama inédito e primordial para se entender o fenômeno cultural.

O documentário foi idealizado e produzido como trabalho de conclusão de curso dos alunos de Rádio e Televisão do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP), na cidade de Salto, no interior de São Paulo. Além de Pollyanna Leite e Mayara Calixto, idealizadoras do filme, também integram o projeto Felipe Noris, Simone Costa e Leticia Meneses.

O longa foi considerado pelo Intercom um dos cinco melhores documentários produzidos por estudantes de comunicação social na região Sudeste do Brasil em 2013.

O Atores & Bastidores do R7 conversou nesta Entrevista de Quinta com Mayara Calixto e Pollyanna Leite, diretoras do documentário e criadoras do site Backstage Musical, que cobre os espetáculos do gênero.  Elas contaram como transformaram o amor pelo gênero em uma pesquisa primordial para o entendimento futuro do que viveu o gênero musical nestes últimos anos.

Leia com toda a calma do mundo:

Miguel Arcanjo Prado – Qual a importância que vocês veem na realizacao de um documentário como o de vocês?
Mayara Calixto – Para nós, a maior importância desse trabalho é quebrar o preconceito com o gênero e mostrar a importância, dificuldade e beleza dos musicais no Brasil. Além do crescimento dele no País.
Pollyanna Leite – Primeiro, queríamos mostrar o que é esta arte do teatro musical, que não é só um bando de gente “cantando e dançando do nada” e, sim, um trabalho árduo que envolve muita gente que estuda muito e tem muita força de vontade pra fazer com que tudo saia perfeito.

Pollyanna Leite (à esq.) e Mayara Calixto posam com o ator Luciano Andrey, protagonista do musical Priscilla, Rainha do Deserto – Foto: Arquivo pessoal

Qual foi a maior dificuldade que vocês enfrentaram?
Mayara – A nossa maior dificuldade foi nos adaptar a viajar até São Paulo para as entrevistas. Somos do interior e estudávamos e fazíamos estágio na época. Mas fizemos de tudo, pois sabíamos como era difícil também para os nossos entrevistados. Outra dificuldade foi gravar dentro de teatros, a qual era a nossa ideia inicial de cenário. Com a burocracia, resolvemos adaptar as locações, não dando tanta importância a ela e sim ao entrevistado.
Pollyanna – A maior dificuldade foi a falta de recursos… Houve também a dificuldade de que algumas portas fossem abertas para nós. E a falta de material de pesquisa no Brasil sobre o teatro musical é absurda. Falta imagens, dados… Isso foi uma grande dificuldade.

Como vocês foram recebidos pelas estrelas dos musicais no processo das entrevistas?
Mayara – Fomos muito bem recebidos por todos, sempre muito queridos e interessados no trabalho e na divulgação do gênero, na quebra de preconceito e na melhoria dos teatros. Aproveitamos esta entrevista para dizer mais uma vez que agradecemos a todos!
Pollyanna – Todas as pessoas que entrevistamos nos trataram extremamente bem, foram muito atenciosas, pacientes e simpáticas. São pessoas incríveis que dispuseram do seu tempo geralmente tão curto! Para nos ajudar. Mas todos falavam que os musicais precisavam de um trabalho como esse para que o trabalho deles fosse melhor reconhecido por quem não conhece ou não gosta de musicais.

Qual o retorno do público que vocês já tiveram?
Polly – O retorno que tivemos até agora foi muito positivo! Tanto dos atores que participaram do documentário quanto do público. Alguns até já disseram que usarão como material de pesquisa e isso nos deixou muito feliz! E também o documentário ficou entre os cinco melhores feitos por estudantes de comunicação no Sudeste no Intercom 2013.
Mayara – Até agora só recebemos críticas boas, de todos que assistiram e de quem participou. A nossa ideia é que ele continue sendo material de pesquisa e divulgador do gênero. Estamos muito felizes com o filme. E ainda mais agora, que ele pode ser visto por todos na internet.

Veja o documentário Da Broadway aos Palcos do Brasil!

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Felipe disse:

    1. Correção: na palavra “estágio” (que está sem acentuação).
    2. De fato, esse documentário permitirá a quebra de preconceitos com o gênero. A fala de Pollyanna Leite de “que não é só um bando de gente “cantando e dançando do nada”” é muito pertinente, pois mostra que se criou um estereótipo envolvendo o gênero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *