Ai, que Saudade! Coisas Invisíveis, da Cia. Clara de Teatro

Coisas Invisíveis, peça de Gustavo Naves Franco com a Cia. Clara de Teatro, de 2003, dirigida por Anderson Aníbal: em primeiro plano, os atores, Henrique Meirelles e Marcelo Castro; ao fundo, os músicos Marcos Marangon e Lucas Faria - Foto: Pedro Barros

Coisas Invisíveis, peça de Gustavo Naves Franco com a Cia. Clara de Teatro, de 2003, dirigida por Anderson Aníbal: em primeiro plano, os atores, Henrique Meirelles e Marcelo Castro; ao fundo, os músicos Marcos Marangon e Lucas Faria – Foto: Pedro Barros

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Uma dose forte e única de pura nostalgia. Em 2003, há exatos 12 anos, a Cia. Clara de Teatro, dirigida por Anderson Aníbal em Belo Horizonte, lançou seu segundo espetáculo: Coisas Invisíveis. O texto de Gustavo Naves Franco, dirigido pelo próprio Aníbal, marcou a cena por sua docilidade e poesia. Entre as diversas formações de elenco, passaram pela obra nomes como Grace Passô, Ana Vida, Henrique Meirelles e Marcelo Castro. Junto de Todas as Belezas do Mundo, de 2001, e Cinema, de 2005, a peça integrou a Trilogia A Natureza das Coisas. Ai, que saudade!

Veja outras edições da coluna Ai, que saudade!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *