Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Ditadura e artes em pauta: cena do novo espetáculo de Zé Celso – Foto: Jennifer Glass

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Robogolpe
A turma do Teat(r)o Oficina está em polvorosa nesta sexta (25). É que logo mais, às 21h30, eles estreiam sua nova peça: Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe. Tem gente disputando a tapa os ingressos. O texto e a direção é de José Celso Martinez Corrêa, o nosso Zé Celso. Desta vez, uma novidade: a peça dura apenas duas horas ou 120 minutos cravados. Pelo menos é o que eles prometem.

Robogolpe 2
A peça está focada na herança maldita que a ditadura militar, que vigorou no País entre 1964 e 1985, deixou para a classe artística. A direção musical é de Adriano Salhab, Montorfano e Giuliano Ferrari. Como sempre, a trilha sonora é original e executada na hora. Porque quem sabe faz ao vivo, diria o pensador Faustão.

Robogolpe no Oficina: ditadura militar sob o olhar de Zé Celso – Foto: Jennifer Glass

Robogolpe 3
A peça ressuscita nomes importantes de nosso teatro: Walmor Chagas é assumido por Marcelo Drummond; já Cacilda Becker é interpretada por Camila Mota; Letícia Coura vive Cleyde Yáconis; e ainda, Juliane Eltiong é Maria Della Costa. Só a nata.

Robogolpe 4
Zé Celso pede para avisar que ele contou com a colaboração da “conselheira poeta” Catherine Hirsch para fazer a peça. Recado dado.

Robogolpe 5
A temporada da nova peça será aos sábados, às 21h, e domingos, às 19h, até 1º de junho de 2014. O Oficina fica na rua Jaceguai, 520, no Bixiga. O ingresso é R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia. Zé Celso convida todos a irem. Vai, gente.

Erivaldo Oliveira, do Magiluth, em cena de Viúva, porém Honesta em SP – Foto: Bob Sousa

É bom para o moral
Após causar sensação com filas dando volta no quarteirão da avenida Paulista no Itaú Cultural, onde até Rita Cadillac apareceu para ver, os meninos do Grupo Magiluth, de Recife, ocupam até este domingo a Funarte São Paulo com sua vigorosa versão para o espetáculo Viúva, porém Honesta, de Nelson Rodrigues. Sexta e sábado, 20h, domingo, 19h, com entrada gratuita. O endereço é alameda Nothmann, 1058, perto do metrô Santa Cecília. Você tem de se agitar, não se deixe esfriar…

É bom para o moral 2
Os pernambucanos do Magiluth já têm até um grupo de fãs em São Paulo. Tipo groupie. É que agora eles viraram o Pequeno Príncipe de muita gente…

Grupo Magiluth em São Paulo: sessões grátis de Viúva, porém Honesta na Funarte – Foto: Bob Sousa

De volta
Angela Dip reestreia em São Paulo no dia 3 de maio, às 20h, a peça O Barril. Lá no Teatro da Vila do Shopping JK Iguatemi. A obra estreou em 1998 e já percorreu 47 cidades brasileiras. A direção é de Vivien Buckup, filha de Eva Wilma e John Herbert.

Festibero
Vai até domingo (27) no Memorial da América Latina, em São Paulo, o Festibero (Festival Ibero-Americano de Teatro de São Paulo). Tem peça todo dia a partir das 17h com entrada gratuita. Coisa boa.

Fim de festa
Também vai até domingo (27) a temporada de Farnese de Saudade, com Vandré Silveira, na Caixa Cultural de São Paulo, na Sé. A entrada também é gratuita. Todos os dias 19h15.

A jornalista e dramaturga mineira Silvia Gomez: leitura de peças na Casa Livre – Foto: Emidio Luisi

Texto vivo
A Cia. Livre de Cibele Forjaz promove entre 6 e 22 de maio o projeto Dramaturgos Brasileiros Contemporâneos. Sempre às terças e quintas, às 20h, na Casa Livre em São Paulo. Serão lidos textos de gente tarimbada, como Silvia Gomez e Cássio Pires. A entrada é gratuita.

Entre tapas e beijos
Daniel Dantas e Zezé Polessa vivem um casal em pé de guerra na peça Quem Tem Medo de Virginia Woolf. Estreia nesta sexta (25), no Teatro Raul Cortez, em São Paulo, após participar do Festival de Teatro de Curitiba. É bom o público ir com fôlego, porque a obra dura 140 minutos. Mais que o Robogolpe de Zé Celso.

Recordar é viver
Não custa nada lembrar que a obra virou filme obrigatório homônimo com ex-casal Elizabeth Taylor e Richard Burton em 1966. Se não viu, veja.

Polêmica

Uma cena com Nany People está causando burburinho no trailer do filme Hipóteses para o Amor e a Verdade, dos Satyros, que deve estrear em 2015. Leia a Entrevista de Quinta com Nany e veja o trailer.

Croqui do cenário da peça Vidas Privadas, que estreia no dia 10 de maio em SP – Foto: Divulgação

Elegância
O cenógrafo Marco Lima recriou uma sacada de um hotel da Riviera Francesa e também a sala de um apartamento parisiense para ambientar a peça Vidas Privadas, do inglês Noel Coward, com direção de José Possi Neto. Estreia dia 10 de maio, no Teatro Jaraguá, em São Paulo. No elenco, José Roberto Jardim, Lavínia Pannunzio, Daniel Alvim e Maria Helena Chira. Très chic.

De olhos bem abertos
A turma da peça Cuidado Frágil, com Priscila Jácomo, avisa que na sessão deste sábado (26), haverá audiodescrição da obra no Teatro Ágora, em São Paulo. Serão 35 lugares na plateia para deficientes visuais ou pessoas com baixa visão. Interessados em reservar podem escrever para [email protected]. A peça que tem direção de Daniel Viana e Júlia Barnabé integra o projeto Solos Férteis, um Olhar Feminino, só com monólogos de atrizes.

Gente de Teatro
Eliane Verbena é uma das responsáveis pela divulgação do teatro paulistano. Profissional formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora, a mineira radicada em São Paulo comanda a Verbena Comunicação desde 2001.  Sabe tudo de artistas e estreias. Por isso, é gente de teatro.

A assessora teatral Eliane Verbena, da Verbena Comunicação: gente de teatro – Foto: Reprodução

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Fique por dentro do que rola no mundo teatral

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer ler está em um só lugar. Veja só!

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Phillipe disse:

    Por favor, corrija a palavra “recriou” pois está digitado “recricou”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *