Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Cena da peça Marat/Sade: temporada gratuita no Teatro Anhembi Morumbi – Foto: Osmar Lucas

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

0800
Após ganhar o Feto (Festival Estudantil de Teatro de Belo Horizonte), a peça Marat/Sade faz temporada em São Paulo, no Teatro Anhembi Morumbi (R. Dr. Almeida Lima, 993, metrô Bresser-Mooca). A estreia é nesta sexta (19), com sessões até 18 de outubro. E o melhor: a entrada é gratuita. Toda sexta, 21h, e sábado, 20h.

Vaquinha
Para fazer Marat/Sade a Cia. Chicote de Teatro, com formandos do curso de artes cênicas da Universidade Anhembi Morumbi, levantou grana para a turnê pela rede de financiamento coletivo Catarse.

Enredo
Na obra, o maquiavélico Marquês de Sade está internado no hospício de Charenton, onde encena o assassinato de Jean-Paul Marat, mártir da Revolução Francesa, pelas mãos da girondina Charlote Corday. Não faltam cena de atrocidades. A direção é de Simoni Boer.

Rene Ramos em cena da peça Ulisses e Odisseu, no Top Teatro – Foto: Divulgação

Tchau e até logo
Está chegando ao fim a temporada da peça Ulisses e Odisseu, monólogo de Rene Ramos. Vai só até 29 de setembro, aos sábados, 18h, no Top Teatro (r. Rui Barbosa, 201, Bela Vista, São Paulo), com entrada a R$ 30 a inteira. “Trago o espectador pelas mãos para navegar nesse mito de maneira próxima e fluente”, diz Ramos, que ainda avisa à coluna que já tem em mente uma nova temporada da montagem. O texto faz um paralelo entre a Odisseia e o trânsito caótico da metrópole paulistana. Aguardemos.

Lugar reservado
Já está marcada a temporada paulistana de Tchekhov, espetáculo do curitibano Ave Lola Espaço de Criação. Será no Teatro do Sesc Santana, entre 27 de setembro a 19 de outubro. Sextas e sábados, às 21h e domingos, às 18h. O valor do ingresso vai de R$ 5 a R$ 25. A direção é de Ana Rosa Tezza.

Fôlego
A trama se passa na Rússia do século 19. Ao todo, são  120 minutos de peça, mas há 15 minutos de intervalo entre os dois atos. Para dar aquela respirada, né.

Phedra D. Córdoba: sua volta a Cuba virou um documentário nos cinemas – Foto: Bob Sousa

Cuba Libre
Phedra D. Córdoba não está se cabendo de felicidade. O documentário de Evaldo Mocarzel sobre sua volta a Havana, 50 anos depois que ela saiu da ilha, antes mesmo de Fidel Castro tomar o poder, já está em cartaz nos cinemas. Tem até foto de Phedra espalhada em plataformas do metrô paulistano para divulgar Cuba Libre. É uma diva.

Festinha
O grupo Satyros promoveu duas festinhas para o lançamento de Cuba Libre nesta semana. A primeira foi na sede da trupe, na praça Roosevelt. A segunda, na sala 4 do Espaço Itaú de Cinema, no shopping Frei Caneca, onde o filme é exibido. Phedra foi paparicada até não poder mais. Que bom.

América Vizinha é o novo espetáculo do Núcleo de Pesquisa do Grupo XIX de Teatro – Foto: Divulgação

Soy loco por ti
O Grupo XIX de Teatro está fazendo um mergulho profundo em nossas raízes latino-americanas. Tudo sob o comando da elegante diretora Juliana Sanches. O novo espetáculo já tem até nome: América Vizinha. Ele foi desenvolvido ao longo do ano pelo Núcleo de Pesquisa do XIX. A estreia será no mês de outubro. Vem coisa boa por aí.

Mirada
Só deu o Teat(r)o Oficina no Mirada, o Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos. A turma de Zé Celso era a mais animada do evento. Depois que subiram a serra, tudo ficou bem mais sem graça. Leia a cobertura do R7 do evento!

Chorinho

Vai ter música boa no Memorial da América Latina neste sábado (20). Às 18h, tem o espetáculo do grupo Quartetonia, que homenageia grandes nomes da MPB. É de graça.

Viva a revolução
A peça Rozá, com a história da revolucionária Rosa de Luxemburgo (1871-1919) fará nova temporada em São Paulo. Será na Casa do Povo, no Bom Retiro, entre 2 e 19 de outubro. As sessões vão acontecer de quinta a domingo, sempre às 20h, com entrada a R$ 30. Anotado?

O Retorno
A Cia. do Feijão vai voltar com uma peça que é um verdadeiro clássico de seu repertório aguerrido: Pálido Colosso faz temporada de 27 de setembro a 15 de novembro, sempre sábado, domingo e segunda, 20h. E o melhor: de graça. Mas é bom chegar cedo, porque o espaço do grupo, na rua Dr. Teodoro Baima, 68, na República, só cabem 50 pessoas. Depois, não diga que a coluna não avisou…

Pálido Colosso, da Cia. do Feijão, faz temporada grátis na República, em SP – Foto: José Romero

 

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Phillipe disse:

    1. Profundamente atual e muito bacana a proposta de ULISSES E ODISSEU. Muito bem pensado juntar a trama de Ulisses com o caos do tráfego. Excelente mistura de velho e novo.
    2. Já vi o filme sobre a vida de Rosa Luxemburgo e ela foi uma mulher realmente à frente de seu tempo: destemida e pioneira. RÓZÀ deve ser uma peça instigante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *