Dois ou Um com Acauã Sol

O ator Acauã Sol, que faz o papel de Robogolpe no Teat(r)o Oficina – Foto: Jennifer Glass

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

No Teat(r)o Oficina de José Celso Martinez Corrêa, o golpe militar de 50 anos atrás virou o Robogolpe, em uma analogia antropofágica ao Robocop, herói do cinema norte-americano recentemente ressuscitado pelas mãos do cineasta brasileiro José Padilha. Na peça Walmor y Cacilda 64: Robogolpe, que termina temporada neste fim de semana, em São Paulo, o ator paulistano Acauã Sol é quem dá vida ao famigerado papel. E ainda vive o delegado que interroga Cacilda Becker e Maria Della Costa no tenebroso Dops. Formado em artes cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, onde morou entre 2000 e 2008, também cursou atuação no Teatro-Escola Macunaíma de São Paulo. Com experiência no teatro, na dança, na TV e também no cinema — esteve no elenco do filme Linha de Passe, de Walter Salles —, atua no Oficina desde que voltou para a terra natal, em 2009. O artista aceitou o convite do Atores & Bastidores do R7 para participar da coluna Dois ou Um. Dez perguntas cheias de possibilidades. Ou não.

Robocop ou Robocopa?
Robocop nunca. Robocopa só em Walmor y Cacilda 64.

José Padilha ou José Celso?
José Celso claro, mas gosto bastante de Tropas de Elite, do documentário sobre o ônibus 174, e quero ver ainda Robocop. Teatro e cinema, duas paixões.

Chile ou Brasil?
Quem jogar melhor. E, por favor, quero ver gol!

Rio ou São Paulo?
São Paulo pra ganhar dinheiro, Rio pra gastar (muito, hoje em dia).

Chico ou Caetano?
Caetano.

Elis ou Gal?
Elis sempre.

Cacilda Becker ou Fernanda Montenegro?
Boa atriz de qualquer jeito é bom. Todos os teatros são meu teatro.

Eduardo e Mônica ou Faroeste Caboclo?
Renato Russo.

Praça Roosevelt ou Oscar Freire?
Praça Roosevelt quase nunca. Oscar Freire de jeito nenhum.

Que seja eterno enquanto dure ou Te amo pra sempre te amo demais?
Amor sincero e parceria profunda enquanto feliz.

Leia outras edições da coluna Dois ou Um

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Luan Gomes disse:

    “Amor sincero e parceria profunda enquando dure” Que lindo isso!Adorei a colocação do rapaz.

  2. Phillipe disse:

    Entrevista muito natural, com respostas transparentes. Adoro Gal, mas entendo o ponto de vista dele. Como é bom ler entrevistas de quem não é “poser”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *