Crítica: Vigor Mortis toca o terror no Festival de Curitiba com propriedade

Rubia Romani em cena de Crime no Manicômio: sangue e desespero – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Enviado especial do R7 a Curitiba*

A Cia. Vigor Mortis resolveu investir pesado no gênero terror neste Festival de Teatro de Curitiba 2015.

O grupo paranaense, já destaque no gênero, está em cartaz com três montagens na Mostra Glóriah Vigor Mortis: Duplo Homicídio na Chaptal 20: Crime no Manicômio, Duplo Homicídio na Chaptal 20: Farol em Fúria e Vigor Mortis Jukebox Vol. 1.

O Atores & Bastidores do R7 assistiu à sessão de Crime no Manicômio.

O espetáculo, com cenário potente, assim como seus figurinos e efeitos visuais, conta a história de uma paciente do hospício que tenta se livrar do local, estabelecendo uma relação de cumplicidade com seu médico.

Contudo, precisa permanecer mais uma noite internada. Estas últimas horas podem ser cruciais para sua sobrevivência, já que está rodeada de loucura em última instância, com colegas transtornadas.

A peça abusa do trash de um modo a dar inveja a Zé do Caixão. E o faz com propriedade.

Público delira com horror proposto pela Cia. Vigor Mortis, dirigida por Paulo Biscaia Filho em Curitiba – Foto: Divulgação

O público delira e se diverte com as cenas mais macabras. A obra ainda conversa com nosso contexto latino-americano, colocando uma das personagens para falar em castellano (Eliane Campelli, em ótimo desempenho), o que é um acerto e tanto em um festival que se propõe a fazer diálogo internacional.

No texto e direção de Paulo Biscaia Filho, destacam-se as atuações presentes de Eliane Campelli, Guenia Lemos, Michelle Rodrigues, Raphael Cassou, Raquel Rizzo e Rubia Romani, esta última na pele da jovem frágil internada. Os atores estão vivos no palco, e isso é fundamental.

A montagem tem ritmo e potência, com seu terror feito de forma crível e ao mesmo tempo de ar debochado.

Com sua mostra especial, a trupe Vigor Mortis renova o gênero do horror de forma instigante neste Festival de Teatro de Curitiba 2015, deixando sua marca em pesadelos futuros da plateia curitibana.

Duplo Homicídio na Chaptal 20: Crime no Manicômio
Avaliação: Muito bom

*O jornalista Miguel Arcanjo Prado viajou a convite do Festival de Teatro de Curitiba.

Acompanhe em tempo real o R7 no Festival de Teatro de Curitiba 2015!

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

 

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *