Domingou: A maré não está pra peixe

Homenagens às vítimas do jornal Charlie Hebdo nas ruas de Paris, França – Foto: Patrick Jackson/BBC

Por MIGUEL ARCANJO PRADO*

Ao ver a barbárie que os terroristas fizeram no jornal Charlie Hebdo em Paris nesta semana, me veio à cabeça as inúmeras charges sobre a violência carioca que utilizaram o Cristo Redentor.

Muitas tinham a estátua do Cristo de olhos vendados, com mãos para cima (tipo, “eu me rendo”) e tantas outras. Todas igualmente divertidas e ferinas.

Mesmo assim, não me lembro de nenhum cristão ensandecido aparecer em redação de jornal para fuzilar o pobre coitado do cartunista inteligente e bem-humorado que fez tal charge. Ou caricatura. Ou o que é que lhe tenha dado na telha.

Porque o humor inteligente (e aí não entram esses stand-up de feito por jovenzinhos que só gostam de atacar minorias, porque poderosos dá mais trabalho, né?) é altamente necessário a uma sociedade realmente democrática.

O humor de verdade precisa bater sem dó. Em todos. E precisa ter este direito preservado por toda a sociedade.

Porque quando o humor bate com inteligência, não sobra pra ninguém. Que o diga os militares que mandaram prender toda a redação do nosso Pasquim.

Esses terroristas fundamentalistas querem tolher a liberdade alheia, em nome de Deus (que não tem nada a ver com essa história).

São daquele tipo de gente que não se contenta em ir para o paraíso sozinho e com exclusividade, mas quer atormentar quem não tem tamanha pretensão e não está a fim de seguir suas regras comportamentais. E, pior: quer impor, na base da violência, o que pensa aos outros.

Pelo jeito, nunca ouviram falar em livre arbítrio, essa, sim, uma característica divina.

Gente do mal, que acha que todo mundo precisa ser igual. De gente assim, eu quero distância.

Querer uniformizar tudo e ainda cercear o direito do outro de expor seu pensamento com uma metralhadora na mão… Aí, não dá, meu irmão.

Como diz minha mãe lá em Minas, os seu direito vai até onde começa o do outro.

E isso vale também para aqueles deputados fundamentalistas de Brasília. É bom eles ficarem espertos, porque a maré não está pra peixe…

*MIGUEL ARCANJO PRADO é jornalista e gosta de diversidade e bom humor. A coluna Domingou, uma crônica semanal, é publicada aos domingos no blog Atores & Bastidores do R7.

Curta nossa página no Facebook!

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos bastidores

Descubra tudo o que as misses aprontam

Tudo que você quer está num só lugar: veja!

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Luan Gomes disse:

    Olá Miguel!Pra começar eu gostaria de dizer que sou veemente contra qualquer tipo de violência,mas pelo que percebi nas charges do Hebdo eles retratam o islamismo com muito desdém como por exemplo retratando Maomé(que não pode ser representado) e figurando muçulmanos com arma na mão.Acho que devemos olhar para os dois lados porque imagina o preconceito que os muçulmanos residentes da França passam e ainda passarão?
    Não devemos nos esquecer também que a França tá bem longe do “liberté,egalité , fraternité” que inclusive antes da segunda guerra já teve indícios anti-semitas ,como por exemplo no caso de Alfred Dreyfus.
    Gostei de suas palavras,curto muito o seu blog!Abraço

    • Miguel Arcanjo Prado disse:

      Luan, obrigado pela mensagem e pela leitura. Realmente, é um tema muito complexo e que deve ser analisado com muita calma. Abração!

  2. Phillipe disse:

    1. Não apenas jovenzinhos. Há humoristas famosos que adoram polêmica e que gostam de debochar dos outros, posando de “descolados”. Mais triste é quando o ataque à vítima é reiterado. Aí, interpreto como maldade e desejo de azucrinar a pessoa.
    2. Sim, sua mãe tem razão. O direito alheio termina quando começa o do outro.
    3. Está de férias mas não resistiu à tentação de voltar ao blog. Como está de férias, essa coluna “Domingou” lhe dá uma característica praticamente de “convidado”. O blog é sua cachaça, não é? Abraços!
    4. Sobre o ocorrido na França, lamento. Contudo, acho que todos, inclusive a imprensa, deveriam focar também nos islâmicos pacíficos porque o que está ocorrendo é a demonização da população árabe e do mundo islâmico. Os EUA invadiram o Iraque e promoveram uma guerra sob o argumento de destruição de perigosas armas químicas – as quais nunca foram encontradas – e, por ser os EUA, mesmo havendo o massacre de uma nação, ficou “tudo bem”. Aí ocorreu esse episódio na França e o mundo islâmico e os árabes são demonizados? Qual é o critério de justiça? A própria imprensa tem de repensar sua neutralidade ao enfocar fatos que gerem discursos de ódio.

    • Luan Gomes disse:

      Miguel,sem contar que agora começou a moda do “Je suis Charlie” nas redes hein…esse povo é muito hipócrita e metido a entendido viu,haja paciência!No Brasil morrem dezenas de pessoas DIARIAMENTE e os próprios brasileiros não falam nada,agora quando rola algum caso de grande repercussão não querem perder a modinha e ficam bancando os intelectuais sem ser. PQP eu não aguento esse povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *