Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Zé Geraldo Jr. e Nani de Oliveira em cena da peça no Galpão do Folias – Foto: Cacá Bernardes

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Cadeião
O Grupo Folias D’Arte, um dos mais respeitados da cena paulistanas, manda avisar que o dramaturgo Samir Yazbek fará debate com o público após a apresentaão de Medeia: 1 Verbo, na sessão deste domingo (2). Mas a peça não é dele. O texto é de outro dramaturgo de destaque na cena paulista, Sérgio Roveri, com direção de Marco Antônio Rodrigues.

Radical
O texto clássico ganhou uma versão bem atual: a ação é ambientada em um presídio feminino para onde Medeia (Nani de Oliveira) é conduzida sob a acusação de ter matado os dois filhos. A peça está no Galpão do Folias, até 30 de novembro: sexta e sábado, 21h, e domingo, 20h, ali na rua Ana Cintra, 213, do lado do metrô Santa Cecília, até 30 de novembro. A entrada custa R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada). Vai, gente!

Estado de choque
A coluna ficou tão chocada com comentários preconceituosos contra nordestinos proferidos por gente do teatro, por conta das eleições, que prefere nem comentar. É um vergonha, uma tristeza…

Preconceito
Racismo é o tema da peça Preto no Branco, que Zé Henrique de Paula estreia hoje no Sesc Bom Retiro. Vai dar o que falar… Saiba mais.

Cabelo ao vento, gente jovem reunida: E Eles Eram Eles Mesmos está no Teatro do Sesi – Foto: Divulgação

Reclame
O diretor Francisco Medeiros, o nosso Chiquinho, pede, gentilmente, à coluna que espalhe a seguinte boa-nova na praça: além da peça Tudo o Mais Permanece o Mesmo, ele também dirige E Eles Eram Eles Mesmos? no Centro Cultural Fiesp, na sala Ruth Cardoso.

Revoluções por minuto
A trama tem texto de Vinicius Garcia Pires e mostra um bando de jovens que investiga maneiras e possibilidades de ações para “mudar o mundo” ou, pelo menos, para descobrir o que se pode fazer para construir um lugar melhor para se viver. O que a gente faria sem a juventude, né?

Serviço completo
A peça tem sessões aos sábados às 20h30 e domingos às 18h e às 20h (8, 9, 22 e 23 e novembro e 6 e 7 de dezembro) e de quarta a sexta às 20h30 (12, 13, 14, 26, 27 e 28 de novembro e 10, 11 e 12 de dezembro). Entrada é gratuita, mas é bom retirar ingressos com antecedência. Anotou o serviço direitinho?

Recado de Guaxupé
Ricardo Inhan, dramaturgo querido da coluna, avisa, diretamente de Guaxupé, Minas Gerais: “É para todo mundo ir ver Tão Pesado Quanto o Céu, na Funarte, até 16 de novembro, sábado e domingo, 20h, com entrada a R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia”. Como a coluna tem Ricardo em mais alta cota, aparecerá por lá neste fim de semana. O menino sabe das coisas.

Otto Jr contracena com Jopa Moraes: a força do sistema contra a utopia de aparência fraca; contradições presentes em O Dia em que Sam Morreu, agora no Sesc Consolação, em São Paulo – Foto: Juliana Hilal/Clix

Protesto
Depois de fazer sucesso na Europa e no último Festival de Curitiba, a peça O Dia em Que Sam Morreu está dando o que falar no Teatro Anchieta, do Sesc Consolação, onde fica até 23 de novembro. A montagem dirigida por Paulo de Moraes expõe a corrupção brasileira e os protestos recentes da juventude de uma forma nua e crua. No elenco, na pele de um médico inescrupuloso, está o ótimo ator Otto Jr.

MPB
No mesmo Sesc Consolação, só que no CPT (Centro de Pesquisa Teatral), Antunes Filho e Emerson Danesi voltam com o musical Lamartine Babo, que completa cinco anos em cartaz. Fique por dentro.

Fachada do Casarão do Sesc Ipiranga, que se despede nesta sexta (31): cinco meses de arte para todos – Foto: Divulgação

Adeus, casarão!
O Casarão do Ipiranga, anexo do Sesc Ipiranga, em São Paulo, que foi celeiro de arte nos últimos cinco meses, encerra suas atividades nesta sexta (31). A partir das 19h30, quatro atividades ocupam o espaço para a despedida. Tudo começa com a Discotheque, com o coreógrafo Luís Ferron, no clima dos anos 1980, com entrada gratuita. Também haverá o espetáculo Nervura, com Gícia Amorin, às 21h (a única atividade paga, R$ 2,40 a R$ 12). Outra performance de dança, Sumo, com Julia Rocha, também começa às 21h. Por fim, haverá a intervenção literária Portas Abertas, a partir das 21h30, com grupos teatrais que participaram de atividades no casarão, como a Cia. Livre e o Teatro da Vertigem. A previsão é que a festa dure até o começo da madrugada. Coisa boa.

Dupla sagrada
Acontece no fim de novembro o Fentepp, o Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente, com realização do Sesc São Paulo em parceria com a Prefeitura do município paulista. Antunes Filho vai abrir com Nossa Cidade. Já Zé Celso fecha a programação com Walmor y Cacilda 64: Robogolpe. Uau.

Anhembi
Já estão chovendo inscrições de gente interessada em desfilar na ala do Teat(r)o Oficina na Nenê de Vila Matilde, no Carnaval de São Paulo 2014, com enredo em homenagem a Moçambique. A direção da ala é de Elisete Jeremias e Otto Barros. Quer sair na folia também? Saiba tudo.

Selma Morente, Daniela Bustos, Beth Gallo e Célia Forte: 29 anos da Morente Forte – Foto: Alceni “Chininha” Braz

Viva a Morente Forte!
Só Célia Regina Forte e Selma Morente para reunir tanta gente das mais variadas matizes de nosso teatro em uma noite de karaokê. O motivo da festança, realizada na noite desta quinta (30), na sala Hebe Camargo do Coconut, em Saõ Paulo, foram os 29 anos da Morente Forte Comunicações, empresa das duas mulheres mais amadas do teatro brasileiro.

Momento rock
Depois de muita bagaceira no karaokê, Daniela Bustos, da equipe da Morente Forte, resolveu brindar a todos com um momento de rock. E cantou Renato Russo, pala a alegria de alguns convivas.

Momento reggae
Já Beth Gallo, também integrante da Morente Forte, preferiu O Erê, da banda Cidade Negra. Ela até teve companhia na cantoria de um jornalista que a coluna não revela o nome nem sob tortura.

Festa do interior
Robson Catalunha e Gustavo Ferreira, atores dos Satyros, resolveram pegar uma mesa. Mas logo resolveram se levantar e causar um pouco. Fizeram muito bem.

Cerol na mão
Henrique Mello e Julia Bobrow, também do grupo Os Satyros, estavam animadíssimos na festa. Mostraram desenvoltura no funk, cantando Cerol na Mão, aquela do “Quer dançar? Quer dançar? O Tigrão vai te ensinar!”. Foi praticamente um escândalo.

Divulgação no busão
Com tanta tecnologia, como todo mundo fotografando tudo e todos, Selma Morente lembrou: “Quando começamos, em 1985, nem existia motoboy ou fax. Era telex, correio, carro e ônibus, que nosso querido office-boy Marcelo dos Santos, que percorria dezenas de quilômetros com o material de divulgação, para cima e para baixo, com releases e fotos 10 x15 ou 13 x18 e os cromos”. Quem tem história para contar é outra coisa…

Parceiras
As jornalistas Cláudia Rolim e Erika Riedel, costumeiras colaboradoras da Morente Forte, também estavam na festa, celebrando ao lado das amigas.

#Rumoaos30
Assim que viu a coluna na festa, Célia Forte, com seu jeito despachado e querido de sempre, foi logo avisando: “Se prepare que ano que vem são os 30 anos. Você vai ver o que vamos aprontar!”. A gente imagina. E espera ansioso.

Talita Lima ficou com vaga de Andressa Urach em comédia de James Akel – Foto: Divulgação

Pediu pra sair
Andressa pediu para sair da peça República das Calcinhas, escrita e dirigida por James Akel, que também integra o elenco da obra. A ex-Miss Bumbum disse ao diretor que recebeu um convite para participar de um filme. Foi substituída por Talita Lima, que encerrou a temporada no Teatro Maria Della Costa no último sábado (25). James revelou à coluna que o espetáculo voltará nas férias de janeiro. Só ainda não se decidiu se a temporada será no Teatro no Maria Della Costa ou no Teatro Ruth Escobar. “A Andressa foi uma grata surpresa, mas posso te dizer que a Talita deu um show. Mas preciso enfatizar que gostei das duas”, afirmou, politicamente correto.

Phedra no Jô
Phedra D. Córdoba não se cabe até agora de alegria com sua entrevista a Jô Soares, no Programa do Jô exibido na última sexta (24). Foi o assunto da semana na praça Roosevelt.

Nervosismo
Ruy Cortez está apreensivo com a estreia, neste fim de semana, de seu projeto Karamázov, que adapta para os palcos brasileiros pela primeira vez o clássico de Dostoiévski.

O Lugar de Onde se Vê está em cartaz no Teatro da Livraria da Vila do Shopping JK, em SP – Foto: Divulgação

Alô, criançada!
É bom levar as crianças desde cedo ao teatro. Para criar o hábito, né? Pois uma dica imperdível é a peça O Lugar de Onde se Vê, que reestreia neste sábado (1º) às 15h, no Teatro da Livraria da Vila do Shopping JK, em São Paulo. A montagem da Cia. Ouro Velho com direção de Paulo Marcos conta a história da menina Eva. Ela descobre um antigo teatro, onde vivem as musas da Tragédia, da Comédia e do Drama. O trio resolve ajudá-la a reencontrar sua alegria perdida. Uma graça.

Remelexo
Está rolando a sétima edição do Festival Contemporâneo de Dança, em São Paulo. Não perca.

Luiz Serra (ao centro): ator celebra 50 anos de carreira revelando como foi prisão na ditadura – Foto: Divulgação

Tempos de chumbo
A peça História dos Porões celebra os 50 anos de carreira do ator Luiz Serra contando um período importante de sua carreira. A obra fica em cartaz no Top Teatro (r. Rui Barbosa, 201, Bela Vista), em São Paulo, até 23 de novembro. Toda sexta e sábado, 21h, e domingo, 19h, com entrada a R$ 20. Só cabem 50 pessoas por sessão, já que a obra é bem intimista. A montagem revela sua prisão pelo regime militar, quando encenava a emblemática montagem O Balcão, dirigida pelo argentino Victor García, no Teatro Ruth Escobar. É imperdível.

Peça polêmica
A dramaturga e atriz Michelle Ferreira estreia na próxima quinta (6), às 20h30, com sua A Má Companhia Provoca a peça Reality (Final) no Sesc Pinheiros. Michelle também está no elenco, que conta ainda com Flávia Strongolli, Maura Hayas e Solange Akierman, além dos atores convidados André Corrêa e Paula Brandão. Ramiro Silveira assina a direção da montagem, que mostra um reality show com doentes terminais. Pura polêmica.

Há vagas
O festival Satyrianas, que acontece no feriadão da Consciência Negra, neste mês de novembro, busca pessoas interessadas em fazer parte da equipe do evento. Currículos devem ser enviados para o e-mail: [email protected] É preciso mandar breve currículo, foto e carta dizendo por que deseja trabalhar nas Satyrianas. Recado dado.

Carlos Queiroz Telles, ícone da dramaturgia, ganha mostra no Aliança Francesa – Foto: Divulgação

Memória viva
Todo mundo reclama que o Brasil não tem memória. Assim, qualquer ação para lembrar nosso passado artístico deve ser comemorada. Estreia nesta sexta (31), junto do espetáculo Muro de Arrimo, a Exposição Multimídia Memorial Carlos Queiroz Telles, no hall do Teatro Aliança Francesa, na República, em São Paulo. Gente graúda como Antonio Fagundes, Alexandre Borges e Etty Fraser contam por meio de depoimentos, entrevistas e debates um pouco sobre a vida e obra desse grande autor da nossa dramaturgia teatral. Viva!

Festança
O Grupo Magiluth faz festa neste sábado (1º) em Recife para celebrar seus dez anos de teatro. Saiba mais.

Rei do Baião
O Ballet Stagium faz homenagem a Luiz Gonzaga no espetáculo Mané Gostoso. Com direção de Décio Otero e Márika Gidali, a obra estará de 31 de outubro a 9 de novembro no Teatro J. Safra, em São Paulo.

Conto sobre Mim volta para nova temporada no Teatro Aliança Francesa – Foto: Divulgação

Brasil-Canadá
Após duas apresentações com casa cheia da peça Conto sobre Mim, dentro das comemorações dos 50 anos do Teatro Aliança Francesa, o espetáculo da Cia. Da Travessia, com direção da premiada diretora canadense Julie Vincent, está de volta. Eles vão fazer um mês de temporada no Teatro da Aliança Francesa, todas às quintas, às 20h30, a partir de 6 de novembro. Vai, gente.

Eu voltei…
A atriz Milena Filó volta com a peça Teatro de Bonecas, na qual atua sob direção de Adriano Cypriano. A reestreia é neste sábado (1º), no Teatro Pequeno Ato, na República. A obra coloca a identidade em xeque. Tem sessão sábado, 21h, e domingo, 19h, até 30 de novembro. No elenco está também Jackeline Stefanski.

Fugitiva
Começa neste sábado (1º) a temporada da Cia. Pia Fraus de Kachtanka, de Tchekhov, com adaptação de Beto Andreetta  e direção de Wanderley Piras. Será no Teatro J. Safra, em São Paulo. Até 9 de novembro, sábado e domingo, 16h. Ah, Kachtanka é uma cachorrinha que se perde de seus donos durante o Carnaval e vive incríveis aventuras. Não faltarão bonecos, atores e números circenses. Uma fofura só.

O ator Assis Benevenuto no seu monólogo Get Out, que fala do medo de avião: peça abre ocupação do grupo Quatroloscinco, de Minas Gerais, no Sesc Belenzinho, com peças e oficinas também – Foto: Divulgação

Ê trem bão, sô!
Os mineiros do grupo Quatroloscinco fazem ocupação no Sesc Belenzinho neste mês de novembro. Vão apresentar quatro peças por lá: Get Out!, É Só Uma Formalidade, Humor e Outro Lado. Avisam que querem todos os paulistanos na plateia. Os coleguinhas da classe artística também poderão fazer duas oficinas com os belo-horizontinos: O Ator e a Criação Coletiva e Laboratório de Dramaturgia. Não durma no ponto!

Condecoração
A atriz Suellen Ogando ganhará Moção de Parabenização no dia 30 de novembro, às 18h, na Casa Legislativa de Lagoa Santa. A espevitada artista não para quieta e promove como ninguém o teatro musical em Minas Gerais. A moça marcou a trajetória do programa Máquina da Fama, do SBT, onde alcançou a nota mais alta já dada pelo júri. Danada.

Suellen Ogando: homenagem na Câmara de Vereadores de Lagoa Santa – Foto: Divulgação

 

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *