“Queria estar no palco com os atores”, diz Adriana Alencar, atriz de Urinal, o Musical

A atriz Adriana Alencar: muito preparo em 15 anos de carreira - Foto: Divulgação

A atriz Adriana Alencar: muito preparo em 15 anos de carreira – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Quando tinha “uns oito, nove anos”, o pai da atriz Adriana Alencar a levou para assistir ao musical Aí Vem o Dilúvio, com direção de Sebastião Apolônio. A menina ficou “completamente encantada”.

Até hoje, jamais se esquece da sensação que a invadiu: “Queria estar no palco com os atores. A cena final, que tinha uma mesa gigante, era linda”, recorda.

Sensível, o pai percebeu o impacto da obra em sua filha e lhe deu de presente o disco do espetáculo. “Ouvia e cantava sem parar. Até hoje lembro das músicas e de algumas cenas. Foi bem marcante”, lembra.

Atualmente, Adriana Alencar realiza aquele sonho de menina, ao integrar o elenco do espetáculo Urinal, o Musical, dirigido por Zé Henrique de Paula no Teatro do Núcleo Experimental, na Barra Funda, em São Paulo. A obra é apontada pela crítica especializada como uma das melhores em cartaz na cidade [veja serviço ao fim].

Adriana Alencar em cena de Bichado, um dos sucessos de sua carreira - Foto: Ronaldo Gutierrez

Adriana Alencar em cena de Bichado, um dos sucessos de sua carreira – Foto: Ronaldo Gutierrez

Cuidado com a atuação

Apesar da paixão na infância, os musicais demoraram a entrar na vida de Adriana. Primeiro, ela se forjou em lugares exigentes com a atuação, passando pelo Grupo Tapa e também pelo CPT (Centro de Pesquisa Teatral), sob comando do respeitado e temido diretor Antunes Filho.

Só depois dessas andanças foi que chegou ao Núcleo Experimental, onde começou a trabalhar a voz de forma mais séria com a ajuda da musicista Fernanda Maia. Antes de Urinal, fez outra montagem marcante, na qual também cantava: Bichado.

Para ter fôlego para agora interpretar Rebeca Chinelão de sexta a domingo em Urinal, a atriz faz aulas de canto e de pilates.

O pendor para a arte se concretizou logo cedo em sua vida. Antes mesmo de ver a tal peça que marcou sua infância, já fazia aulas de balé clássico e de jazz, classes que se estenderam dos seis até os 20 anos. Mais tarde, fez dança para musicais e aulas de sapateado.

Com 15 anos de experiência nos palcos, quando entrou para Urinal, o Musical, passou também a fazer sessões de fonoaudiologia com Silvia Pinho “fonoaudióloga especialista no trabalho com atores e cantores”.

Adriana Alencar (primeira à esquerda) no palco com elenco de Urinal, o Musical - Foto: Ronaldo Gutierrez

Adriana Alencar (primeira à esquerda) no palco com elenco de Urinal, o Musical – Foto: Ronaldo Gutierrez

Trabalho de formiguinha

A atriz explica por que tanto cuidado no preparo. “O mercado pede e exige cada vez mais profissionais muito bem preparados, com total domínio da voz, dança e atuação também”.

E lembra que aprender bem tudo isso “é um trabalho de formiguinha”: “Tem de ter disciplina, dedicação, compromisso com você mesmo”, lembrando que não acontece mágica da noite para o dia. “O aprimoramento de qualquer artista se faz com o tempo”, diz.

Adriana espera obter o reconhecimento de tanta dedicação. “Acredito que se a pessoa for talentosa, dedicada, paciente e perseverante, em algum momento, em algum lugar, ela vai poder ser capaz de mostrar o seu melhor e contribuir com o seu grupo”, conclui.

Urinal, o Musical * * * * *
Avaliação: Ótimo [leia a crítica]
Quando: Sexta e sábado, 21h. Domingo, 19h. Segunda, 21h. 125 min. Até 12/10/2015
Onde: Teatro do Núcleo Experimental (r. Barra Funda, 637, Barra Funda, São Paulo, tel. 0/xx/11 3259-0898)
Quanto: R$ 60 (sex. e seg.) e R$ 80 (sáb. e dom.)
Classificação etária: 10 anos

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *