Morre crítico teatral Sebastião Milaré em São Paulo

O crítico e teórico Sebastião Milaré (1945-2014) deixa legado ao teatro – Foto: Bob Sousa

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Foto BOB SOUSA

Morreu, na manhã desta quinta (10), em São Paulo, o crítico, teórico e pesquisador teatral Sebastião Milaré.

Ele tinha 69 anos e estava internado no Hospital Cruz Azul, em São Paulo, onde faleceu após uma parada cardiorrespiratória.

O velório começa às 18h desta quinta, no Cemitério Jardim Colina (r. Jardim da Colina, 265), em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, onde o corpo será sepultado às 11h desta sexta (11).

O Atores & Bastidores do R7 falou com a sobrinha do crítico, Luciana Millaré. Ele não tinha filhos.

Emocionada, ela contou que a família está recebendo muitas demonstrações de carinho.

— Ele deixa um legado muito grande para a cultura brasileira. Estou só ouvindo agradecimentos da classe artística. Vai fazer muita falta.

O diretor Antunes Filho ficou muito abalado quando soube da morte do amigo. Em luto fechado, preferiu não falar.

Amigo do teatro

A atriz Amália Pereira, amiga de Milaré havia mais de 20 anos, ficou desolada com a notícia de sua morte.

Ela conta que desde que seu grupo, Teatro Kaus, partiu de São José dos Campos, no interior paulista, para São Paulo, sempre recebeu apoio do crítico. Milaré ainda a ajudou no Projeto Fronteiras, de 2009, que trouxe para o Brasil nomes como o dramaturgo espanhol Fernando Arrabal.

— Além de parceiro, era um grande amigo, que vai fazer muita falta. Foi uma pessoa muito importante para as artes cênicas, com a sua pesquisa, dedicação e amor ao teatro. Vai fazer muita falta para todos nós.

O crítico teatral, jornalista e dramaturgo Dib Carneiro Neto afirmou que a morte de Milaré é algo lamentável.

— Perdemos um crítico sério, estudioso, dedicado, inteligentíssimo, que nos deixou estudos preciosos que certamente serão úteis ainda para muitas gerações de amantes do teatro. Com ele, e graças a ele, aprendemos, por exemplo, a decifrar todos os múltiplos meandros da arte genial de Antunes Filho.

Para o fotógrafo de teatro Bob Sousa, que fez o retrato acima que ilustra essa reportagem, Milaré também “era um amigo”. E revela que o crítico era um ótimo anfitrião.

— Suas festas eram sempre cheias de amigos no teatro. Ele era muito querido da classe artística. Foi um dos primeiros retratos de crítico que eu fiz, porque, para mim, ele sempre foi uma grande referência. Vou guardar com carinho os livros que ele autografou para mim.

O ator Lee Taylor, hoje no NAC (Núcleo de Artes Cênicas), conviveu de perto com Milaré nos nove anos em que atuou no CPT (Centro de Pesquisa Teatral) de Antunes Filho. Ele também lamentou a perda do intelectual.

— Milaré, além de seu papel como crítico e pensador de teatro, desvendou e registrou com rara dedicação, sensibilidade e generosidade a metodologia de Antunes. O livro Hierofania é uma obra singular, fruto de uma pesquisa incansável realizada ao longo de dez anos, uma inestimável contribuição para o teatro brasileiro.

Especialista em Antunes

Sebastião Milaré nasceu em Guapiaçu, no interior paulista, em 1945.

Era considerado o maior especialista na obra do diretor Antunes Filho, sobre quem escreveu livros definitivos.

Destacou-se como crítico teatral no começo da década de 1971. Exerceu a crítica de forma ativa até 1989.

Também foi roteirista de shows e autor de diversos livros, além de correspondente no Brasil para variadas revistas estrangeiras de cultura.

O teatro perde um de seus maiores pensadores.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Phillipe disse:

    Que descanse em paz! Presto minha solidariedade a seus familiares!

  2. maria Cristina disse:

    Grande pesquisador da obra de Antunes Filho. Estivemos juntos na TV Cultura para debatermos o maravilhoso espetáculo teleteatral, Vestido de Noiva, uma obra-prima dirigida por Antunes, para a TV, em 1974. Está nos aquivos da TV Cultura, poderia ser reexibido.

  3. Geovanna Oliveira disse:

    Mais um rico indo embora, deixando o mundo mais pobre…..ainda bem que temos uma linda e maravilhosa herança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *