Orpheus reúne Vera Lafer e Marilena Ansaldi novamente no palco

A bailarina Vera Lafer voa no palco - Foto: Leandro Menezes

A bailarina Vera Lafer voa no palco – Foto: Leandro Menezes

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Quem viu Paixão e Fúria – Callas, o Mito, espetáculo de dança dirigido por José Possi Neto, sabe a potência que é o encontro no palco das bailarinas Vera Lafer e Marilena Ansaldi, nomes do primeiro time da dança brasileira.

Pois quem perdeu tem nova chance. As duas, mais uma vez sob batuta de Possi Neto, estão em Orpheus, espetáculo que chega ao Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, nesta sexta (23). Assim como em Paixão e Fúria, Anselmo Zolla assina as coreografias da montagem da Studio3 Cia. de Dança.

“Orpheus é um espetáculo que me deixa sem palavras. Dividir o palco com Marilena Ansaldi é como desenhar a arte em palavras e movimento”, define Vera Lafer.

Marilena, por sua vez, conta que ficou lisonjeada ao receber novo convite da dupla formada por José Possi Neto e Anselmo Zolla. “Abro o espetáculo declamando um poema de Maiakovski. Digo esse texto com muita paixão”, adianta.

Marilena Ansaldi declama Maiakovski em Orpheus - Foto: Leandro Menezes

Marilena Ansaldi declama Maiakovski em Orpheus – Foto: Leandro Menezes

Ela ainda revela mais: “Em Orpheu, faço um personagem masculino. É uma figura que perambula pelo universo”, entrega. A bailarina gostou da possibilidade de falar no palco, além de dançar. “Sempre fiz teatro-dança e há muito tempo não me expressava através de um texto. É com muita alegria que estou fazendo este espetáculo ao lado da Vera Lafer e da Studio3 Cia. de Dança”.

Na obra, segundo o diretor e o coreógrafo, “o mito de Orpheu está entre as sombras e os sonos noturnos de uma metrópole caótica como São Paulo e, ao mesmo tempo, envolto no mistério da Amazônia e seu verde obsessivo”, com referências ainda ao “coração do Carnaval do Rio” e à “dança visceral da possessão dos deuses africanos na Bahia de Todos os Santos”.

A encenação ainda reserva espaço para participações especiais em voz de Zizi Possi e Tiganá Santana. As músicas são de nomes tarimbados, como Christoph Gluck, Tom Jobim e Felipe Venâncio, com letras de Vinicius de Moraes.

Orpheus
Quando: Sexta, 23 de outubro, às 21h; Sábado, 24 de outubro, às 21h; Domingo, 25 de outubro, às 18h. 70 min, sem intervalo. Até 25/10/2015
Onde: Teatro Sérgio Cardoso (r. Rui Barbosa, nº 153, Bela Vista, São Paulo, SP – tel. 11 3288-0136)
Quanto: R$ 60 reais (inteira) e R$ 30 reais (meia)
Classificação etária: Livre

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *