Satyros revê 25 anos de underground em palestra

Gente jovem reunida: o ator Rafael Mendes, na peça 120 Dias de Sodoma, em 2009, um dos marcos nos 25 anos da trajetória do grupo Os Satyros, ícone da cena underground – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

As comemorações dos 25 anos do grupo Os Satyros parecem nunca ter fim.

Para quem sempre ouve falar da famigerada trupe, mas nunca se ateve aos detalhes de sua história, há uma chance imperdível.

Nesta sexta (10), às 19h, a dramaturga Marici Salomão fará palestra no Espaço dos Satyros 1 (praça Roosevelt, 214, metrô República).

O tema é: Análise sobre a Trajetória dos Satyros Desde Sua Chegada à Praça Roosevelt.

Marco libertário da Roosevelt: cena da peça 120 Dias de Sodoma, da Cia. Os Satyros – Foto: Dani Agostini

Salomão promete esmiuçar o caminho percorrido pelo grupo ícone do underground, que chegou a atuar na Europa na década de 1990, onde fez sucesso e também passou por dificuldades, como qualquer artista.

O encontro faz parte do projeto Pessoas Perfeitas, título da atual peça que o grupo fundado por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez encena no mesmo local na sequência (leia a crítica por Bruna Ferreira).

A entrada na palestra é gratuita.

Em tempo: no próximo dia 29 de outubro o Itaú Cultural (av. Paulista, 149) abre o Festival Satyros 25 anos, com entrada grátis. Haverá peças do grupo, além de debates com os fundadores e também o filme que Evaldo Mocarzel gravou, tendo como tema a trupe teatral paulistana. Saiba mais.

Marquês de Sade e Satyros: aristocracia em xeque em 120 Dias de Sodoma – Foto: Dani Agostini

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Phillipe disse:

    Só de ver as fotos vejo que não é o tipo de peça para mim. Até sou capaz de ver algumas produções “underground”, porém conheço meus limites e sei que sairia de uma sessão de uma peça como essa perturbado. Isso se não me levantasse bem antes. Não desqualifico, porém, o talento deles. Mas, como as pessoas são livres, opto por não ir a peças como essa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *