Saiba quem eram os guarda-chuvas coloridos da Virada

Cores da Bruta no Viaduto Santa Efigênia, no centro de São Paulo – Foto: Allis Bezerra

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Quem andou pela região da estação São Bento do metrô de São Paulo, neste último fim de semana de Virada Cultural, certamente pode ter se cruzado com um grupo que segurava guarda-chuvas cobertos por panos coloridos, perambulando pela metrópole.

O Atores & Bastidores do R7 desvenda o mistério: tratava-se da performance Cartografia do Esquecimento, com a Cia. Bruta de Arte, que completa dez anos neste 2015.

Debaixo dos guarda-chuvas coloridos estavam os atores Angela Ribeiro, Ana Pereira, Ana Lucia Felippe Felippe, Ronise Martins de Barros, Paulo Maeda, Wanderley Salgado, Marba Goicochea, Camila Cohen, Teka Romualdo, Fabiana d’Praga, Ana Carolina Guedes, Helder da Rocha, Washington Calegari, Leonardo Rodrigues e Tico Dias.

O figurino chamativo foi feito pela costureira Idacy de Souza, enquanto Hélder Rocha e Roberto Audio fizeram a iluminação.

Aliás, a ideia foi de Audio, que também assinou a direção. Gustavo Viana e Diogo Moreira registraram em vídeo para a posteridade. No apoio, estiveram os bravos Fábio Baldo, Daniela Oliveira, Ilton Toshiaki, Bruno Félix Dos Santos e Thammy Alonso, esta última como assistente de direção.

Guarda-chuvas vibram no largo São Bento em plena Virada – Foto: Allis Bezerra

Ainda comemorando os seus dez anos, a Cia. Bruta de Arte apresenta suas peças no Espaço Satyros 1, na praça Roosevelt, em São Paulo, até o fim do mês de julho.

Toda quarta, 21h, tem Fotossensível, na qual os atores se aproximam do público e misturam realidade e ficção. Às quintas, também às 21h, tem o sucesso Máquina de Dar Certo, com um grupo de humanos aprisionados e vítimas de um estranho experimento.

Já às sextas, eles mudam de endereço e apresentam a peça Pequenos Burgueses, Rapsódia em Duas Partes, sempre às 20h, na Casa Livre (r. Pirineus, 107). A peça mostra um embate de gerações na Rússia do começo do século 20.

Todas as peças têm entrada a R$ 30.

Cenas da peça Máquina de Dar Certo, da Cia. Bruta de Arte, sob direção de Roberto Audio: toda quinta, 21h, no Espaço dos Satyros 1, na praça Roosevelt – Foto: Giorgio Onofrio

Curta a nossa página no Facebook

Leia também:

Saiba o que os atores fazem nos palcos e nos bastidores

Descubra a cultura de uma maneira leve e inteligente

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Phillipe disse:

    Achei a proposta interessante. Certamente tem uma referência ao trabalho OS GUARDA-CHUVAS DO AMOR, filme com Catherine Deneuve, que, por sua vez, deve ter influenciado em parte a coreografia do videoclipe IT´S OH SO QUIET, da islandesa Björk. Maravilhas do mundo globalizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *