Centenário de Julio Cortázar é celebrado no ABC

Julio Cortázar nasceu há exatos cem anos: autor de Rayela (Jogo da Amarelinha) é ícone da literatura – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Esta quinta (26) é a data em que Julio Cortázar completaria 100 anos. Sua legião de leitores em todo o mundo celebram o autor. E, no Brasil, não é diferente. Para celebrar o centenário do escritor argentino, o Sesc Santo André, no ABC Paulista, em São Paulo, sedia o projeto Cortázar e os Absurdos do Mundo.

Além de leitura de suas obras, a programação ainda tem dança, música.

Cortázar, que morreu em 1984, é considerado um dos mais importantes autores do século 20 e tornou-se expoente do gênero realismo fantástico. Sua obra influenciou outras artes além da literatura, como o teatro e o cinema.

Astuto observador do cotidiano, ele usava seu texto para expor o absurdo do mundo.

Na programação especial do Sesc Santo André tem oficina criativa, histórias contadas para as crianças e um debate sobre a obra de Cortázar marcado para 16 de setembro, com o filósofo Fabiano Barboza Viana, o jornalista Reynaldo Damazio e o escritor Julián Fuks.

Nesta quinta (28), um show de jazz mistura-se ao texto de Cortázar, já que ele era fã do gênero musical, tanto que o homenageou no livro Rayuela (Jogo da Amarelinha, em português), escrito em 1963 e seu grande best-seller.

Julio Cortázar nasceu na embaixada da Argentina, em Bruxelas, em 26 de agosto de 1914. Aos quatro anos voltou com seus pais para a Argentina, onde morou em Banfield. Em 1935 formou-se professor e deu aulas e começou a trabalhar no mercado editorial. Em 1937, mudou-se para Paris, onde viveu grande parte de sua vida e morreu em 12 de fevereiro de 1984.

Conheça a programação do projeto Cortázar e os Absurdos do Mundo.

Julio Cortázar retratado pelo artista Fernando Santiago: centenário celebrado – Foto: Divulgação

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Phillipe disse:

    É um centenário que merece ser celebrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *