“Teatro brasileiro é mesquinho, bobo e provinciano”, diz Gerald Thomas

Gerald Thomas resolveu abrir o jogo sobre o que pensa do teatro brasileiro – Foto: Emi Hoschi/Clix

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O diretor Gerald Thomas resolveu vociferar parte do teatro brasileiro nesta quinta (31).

Em seu desabafo, entre outras coisas, Thomas criticou o frenesi atual em torno de Bob Wilson em São Paulo e a reiteração de velhas discussões, em vez de se pensar temas mais atuais.

Justiça seja feita: Thomas estreou neste ano a peça Entredentes em São Paulo, na qual colocou em discussão no palco a situação tensa entre Israel e Palestina, antes de a guerra atual começar, e também entre Rússia e Ucrânia, antes do avião comercial ser abatido.

Leia, abaixo, o que ele disse:

“Sabe o que me deixa realmente PASMO? É que quase NINGUÉM da “comunidade” teatral brasileira queira discutir esses assuntos : Hamas X Israel e vice versa – EBOLA – Ucrânia. Ou seja, coisas do interesse mundial Ao invés disso , discutem (é inacreditável) (AINDA) o teatro de Bob Wilson. Que vergonha!!!! Que gente retardada. Não é a toa que o teatro brasileiro é MESQUINHO, bobo e provinciano. Sempre foi, me dói o fato de insistirem em continuar a …..entenderam, né? QUE VERGONHA ! Eles estão discutindo “Beckett” meu deus do céu! E Bob Wilson – não é à toa que essa província ai não progride! É gente do passado com discussões (inúteis, inverteis ) do passado. Vivam de relíquias e morem numa loja de antiguidades. Abaixo, foto de capa do Estadão: GROW UP you mental retards!

Gerald”

Imagem de 17 anos atrás: Gerald Thomas na capa do Caderno 2, do Estadão, em 1987 – Foto: Reprodução

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Pancho Cappeletti disse:

    Parabéns Gerald! Mais uma vez você está certo. Obrigado

  2. Phillipe disse:

    Eu tenho reservas em relação ao Gerald porque acho que às vezes ele pesa a mão no discurso, chegando a ser um tanto quanto agressivo. Mas esse comentário sobre a questão da Palestina e da Ucrânia é correta e adequada, pois é um tema muito sério e que, pelo visto, só ele abordou. Já quanto a discutir Beckett, discordo. Os grandes autores são eternos e sempre serão discutidos. Já quanto a Bob Wilson, talvez tenha havido um certo deslumbramento mesmo em relação a ele, principalmente porque a peça veio com duas figuras do escalão “Top” de celebridades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *