Ocupação Preta se mobiliza contra perseguição de religiões afro-brasileiras

Ilu Oba de Min participa da Ocupação Preta, contra a perseguição religiosa no Brasil - Foto: Roberto Assem/Divulgação

Pelo respeito a todas as religiões: Ilu Oba de Min participa da Ocupação Preta, contra a perseguição religiosa no Brasil – Foto: Roberto Assem/Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Infelizmente, estão se tornando cada vez mais constantes nos noticiários histórias de invasão de templos religiosos, agressão de fiéis e até destruição de imagens de culto no Brasil. Tudo no intuito de perseguir e demonizar as religiões de matriz africana.

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República recebe uma denúncia desse tipo a cada três dias.

Tais atitudes são criminosas, já que o país que tem a liberdade religiosa garantida na Constituição. A Lei da Liberdade de Culto foi criada em 1946 pelo escritor baiano Jorge Amado, na época deputado federal pelo Partido Comunista.

Ao criar a lei, naquela época, Jorge Amado tinha como objetivo justamente acabar com a perseguição que muitos candomblés sofriam da polícia, fato registrado, inclusive, em sua literatura.

O texto desta Lei foi reescrito na Constituição de 1988, que garantiu, em seu artigo 5º, “ser inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias”. O texto ainda garante que “ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política”.

Ocupação Preta

Para reforçar tais direitos e chamar a atenção da população para o tema, acontece no próximo dia 29 de agosto, sábado da próxima semana, a Ocupação Preta.

Estão previstas várias atividades artísticas, como apresentação do afoxé Ilu Oba de Min, do grupo teatral Ewé, do espetáculo Ilé Ti örun, lançamento do disco Black General, de Lillo de la Zikas, e uma roda de conversa com o tema Intolerância Religiosa.

O evento é gratuito e começa às 15h, no Centro Cultural da Penha (largo do Rosário, 20, metrô Penha, tel. 0/xx/11 2295-0401), em São Paulo.

Grupo Ewé participa da Ocupação Preta - Foto: Nrishi Mahe/Divulgação

Grupo Ewé participa da Ocupação Preta – Foto: Nrishi Mahe/Divulgação

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *