Com viatura de polícia, Núcleo Bartolomeu de Depoimentos é despejado de seu teatro

Caminhões e carro de polícia na porta do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos: despejo – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A ação de despejo contra o grupo teatral Núcleo Bartolomeu de Depoimentos foi executada durante toda esta quinta-feira (27). Caminhões retiram os pertences dos artistas de sua sede, na rua Doutor Augusto De Miranda, 786, na Vila Pompeia, na zona oeste de São Paulo.

A ação judicial foi movida pela INK Incorporadora, que pretende construir um prédio no lugar do teatro, que era alugado pela trupe havia oito anos. O grupo havia recebido uma ordem de despejo no último dia 11 de novembro.

Segundo contou ao R7 Eugênio Lima, um dos fundadores do grupo e também DJ e diretor musical do Bartolomeu, carros de polícia e caminhões pararam em frente ao teatro por volta das 7h30.

— Eram quatro viaturas, mais de dez caminhões, o oficial de Justiça e advogados da INK Incorporadora, que pediu o despejo em regime de urgência. Eles pegaram a chave com a menina da limpeza e já foram invadindo.

Emocionada, Claudia Schapira senta-se no chão durante a ação de despejo do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos: “A gente tem direito à cidade”, diz a diretora – Foto: Rudifran Pompeu

Claudia Schapira, diretora do grupo, revela que os artistas fizeram questão de resistir.

— Nossa função é provocar e questionar. A gente não iria sair: “ah, tá bom”. A gente tem direito à cidade. Acreditamos que a cidade é nossa e deve ser um lugar de convivência da diversidade.

Ela diz que espera que sirva de algo a resistência do grupo frente à especulação imobiliária.

— Se isso aqui hoje fizer com que os grupos que estejam se tornando patrimônio cultural da cidade ganhem mais respeito e ações efetivas do poder público que vão além da nomeação, então, eu acho que essa baderna serviu para alguma coisa.

Revoltado, o DJ Eugênio Lima, do Núcleo Bartolomeu, diz: “Estamos sendo expulsos do nosso teatro” – Foto: Divulgação

O grupo entrou com um pedido judicial para tentar cancelar a ação de despejo, mas se o juiz não decidir logo, a construtora pretende demolir o teatro durante a madrugada ou na manhã desta sexta (28), afirmou Lima.

— A gente foi surpreendido e estamos sendo expulsos de nosso teatro.

Os pertences do grupo, entre eles cenários, figurinos e até prêmios recebidos, estão sendo levados para a casa da mãe da artista Roberta Estrela D’Alva, em São Bernardo do Campo, na região do ABC Paulista.

Durante o dia, integrantes de outros grupos teatrais de São Paulo foram ao local se solidarizar com o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. Entre as visitas recebidas, esteve por lá Rudifran Pompeu, presidente da Cooperativa Paulista de Teatro.

O R7 telefonou para a INK Incorporadora. O funcionário que atendeu disse que não havia mais ninguém no escritório que pudesse comentar o caso. Ele pegou os contatos da reportagem e prometeu um retorno.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Phillipe disse:

    É aguardar a decisão judicial. Desejo que tudo seja resolvido, se possível, de forma amigável.

  2. Sérgio Vianna disse:

    Rui Barbosa já declarava estar cansado das nulidades. Até quando esse tipo de atitude vai continuar? Quando se fala em “selvageria do capitalismo” é bom que se atente para essa realidade. Solidarizo com o grupo. MERDA, SEMPRE!!!!!!!!!!!!!!
    Sérgio Vianna – Ator/músico – Brasília/DF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *