Bárbara Heliodora foi a maior crítica teatral do Rio e uma das mais importantes do Brasil

Bárbara Heliodora em dezembro de 2013, ao lado de Marília Pêra, no lançamento de seu livro A História do Teatro no Rio de Janeiro – Foto: Cristina Granato

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Bárbara Heliodora foi, sem dúvida, a mais importante crítica teatral do Rio de Janeiro de todos os tempos e uma das mais respeitadas em todo o Brasil.

Dona Bárbara, como era chamada pela classe artística, morreu aos 91 anos, na manhã desta sexta (10), no Hospital Samaritano do Rio, onde estava internada desde março. Ela nasceu no Rio, em 29 de agosto de 1923.

Durante o século 20 e começo do século 21, trabalhando em veículos como Jornal do Brasil e O Globo, ela reinou na crítica carioca com seus textos sempre elegantes e, muitas vezes, ferinos.

Suas avaliações positivas eram capazes de tornar um espetáculo um sucesso. Já quando não gostava, um retumbante fracasso. Cada palavra que escrevia tinha poder.

Bárbara Heliodora em foto de 1964 – Foto: Funarte

Além de crítica teatral, ela foi a mais importante tradutora do dramaturgo inglês William Shakespeare para a língua portuguesa. Conhecia a obra do Bardo como ninguém e tinha sua famosa biblioteca, na casa do Cosme Velho, recheada com obras dele.

Começou no jornalismo tarde, aos 35 anos, por insistência de amigos, no jornal A Tribuna, escrevendo sobre sua grande paixão, o teatro. No Jornal do Brasil, onde trabalhou até meados da década de 1960, ganhou notoriedade e o apelido de Dama de Ferro, por suas críticas mordazes. Depois, trabalhou ainda na revista Visão e, no fim do século 20 e começo do 21, no jornal O Globo.

Ela foi ainda professora universitária e diretora do Serviço Nacional do Teatro durante a ditadura militar. Em 2012, recebeu das mãos de Fernanda Montenegro o Prêmio Shell Especial por sua trajetória. Deixou três filhas e quatro netos.

Segundo a pesquisadora Maria Inês Barros de Almeida, em Perfil Analítico de Bárbara Heliodora, presente na Enciclopédia Itaú Cultural, “Barbara Heliodora é a crítica mais influente do teatro carioca. À sua opinião, rigorosa e durona, atribuem o poder de fazer e desfazer espetáculos […] É uma unanimidade”.

A crítica teatral Bárbara Heliodora recebe Prêmio Shell Especial das mãos de Fernanda Montenegro em 2012 – Foto: André Muzzel/AgNews

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. bemvindo disse:

    Morreu mesmo , né? Com certeza!?

  2. Phillipe disse:

    Que descanse em paz! Saudade de alguém como ela, que conhecia tão bem Shakespeare. Prefiro as peças clássicas. Não sou da tribo dos “descolados de plantão” que curte teatro imersivo e outras coisas do gênero. Aliás, ando perdendo o encanto pelo teatro. Os temas estão muito agressivos. Talvez eu migre do interesse pelo Teatro para o interesse por livros infantis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *