Zé Celso e atores do Oficina podem ser presos

Zé Celso pode ter prisão decretada no Fórum Criminal da Barra Funda, em SP – Foto: Julia Chequer/Arquivo R7-7/4/2010

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

O diretor José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, e os atores Tony Reis e Mariano Mattos Martins, do Teat(r)o Oficina, podem ter prisão decretada na tarde desta segunda (8) por terem encenado uma peça de teatro.

O motivo da ação judicial é a apresentação da peça Acordes, feita na PUC-SP em 2012 pelos artistas do Oficina. A obra é baseada em texto do dramaturgo alemão Bertold Brecht.

A peça foi considerada ofensiva por um padre de Goiás, que a assistiu pelo YouTube e depois entrou na Justiça contra os artistas.

Os três atores foram intimados pela Justiça Pública a estar às 16h desta segunda (8) no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo. Esta é a segunda vez que precisam comparecer a uma audiência no local.

Os artistas do Oficina são defendidos pelos advogados Fernando Castelo Branco e Fernanda de Almeida Carneiro.

A primeira audiência foi em 5 de novembro de 2014, quando os atores se recusaram a assinar um documento de reconhecimento de culpa. Eles ouviram do promotor que estariam  “se escondendo através do teatro para dizer impropérios e incitar a violência”.

Zé Celso considerou absurda a acusação, que classificou como “um crime contra a arte do teatro”.

Justiça analisa defesa do Oficina

Entenda o caso

Segundo os artistas do Oficina, a sessão especial de Acordes na PUC-SP foi feita a convite de alunos, professores e funcionários que estavam em greve em 2012.

Estes se manifestavam contra a imposição do nome da professora Anna Maria Marques Cintra como reitora da instituição, já que esta havia ficado em terceiro lugar na votação com a comunidade acadêmica.

Por isso, o Oficina foi convidado para apresentar a peça que falava sobre autoritarismo e o papel popular para provocar mudanças.

Para adequar a peça ao contexto da Pontifícia Universidade Católica, Zé Celso colocou a imagem de um religioso para representar a figura do autoritarismo, na forma de um boneco parecido com o Papa Bento 16.

Na metáfora proposta pela peça, o boneco é decapitado, como forma de simbolismo da ruptura com o autoritarismo. Segundo o Oficina, a própria Reitoria autorizou a entrada do grupo na PUC.

O vídeo com a encenação foi parar no YouTube, onde o Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz, de Goiás, o assistiu e resolveu então entrar na Justiça contra o Oficina e ainda abriu um inquérito policial.

O padre utilizou o artigo 208 do Código Penal, que criminaliza o escarnecimento de alguém publicamente por motivo de crença ou culto religioso e prevê até um ano de cadeia.

Segundo o grupo, Zé Celso, Mariano e Tony afirmaram à Justiça que jamais tiveram o intuito de zombar de objetos religiosos ou escarnecer da fé católica. Explicaram  que tratava-se de uma obra de arte teatral feita em um cenário de liberdade de expressão artística, garantida pela Constituição.

Na audiência de novembro do ano passado, os atuadores do Oficina não aceitaram a proposta de acordo feita pelo representante do Ministério Público, Matheus Jacob Fialdini, que queriam que estes assumissem a culpa para encerrar o caso.

Como eles se recusaram a assinar o documento, a nova audiência desta segunda-feira foi marcada para definir a sorte dos três artistas.

O Oficina é considerado o mais importante grupo teatral do Brasil, e Zé Celso é um dos encenadores latino-americanos mais reconhecidos em todo o mundo, tendo sido perseguido, preso e exilado durante a ditadura civil-militar que vigorou no Brasil entre 1964-1985.

Leia mais:

Justiça analisa defesa do Oficina

Zé Celso e atores do Oficina podem ser presos

Justiça inocenta Zé Celso e atores do Oficina

Tony Reis e Mariano Mattos Martins em cena da peça Acordes, do Oficina – Foto: Fermozelli

 

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Todas as notícias que você quer saber em um só lugar

 

Você pode gostar...

88 Resultados

  1. sheila disse:

    veja beta

  2. Maria Lindomar da SIlva disse:

    Foi assim com Galileu Galilei, Assim com José Celso e os demais atores. Não se pode pensar e dizer verdades. É uma ofensa ampla. Espero que tudo não passe de um delírio desorganizado da justiça.

  3. Álvaro Rosa disse:

    Não vi nada de mais nessa peça,há coisas mais importante para se preocupar!

  4. José maria simmer disse:

    absurdo!, padre doido.

  5. André disse:

    Absurdo!

  6. luiz claudio poland disse:

    Não é possível ! Isso não acontecia nem durante a ditadura é aza demais para um juiz ! não estou acreditando ,isso é coisa da idade media !

  7. Wladimir Castro disse:

    Por tratar-se de crime de pequeno valor lesivo, houve a oportunidade de resolver-se tudo com apenas uma audiência, frente a justificada renúncia dos réus, o rito legal prossegue e impõe uma nova fase processual que implica nesta audiência de hoje, esta formalidade apenas cumpre com um “caminhar” do processo em busca de uma solução ao final onde pode ocorrer a absolvição, nada mais!

  8. Simone Varela disse:

    Boa Tarde…
    isso é sério mesmo?
    O país em um caos com crianças passando fome, famílias indo morar na rua por desemprego dos pais, os hospitais sem condições de manter a saúde pública por desvio financeiro, corrupções por todos os lados, a educação está tão precária que nem sabemos por onde começar a falar algo sobre o assunto. Agora eu me questiono, qual é a função desses religiosos que prometem na hora que se ordenam padres, pastores e sei lá mais o quê, a se dedicarem a caridade, ao sofrimento do próximo, a cuidar e zelar pelas ovelhas de seu rebanho, a ajudar a comunidade que vivem ou que vão visitar?
    Qual a função desses seres que entregam a sua vida a espiritualidade ou a Jesus como queiram colocar?
    Sr. Padre, com todo respeito, sua vida deve estar muito vazia de atividades cristãs para o senhor ter tempo de estar assistindo qualquer coisa na internet e trazer para a sua vida atitudes frívolas.
    Por gentileza, saia da sua Pastoral, e vá olhar para essas ovelhas que estão a deriva de seu rebanho e cuide delas com amor e carinho, dê teto a quem está na rua, mate a fome dos famintos, ajude essas pessoas a resgatar suas dignidades ajudando-as a arrumar trabalho para seu auto sustento, saia da internet, só a use se for para o bem.
    Arte é livre para falar de qualquer assunto e da forma que achar conveniente. A democracia lhes deu esse direito, não há ofensas no recado que foi colocado na mensagem da peça teatral, saia do virtual e vá para o real, cuidar do que o Sr. se propôs quando resolveu usar batinas.
    Fica aqui meu recado.

  9. vitor alencastro disse:

    Estes padres, comer criancinha pode? Teatro não? E nossa justiça, O helicóptero com 455 kg de pasta de coca eles não dão jeito, mas peça de teatro ? Este país esta cada vez mais foda de viver!!!!

  10. Itamar Santos disse:

    O Fundamentalismo religioso vem de todos os lado atacando a Democracia em todas as suas formas de expressão…

  11. Tato Fischer disse:

    Em que ano estamos, mesmo? 1392? 1430? Pobre Ser Humano…

  12. Vera Santana disse:

    Estou do lado do director do Teat(r)o Oficina, José Celso Martinez Corrêa [o Zé Celso], dos atores Tony Reis e Mariano Mattos Martins, de Brecht e da sua peça. No Brasil e fora dele, estamos todxs indignadxs pelas prepotências e lutaremos contra actos e atitudes autoritárixs!

    Lisboa, 8 de Junho de 2015

    Vera Santana

    [Socióloga]

  13. Ruth Maranhão disse:

    No Brasil do século XXI é inadmissível ao Judiciário o papel de Censor.

  14. Noilton Nunes disse:

    Esse pessoal do Teato Oficina Uzona Uzyna já deveria ter sido preso desde quando encenaram nos anos 60, a peça O REI DA VELA e transformaram-na em filme. São uns subversivos… anarquistas… debochados…

  15. manuel almeida e sousa (actor) - portugal disse:

    esta notícia é absurda…!? fere todo e qualquer direito de criação artística…
    caminhamos para onde? para a mordaça?

  16. Julio disse:

    Todo apoio ao Oficina, ao teatro brasileiro, contra o ranço autoritário que ainda sobrevive no país!

  17. Tirza Myga Garcia disse:

    Ñ conheço o texto de Brecht, nem a interpretação do Oficina, mas fiquei curiosa, vou atrás dos dois!… Ñ ouvi-li que a CNBB ou o representante do Vaticano tenham assumido a causa do padre… Duvido que o Papa Francisco o apoie…

  18. Ana Maria Cruz muller disse:

    Advogados de acusação e juiz certamente já ouviram falar em Berthold Brecht. Se não o conhecem que a OAB se manifeste em nome do senso comum e do bom senso. Tanta insanidade já é demais. À inquisição está de volta? Não sou artista, sou médica, tenho 68 anos e estou abismada com o retrocesso cultural de nossos mandatários.

  19. miriam bettina paulina oelsner disse:

    Zé Celso merece todo o respeito e consideração, devemos muito a ele, pela luta pela liberdade de expressão!

  20. miriam bettina paulina oelsner disse:

    Zé Celso merece todo o respeito e consideração, devemos muito a ele, pela luta pela liberdade de expressão!

  21. candido cunha disse:

    Os coronéis ainda mandam aí ?

  22. katia klassen disse:

    O país está vivendo dias de retrocesso em vários setores. Me assusta tudo isso. Todo apoio aos atores, sobretudo a José Celso a quem o país deveria ouvir mais… Mais do que aos padres, pastores, políticos. “A beleza salvará”! Evoé, José Celso!

  23. Mario Alexandre disse:

    São os tentáculos do autorismo, passados 30 anos de sua suposta extinção, a perseguir serpentinamente Zé Celso e seu espírito libertário e anticonvencional!

  24. Ecaterina Iliescu disse:

    Estamos regredindo.

  25. Ecaterina Iliescu disse:

    Estamos regredindo muito.Não apenas anos.Décadas.Talvez uma centena de anos.

  26. sandra amadeu disse:

    Sera que este padre foi alfabetizado e se foi ele sabe o quer dizer teatro, mas se ele esta tao afetado escandalizado com a peca pede pra ele colocar no google uma pequena pergunta tipo assim (quem mais matou em nome de Deus) me diz o que deu? Não contente manda ele pesquisar (papa gregorio nono no século XIII) ai ele vai ter o que fazer.. Vai rezar e sai da internete padreco.

    • Mariana disse:

      Acho que quem não estudou foi vc. Só para se tornar padre, o caminho de estudo é muuuito longo. Várias faculdades e cursos. Têm que prender mesmo, esse povo pensa que pode tudo, quer “respeito”, mas não quer respeitar. Quer exigir uma coisa que não dá! Respeito gente, respeito com tudo, principalmente com a fé das pessoas. Entende isso? Acho que não, pois mostrou sua ignorancia escrevendo coisas passadas e que não tem NADA a ver com a religião. Vou desenhar pra vc. Por exemplo, vc tem uma familia super correta e bem vista, daí seu irmão mata e rouba, vc quer que a população te enxerga como ladra e assassina também? PENSA!

  27. iara guerra disse:

    Sou atriz, admiro o trabalho do Zé Celso e o teatro oficina, porém, penso que apesar do palco ser um espaço livre tem certas esferas que são complicadas de mexer e falar, não se pode passar por cima de tudo e determinados dogmas é um fator complicador, afinal, desfazer de pessoas que acreditam em determida religião e tem isso como fé……..n sei passou dos limites!

    • paulo rato disse:

      Respeitar os outros não implica ter de respeitar aquilo em que acreditam, mas tão-só o seu direito de agir livremente e praticar os seus ritos, segundo as suas crenças. Mas, atenção, se alguém tentar impor a outros aquilo em que acredita, generalizando uma sacralização que se confina apenas aos crentes, então está, sem reticências, a desrespeitá-los! Estamos no caso do “Charlie Hebdo”: goste-se ou não do estilo, os seus cartunistas e redactores têm todo o direito de gozar com o que quiserem, incluindo com o que, sendo sagrado para uns tantos, não tem, para eles qualquer transcendência. Senão, se me é vedado brincar com o que os cristãos, os muçulmanos, os hindus ou os “cherokees” consideram sagrado, então resta muito pouco para exercer o que, afinal, é o direito reconhecido a todos e cada um, a liberdade de pensamento e da sua expressão. Os direitos humanos, eis os únicos princípios que têm de ser aceites como sagrados “urbi et orbi” (o que, mesmo assim, não pode impedir que sejam objecto de piadas que não os ferem nem destroem pois, afinal, são emanação deles). Todo o fanatismo é perigoso! Muito mais perigoso que qualquer pretenso insulto a “crenças” ou “valores”.

    • raul disse:

      Seu comentario me instigou a pensar: Por nao se pode criticar ou discordar do catolicismo? Ate quando a arte precisará ser justificada? Outro ponto retrata Como uma peça feita Para um espaco publico e universitario sofreu este tipo de processo judicial, sendo que, o padre baseia-se num video. Nos Como atores compreendemos que a arte teatral se faz ao vivo e Para aquele momento, se sua plateia nao se incomodou, pq un telepectador se ofenderia. Me encomoda mais as praticas desta instistuicao religiosa praticou Para obter ascensao e nao ouve nada de bonzinho e sim muito autoritarismo. O Zé é fantastico e Está de parabens.

    • Arnaldo arruda disse:

      Concordo. Parabens.

  28. Michel Loos disse:

    E assim que a ditadura volta, via a horrivel censura. Abaixo totas as religioes.

  29. Luiz Diego Montes disse:

    É um absurdo, a cena deve ser livre de seus pré conceitos, ela existe para afrontarmos o pensamento, pois não devamos ser lineares em nossas visões. É de se envergonhar que nossas leis interpretem dessa forma artista brasileiros, cidadãos que resistem em suas esferas por um Brasil de múltiplas linguagens, e que pense. Interpretem.

  30. sonia lucena disse:

    Aconselho o padre a ir rezar ou arranjar o que fazer. Não é possível que ele não reconheça o autoritarismo da sua igreja.

  31. well disse:

    Gostaria que a fé também cuidasse dos impropérios pronunciado por pastores no Congresso Nacional, que utilizando da fé da população criminalmente movem seus interesses pessoais contra a minoria LGBT, promovendo um processo de fundamentalismo arbitrário em nome de Deus….Esses líderes ditos evangélicos que se apropriam do ensinamento religioso para manipular as leis e incentivar a violência homofóbica no Brasil…. para isso o reverendo moralista não tem se preocupado, pois quem está morrendo nas ruas são, além jovens gays, quaisquer um dos cidadãos que abrace um amigo, ou até um pai que abrace um filho… essa horda não representa perigo pois tem a procuração de Deus para castigar a humanidade.

  32. Conceicao disse:

    E ainda duvidam que nosso país vive uma ditadura civil?

  33. antonio disse:

    Devem evitar sim debochar da fé das pessoas.Tanto assunto por ai e vai mexer com a religiosidade dos outros.Depois pega uma papuda e fica chorando que não tem liberdade para nada.

  34. Ronaldo Miranda disse:

    Culpa?
    Zé Celso tem importancia ilimitada no teatro brasileiro.
    Sempre lutou pela liberdade de expressão.

  35. Cláudio Luiz Garcia disse:

    até quando uma atitude estética contemporânea será julgada por um ignorante que se quer compreende o papel do teatro na cultura? Esse religioso é um sujeito que não deveria estar no youtube e sim de joelhos rezando pela ignorância do mundo da qual ele faz parte. Ele é prejudicial a fé, muito mais do que o Teatro Oficina. Frequentei por muitos meses as peças do Teatro Oficina, quando morei em São Paulo, entre 2008-10, período em que a minha fé no ser humano e em Deus aumentou.

  36. José de Souza lopes Junior disse:

    O que um Padre Obscuro entende da vida? Se recusaram a viver uma vida dentro da sociedade e se escondem em uma religião qualquer. E não é só Padre qualquer um que falae me nome de Deus.

    Tenho medo de pessoas que dizem saber o que Deus pensa, ou quer de nós.
    Repudio Total a esse tipo de atitude

  37. Jorge Cruz disse:

    O nome disso é inquisição, imagina uma peça, baseada na realidade da igreja católica, sobre a pedofilia, onde um Cardeal, Bispo e Padres sejam castrados. No minimo estes fantoches da ignorância iam mandar Zé Celso e os demais atores para a fogueira por heresia. Acorda igreja católica, acorda mundo cristão ou a corda vai partir.

  38. pedro disse:

    Acho descabido a atitude do Pe e tambem da justiça em se tratando de arte. Coisas piores a gente vê nas novelas, etc. Se condenar vai pegar mal para o Brasil. Que país é esse…

  39. Paulo Rato disse:

    Não conheço a legislação brasileira. Mas o Brasil apresenta-se como um estado de direito, onde a liberdade de expressão é fundamental. Os actores não têm um advogado que os defenda? A actuação do padre é criminosa, a do representante do Ministério Público é, pelo menos, incompetente, já que lhe cabe, antes de mais, defender os princípios constitucionais que, decerto, consagram direitos fundamentais dos cidadãos cujo exercício é posto em causa pela infundamentada e maldosa acusação do padre. De imediato, mesmo não conhecendo a redacção completa do artigo do CP invocado, torna-se evidente que, tendo o clérigo fascistóide assistido à peça através de um vídeo colocado no “Youtube”, fica desde logo anulada a alegação de existência de “escarnecimento de alguém publicamente por motivo de crença ou culto religioso”, já que esse alguém teria de estar presente “no acto”, não sendo sequer passível de acolhimento qualquer protesto baseado na sua presença – voluntária – como espectador de uma peça de teatro cujo teor, naturalmente, não lhe é pessoalmente dirigido. Estou quase certo de que um advogado razoável e motivado pela defesa da democracia dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão encontrará fundamento para processar o padre e o Estado (ou apenas o seu imbecil representante envolvido no caso, cuja tentativa de abuso de poder também deve constituir crime, creio, na legislação brasileira), por violação desses direitos fundamentais.
    Há que continuar a divulgar internacionalmente o caso, universalizando toda a sua carga fascizante e, simultaneamente, risível. Mas não ficando apenas por uma posição defensiva, antes passando ao ataque, insistindo na caracterização criminosa da acção dos acusadores (padre e Ministério público) e, também (ridendo castigat mores) no ridículo de que estes se cobrem. Não acredito que, face ao reconhecimento geral da importância cultural de José Celso e da sua Companhia, ao seu destaque público, não se encontrem, mais do que um, vários causídicos que se disponham a afiar o dente justiceiro no osso podre dos imbecis que resolveram criar um caso tão idiota como este.

  40. Ana Cláudia Cavalcante Gomes disse:

    Só podem estar de brincadeira! Será a volta da ditadura ou o juiz concorda que teatro e toda forma de arte, que não concorda com a autoridade vigente, é demoníaca e deve ser decapitada?
    Vão ler Brecht ! Acho que é isso, falta leitura, falta cultura, falta educação para o clero e magistrado.

  41. Esmael Leite da Silva disse:

    Conheço Zé Celso desde os ano 70, quando abrimos o Centro de Estudos Políticos e Sociais do ABC conjuntamente com o Comitê Brasileiro de Anistia – Regional ABC, ele esteve lá para prestigiar, dar palestra e dar apoio, doou para o o CEPS e para CBA-ABC, dezenas de cadeiras do Teatro Oficina para que pudéssemos mobiliar nosso salão, homem generoso e de maravilhosas convicções utópicas, não pode ser aviltado com a possibilidade de ser preso, manifesto meu repúdio contra este padre e contra qualquer um que atente contra este ícone da cultura e da política brasileira. Zé Celso talvez não saiba, mas mora no corações de muitos da classe trabalhadora. vamos ficar de olho nestes promotores e no juiz, espero que não cometam nenhuma sandice e nem tentem inovar. Estamos com você Zé Celso.

  42. Sérgio disse:

    É INTERESSANTE QUANDO SE FALA EM RESPEITO, MAS NÃO SE RESPEITA O OUTRO. O DIREITO A FAZER O QUE QUER OU FALAR O QUE QUER, TEM O LIMITE DO DIREITO DO OUTRO. A ARTE NÃO TEM MAIS PRIVILÉGIO DO QUE A CRENÇA E VICE E VERSA. PRA QUE ISSO??? TEM PADRE COMENDO CRIANCINHA, DENUNCIE ELE. ENTRE COM PROCESSO CONTRA ELE. ASSIM COMO TEM PADRE PODRE, TEM ARTISTA PODRE TAMBÉM. É UM FAVOR DENUNCIAR A MAÇA PODRE. QUEM TIVER MEIOS, VÁ A UMA DELEGACIA E DENUNCIE. MAS RESPEITEM O DIREITO DO RESPEITO.

  43. Ju disse:

    Que absurdo! Esse padre não tem coisa mais importante pra fazer não? Se seguir nessa linha, decretamos o fim do cinema, da literatura e assim por diante.

  44. lilian de almeida disse:

    o PADRE se incomodou. viva a igreja catolica. viva ao autoritarismo. parece até q esse padre é ator do oficina… que ele ta interpretando. Surreailismo Catolico Brasileiro.

  45. dieter disse:

    Uns tem direito de se expressar, outros o de se ofender.

  46. Cione FG disse:

    Vivemos tempos onde relembramos que inteligência, o talento, a criatividade e a desobediência sempre assustaram as ditaduras. Ja vi esse filme e me assusta senti-lo tão perto.

  47. Edu Alves disse:

    Eu também vou processar a santa Madre igreja pelos atrasos científicos advindos da Inquisição, pela pregação da pobreza em templos cobertos de ouro (que apesar do valor artístico são de cunho ostensivo) e os escândalos de pedofilia envolvendo os homens de batina, dos quais só 0,5% são apurados!

  48. Eliane disse:

    Esse padre deveria procurar o que fazer. Ele deveria procurar afastar e condenar os padres pedófilos e corruptos existentes na igreja católica ao invés de perseguir quem procura levar cultura e diversão a população.

  49. Lia disse:

    Desculpe Iara Guerra, sou católica praticante e em nada a peça afeta minha fé . Se não somos capazes de discutir o papel da Igreja na história não evoluímos como instituição. Para isso serve a arte em todas suas formas, acender o debate. A peça não criticou crenças mas o suposto autoritarismo do Papa. Eu admiro muito Benti XVI, e acho que foi injusticado, mas eu o defenderia de outra maneira.

  50. Mônica Alves disse:

    Esse episódio é uma demonstração em favor da censura. Não se pode permitir que aconteça retrocesso na arte. Afinal a ditadura acabou. Viva a liberdade de expressão!

  51. SILVIO MIGUEL GOMES disse:

    Eu sou CAtólico e ajudo muito com contribuições a Igreja Católico e tenho certeza de que há muitos problemas mais sérios a tratar do que essa besteira desse padre.
    Um Bispo (não li a matéria por falta de tempo) também fez (ou melhor falou) besteira dizendo sobre a pedofilia: “há crianças que provocam”.
    E é inaceitável que a o PM e a Justiça perca tempo com censuras a arte enquanto enfrentamos gravíssimo problemas como pedofilia por exemplo. E o abuso sexual em grande parte (dizem que até 70% ) vem dos pais e do convívio.

  52. Francine disse:

    Aceitar proposta de transação penal não significa assumir a culpa. É um acordo para que a persecução penal não siga adiante em casos de “crimes menos graves”.

  53. Vando Juvenal disse:

    Contra essa babaquice jurídico-religiosa, vou abrir hoje e começar a ler o que me espera há anos: ZÉ CELSO MARTINEZ CORREA, da série Encontros, da Azougue Editorial. Porque “rexistir é preciso”.

  54. Clarisse Terra disse:

    Situação que nos remete à Santa Inquisição; a cultura continua vítima histórica de todo tipo de censura e a da “Eclesia” é a pior delas.Muita hipocrisia!!!

  55. Tamayo Nazarian disse:

    Parabéns ao Zé e ao Oficina pela coragem e a FÉ de sempre, que não arrefecem diante do mais sombrio dos tempos; essa neo-Idade Média regida pelo medo; essa ditadura difusa e imprecisa, mas tão contundente quanto a que se estabeleceu há cinquenta anos no Brasil. Vivemos sob a égide medonha do “bom-comportamento”, tendo a verdadeira ética e humanismo sumidos do mapa e substituídos por um simulacro nefasto chamado “politicamente-correto”… EVOÉ! (Vida longa aos heróis do TE-ATO OFICINA.)

  56. Sônia Mota disse:

    A que ponto chegamos meu deus!!!! abrir um inquérito contra a liberdade de expressão??? tenho medo de voltar pro meu país!
    Quem é seguro de si, não precisa se sentir ofendido e nem atacar ninguém!
    Rezo pela civilidade do meu país.

  57. manuel saraiva disse:

    De ficar triste e, com ganas de bradar aos céus, o retorno ao passado.

  58. Luís Mauro Castro Vianna disse:

    Ridículo, sem cabimento, atraso cultural!

  59. José Roberto Mesquita disse:

    Só digo isso: de acordo com a Lei não ficarão presos…no máximo é prestação alternativa de pena…então vamos parar de choradeira…

  60. afo disse:

    Se tivessem que levar esses pedófilos á justiça toda vez que eles abusam das crianças, essa religião não teria mais ( padres ) !!!!

  61. Maria Melko disse:

    Que absurdo, isso é ditadura!!! A arte tem que ser livre, não pode ser amordaçada por preconceitos alheios. Me admiro o MP propor aos réus uma “confissão de culpa”. Culpa de que? De fazer arte? De se manifestar livremente, conforme previsto na nossa Constituição Federal??? ABERRAÇÃO!!!

  62. sissa Leles disse:

    Cruzes! Lembra os tempos da ditadura militar ou do tribunal da inquisição!!! Que a voz da arte fale sempre mais alto que os preconceitos de alguns!

  63. Fernando disse:

    O mundo está cada vez mais burro, limitado, preconceituoso e cego. O Oficina é um grande antídoto para isso. Trabalho magnífico desse grupo obstinado e mega talentoso de atores, que merece todo respeito e mais incentivo.

  64. Fernando disse:

    O mundo está cada vez mais burro, limitado, preconceituoso e cego. O Oficina é um grande antídoto para isso. Trabalho magnífico desse grupo obstinado e mega talentoso de atores, que merece todo respeito e mais incentivo.

  65. josé moreira de oliveira disse:

    falta do que fazer. é ridícula essa censura religiosa e a justiça deveria se preocupar mais com a corrupção que assola o país e inteiro… e não ficar perseguindo artistas, que simplesmente trabalham e cumprem seus papéis.
    a justiça brasileira deveria ter mais respeito com o cidadão, sobretudo, um artista como josé celso martinez corrêa, que tanto já contribuiu e contribui para a cultura deste país.
    um cidadão que, ao contrário dos políticos, a idade não conta para trabalhar.
    palmas para você e seu grupo, zé celso! e que o resto vá à merda…

  66. João Antônio Rocha Ferreira disse:

    Amo muito o meu país, mas de uns tempos pra cá estou sentindo vergonha do meu país. Nunca vi tantas ações ignorantes, tantos dizeres descabidos, tanto preconceito, tanto fundamentalismo religioso, tanto atraso como estou vendo atualmente. É uma vergonha. E a “família tradicional brasileira” agradece.
    #afamiliatradicionalbrasileiraNÃOMEREPRESENTA

  67. Irma Freitas Dos Santos disse:

    Arte é arte!todos somos livres pra manifesta-la como queira.lembram da Monalisa?

  68. Sérgio Luiz disse:

    Coisa de quem não tem o que fazer. Coisa de religioso, pensei que era o cão raivoso MALANDRÁIA…………

  69. marialucia disse:

    Este cara/padre gosta de aparecer à custa de outros! Claramente, ele faz disso uma profissão. Vejam o que ele fez em 2008:
    “O juiz Oswaldo Henrique Freixinho da 29ª Vara Cível do Rio de Janeiro proibiu a distribuição da revista Playboy de agosto, com Carol Castro na capa. A Editora Abril foi impedida pelo juiz de mandar paras as bancas novas tiragens da revista que contenham a foto onde a atriz, seminua, segura um terço em uma das mãos, sob pena de multa diária de R$ 1.000.
    A decisão do juiz foi motivada por uma ação conjunta movida pelo Instituto Juventude Pela Vida, do Rio de Janeiro, e pelo padre goiano Luiz Carlos Lodi da Cruz, que consideraram a foto de Carol Castro um desrespeito com as instituições religiosas.”

  70. jocelia Moura disse:

    A arte é encantadora e uma forma de expressarmos sem culpa as nossas vontades, tive o grande prazer de assistir os sertões na cidade de Quixeramombim- Ce, um grande espetaculo e pensei… imagina o que esse padre faria se visse esse teatro, Zé Celso, vc é 10, tem um enorme talento e uma simplicidade do mesmo tamanho, que as cortinas do seu palco continue abertas e vc mostre ao seu publico o seu show!

  71. Roberto Gonzaga disse:

    um absurdo e o Zé nem tava falando dos casos de pedofilia dentro das igrejas ta foda esse governo implantando aos poucos sua lógica de dominação populista eu como estudante do bacharelado de artes da UFBA sinto-me envergonhado.

  72. francisco de Souza Neto disse:

    Sera que esse padre, já entrou na justiça, contra algum colega dele, por pedofilia?

  73. Cleydson Nascimento. disse:

    A arte precisa ser livre de tudo para ser arte.

  74. Ezio rocha disse:

    O que dizer ???????????? Só falta convocar GENERAIS e patentes militares para presidir JURI da INQUISIÇÃO…

  75. sergio ricardo nunes salgueiro disse:

    ficou claro no episódio que a figura a ser decaptada é o padre de Goiais.

  76. Diogo Rocha disse:

    Religião: Câncer da humanidade

  77. jose da silva xavier disse:

    O padre em questão deveria preocupar-se com os pedófilos seus colegas de batina, os crimes perpetrados pela sua igreja contra os índios e os negros(não tinham alma, lembram do padre Anchieta?)e a riqueza monumental do vaticano, com o acumulo de obras de arte e objetos de valor inestimável!.O Papa bento foi uma aberração . Tem que ser malhado mesmo!!!Nazista declarado!!!

  78. Lucas Cabette Fabio disse:

    – Os atores não correm risco considerável de serem presos. Mesmo que sejam condenados, é muito provável a conversão da pena em restritiva de direitos. Além disso, a tendência é que ocorra a absolvição em primeiro grau ou em instância recursal pois;
    – De fato, é inconstitucional condenar alguém criminalmente pelo conteúdo de apresentação de cunho artístico.

  79. marina salgueiro disse:

    Se encenassem uma peça decapitando o meu pai eu me sentiria ofendida sim. O Zé Celso realmente exagerou ao pegar um boneco do Papa and cut his head off. Existe a lei da ação e reação, né? ?

  80. christina disse:

    Cuidado com a inquisição! Agora que a igreja não pode mais queimar ninguém na fogueira, utiliza dos parceiros juristas pra isolar outras formas de pensar e agir.

  81. Cláudio costa disse:

    Se não se puder encenar mais nada de dramaturgos ateus fica dificil, agora querer entrar com um bonecão de olinda do papa dentro de uma PONTIFICIA UNIDADE CATÓLICA, só prova o pensamento juvenil da galera, infelizmente é fático pensamentos ditos excessivamente libertários, ou ligados a ocupação de espaço do gramsci não deveriam procurar por a cabeça na boca do leão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *