Cia. dos Inquietos e Ed Moraes criam Oliver, espetáculo tecnológico para sacudir o teatro

Cia. dos Inquietos conversa durante o ensaio de Oliver: espetáculo estreia em 2014 – Foto: Eduardo Enomoto

Por Miguel Arcanjo Prado
Fotos de Eduardo Enomoto

“É muito difícil mostrar um projeto que está previsto para estrear daqui a três meses; hoje o que você vai ver é apenas um apontamento”, explica o ator e diretor Ed Moraes, antes de descortinar, com exclusividade para o Atores & Bastidores do R7, o projeto do espetáculo Oliver, da paulistana Cia. dos Inquietos, previsto para chegar aos palcos brasileiros no primeiro semestre de 2014.

Trata-se de uma peça audaciosa, como a reportagem percebeu ao ver um dos ensaios, no galpão do Grupo Parlapatões, no bairro Pompeia, na zona oeste paulistana.

Já havíamos encontrado o grupo ensaiando semanas antes, no Teatro Pequeno Ato, na República, onde também trabalharam no início dos ensaios.

“Estamos contando com muitas parcerias, amigos queridos que nos ajudam”, conta Ed Moraes, pouco antes de iniciar uma passagem geral da montagem que virou uma obsessão em sua vida nos últimos meses. Ele respira Oliver sem parar.

Cartazes instigantes já divulgam Oliver: sentido auditivo terá importância fundamental no espetáculo dirigido por Ed Moraes e escrito por Leandro D’Errico

Apesar do pedido de segredo sobre os meandros da obra – a reportagem vai dar apenas pistas do que o público atestará quando a estreia acontecer –, o que vimos foi um espetáculo que promete inovação tecnológica e uma nova forma de se encarar o teatro, fazendo uma brincadeira com os sentidos de todos os espectadores, e também dos próprios artistas comandados por Moraes.

Rotoscopia e binaural

Nomes de técnicas cinematográficas como rotoscopia fazem parte do cotidiano dos Inquietos, que terão a parte sonora do espetáculo finalizada por Tiago D’Errico em um estúdio de Los Angeles, nos Estados Unidos.

O universo – e a estética – dos quadrinhos domina o espetáculo escrito por Leandro D’Errico. O autor, assim como o diretor, Ed Moraes, também atuam na obra, ao lado de Denise Machado, Felipe Schermann, Giovanni Venturini, João Paulo Bienemann e Tereza Xavier.

Diante de um cenário de ares pós-modernos, a plateia vai ouvir o diálogo do elenco por meio de potentes fones de ouvido, por meio da técnica binaural, que permite com que os espectadores ouçam a história como se estivessem dentro dela.

Uma campanha iniciada pela companhia nas redes sociais já dá indícios à importância auditiva para se compreender a obra.

Otávio Ortega será o diretor musical da obra, que tem também Anne Cerutti nos figurinos.

O enredo gira em torno de um interrogatório. O clima de tensão paira no ar. Elementos de uma narrativa pop estão presentes de forma vigorosa.

O elenco, aguerrido e resistente, vai trabalhar utilizando máscaras que dão estética própria e marcante a Oliver.

Esperemos pois a já aguardada estreia. Porque o que vimos, como afirmou Moraes, é apenas um apontamento do que virá.

Público vai usar fones de ouvido para assistir ao espetáculo Oliver, da Cia. dos Inquietos – Foto: Eduardo Enomoto

 

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

 

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Felipe disse:

    Vamos aguardar para ver!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *