Cia Estável faz peça grátis nas estações da CPTM

Trem das onze: Cena da peça A Exceção e a Regra, da Cia. Estável – Foto: Hayanne Oliveira

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Em meio ao movimento dos trabalhadores apressados, a arte vai surgir. Quem sabe, o apressado morador da Grande São Paulo, até aceite parar um pouco, para ver uma peça de teatro e refletir sobre sua vida.

É isso que propõe um espetáculo que vai ocupar as estações da CPTM (Companhia de Trens Metropolitanos de São Paulo) nos próximos dias, quando a Cia. Estável de Teatro apresenta seu espetáculo A Exceção e a Regra. O texto clássico de Bertolt Brecht tem direção de Renata Zhaneta.

Compõem o elenco Andressa Ferrarezi, Daniela Giampietro, Juliana Liegel, Luiz Calvvo, Nei Gomes, Osvaldo Pinheiro, Sérgio Zanck, Paula Cortezia e Zeca Volga.

Peça em 25 estações

As primeiras apresentações estão marcadas para a linha Esmeralda com sessões dias 6 de março (sexta-feira, às 20h) na Estação Grajaú; dia 7 de março (sábado, às 20h) na Estação Santo Amaro e dia 8 de março (domingo, às 17h) na Estação Ceasa.

Daí, a trupe segue para a linha Rubi: dia 13 de março (sexta-feira, às 20h) na Estação Perus; dia 14 de março (sábado, às 14h) na Estação Francisco Morato; dia 15 de março (domingo, às 14h) na Estação Jundiaí; dia 21 de março (sábado, às 20h) na Estação Caieiras e dia 22 de março (domingo, às 20h) na Estação Franco da Rocha.

Ao todo serão beneficiadas pelo projeto 25 estações em 18 municípios paulistas cobertos pela malha ferroviária da CPTM. E o melhor de tudo: todas as sessões são gratuitas e acontecem nas saídas das estações, possibilitando o acesso do público que não precisa pagar passagem de trem para assistir ao espetáculo. Totalmente democrático e inclusivo.

Contato com o povo

A trama aborda a difícil e tão presente relação entre explorador e explorado, tendo como pano de fundo a conquista da cidade de Urga, rica em petróleo. Segundo o grupo, a peça “a obra brechtiana oferece um importante instrumento para a compreensão das atuais crises do capitalismo e de suas inevitáveis consequências para a ordem mundial”.

Não é de hoje que o grupo atua junto ao povo. Há sete anos, desenvolve pesquisa com 1.200 homens em situação de rua, acolhidos no albergue Arsenal da Esperança, na Mooca, zona leste paulistana.

A Cia. Estável de Teatro foi formada há 13 anos com artistas saídos da Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Reconhecido por seu trabalho aguerrido, o grupo já levou seis vezes o Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo. Além disso, há três anos integra o Movimento de Teatro de Rua, o MTR.

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Phillipe disse:

    Se é para dar acesso à população, que venham essas peças gratuitas! Que bom que São Paulo tem essa oportunidade, porque isso não é verdade em outros estados. O governo Dilma não promove o teatro em outros estados ou isso é obra do governo de São Paulo? Não tenho conhecimento de como funciona isso de fomento. Se existe por aqui, nunca ouvi falar ou ser tão veiculado como é em São Paulo. De repente, pode até ser que tenha por aqui, mas então é bem pouco divulgado na mídia porque realmente não recordo de ter lido sobre isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *