Rapidinhas Teatrais

Denise Stoklos: nova peça no Sesc Consolação, em São Paulo - Foto: Divulgação

Denise Stoklos: nova peça no Sesc Consolação, em São Paulo – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Sexta-feira 13
Denise Stoklos parece não ter problema de achar que o número 13 dá azar. Pelo jeito, ela acredita que dá sorte. Tanto que estreia nesta sexta-feira (13) sua nova peça, Vendo Gritos e Palavras – Um Recital, que ficará em cartaz até 13 de dezembro, no Teatro Anchieta do Sesc Consolação, em São Paulo.

Amor argentino
Na obra, Stoklos confirma ser mesmo apaixonada pelos autores argentinos. A peça é inspirada em Julio Cortázar, escritor argentino. Ela também já fez peça baseada em outro importante autor do país vizinho, Jorge Luis Borges.

Equilíbrio
Denise manda avisar à coluna que dessa vez sua peça oferece “equilíbrio entre corpo e palavra”, já que há maior quantidade de texto em cena.

Intensa
A atriz ainda diz que a peça surgiu por conta do centenário de Cortázar, celebrado em 2014: “Fui convidada para fazer uma leitura em um evento e escolhi alguns contos e textos do autor. A identificação que já havia, cresceu em intensidade. Não consegui recusar o convite para viajar na liberdade de Cortázar”, diz, empolgada.

Wilson e Luiz Antônio Jr.: espectador especial na sede d'A Outra Companhia de Teatro, em Salvador - Foto: Divulgação

Wilson e Luiz Antônio Jr.: espectador especial na sede d’A Outra Companhia de Teatro, em Salvador – Foto: Divulgação

Quando a arte vale a pena
O ator Luiz Antonio Sena Jr. ficou emocionado nesta quinta (12), durante a apresentação da peça Ruína de Anjos, de seu grupo A Outra Cia. de Teatro, em Salvador. O motivo foi alguém especial na plateia, como conta: “O nome dele é Wilson. É morador do Politeama, vizinho da Casa d’A Outra. No caminhar do Ruína de Anjos, ele cruzou com a gente tantas vezes, mas sempre assistindo aos pedaços a história que embaralha realidade e ficção. Pois hoje ele veio pra enxergar tudo, do começo ao fim. Sozinho, esteve na sede d’A Outra na segunda pra confirmar quando iria ter peça. Pois não é que ele veio?! Chegou, tomou um susto quando eu disse que meu nome na peça era Wilson, Cheguei a ver seus olhos brilhando. mas ele não quebrou a magia, seguiu, encantado, testemunhando tudo, pulando no bloquinho, vendo as situações atravessando as ruas do centro da soterópolis. e quando terminou ele não quis ir logo embora, entrou na Casa e veio logo me abraçar. Wilson e Wilson. Não tive como segurar, chorei”.
cartas-libanesas
Potente
O ator Eduardo Mossri chamou a atenção do público do 10º Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba), no interior de São Paulo, com sua performance em Cartas Libanesas, apresentada no Teatro do Sesi de Piracicaba no último sábado (7). O ator foi muito elogiado por lá. Teve gente que se animou tanto que até o pediu em namoro.

Carinho
Eduardo Mossri agradeceu o carinho do público e disse que os espectadores do interior são bem mais carinhosos e companheiros do ator no palco em comparação com os da capital. É verdade.

Alexandre Mate, Valdir Rivaben e Aguinaldo de Souza: de olho no Fentepira - Foto: Rodrigo Alves

Alexandre Mate, Valdir Rivaben e Aguinaldo de Souza: olhar inteligente para o 10º Fentepira – Foto: Rodrigo Alves

Papo inteligente
Os pesquisadores de teatro e professores universitários Alexandre Mate, da Unesp, e Aguinaldo de Souza, da UEL, acompanham atentamente todas as peças do 10º Fentepira, que vai até este domingo (15), somando 17 apresentações gratuitas. Ao fim de cada apresentação, há um debate entre eles, artistas e público, mediado por Valdir Rivaben, curador do festival piracicabano ao lado de Jorge Vermelho. Cada fala dos estudiosos é uma verdadeira aula. Conversa da melhor qualidade.  Leia mais sobre o Fentepira!

Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos: temporada paulistana - Foto: Divulgação

Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos: temporada paulistana – Foto: Divulgação

Cores
Musical inspirado no filme de Pedro Almodóvar, Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos estreia em São Paulo, no Teatro Procópio Ferreira, neste sábado (14). Totia Meireles e Marisa Orth encabeçam o elenco.

Galpão em SP
Será inaugurado no dia 25 de novembro, em São Paulo, o Centro Compartilhado de Criação, ressignificando a sigla CCC (ela dá calafrio em muita gente porque era usada pelo Comando de Caça aos Comunistas, durante a ditadura). O local, no bairro da Barra Funda, tem 1.200 metros quadrados e é uma parceria do produtor Ricardo Grasson e do ator Caco Ciocler. O espaço servirá para ensaios de grandes produções e também para atrações culturais paulistanas. Ele ainda tem um café e local para exposições. Grasson sugere vocação acolhedora: “Nossa ideia é que o espaço seja também um ponto de encontro para a classe artística de São Paulo”.

Grupo Magiluth faz temporada paulistana de O Ano em Que Sonhamos Perigosamente - Foto: Renata Pires/Divulgação

Grupo Magiluth faz temporada paulistana de O Ano em Que Sonhamos Perigosamente – Foto: Renata Pires/Divulgação

Perigosos
O Grupo Magiluth, de Recife, estreou sua nova peça, O Ano em Que Sonhamos Perigosamente, no Sesc Belenzinho, em São Paulo, nesta quinta (12). Ficam por lá até dia 29 de novembro, de quinta a sábado, 21h30, e domingo e feriado, 18h30. Os rapazes pernambucanos pedem para a coluna avisar que adorariam ver todo mundo por lá. Então, separe um dia e vá.

Epifânicas
Os transeuntes do centro paulistano terão um pouco de poesia no fim do expediente de sexta-feira. Sempre neste dia, a partir das 18h, a Cia das Atrizes faz intervenções no Viaduto do Chá. Tudo em prol de seu projeto Epifanias Urbanas: Queimadas das Secretárias.

Cia das Atrizes faz intervenção nas ruas de SP - Foto: Pedro Hurpia/Divulgação

Cia das Atrizes faz intervenção nas ruas de SP – Foto: Pedro Hurpia/Divulgação

Polifônicas
Elas definem o projeto assim: “Um desafio ou, no mínimo, um comentário poético sobre as grandes cidades com a tentativa de modificar o significado ou as expectativas do senso comum, quanto ao cotidiano em que ‘nada acontece’ em meio a tantas informações”.

Tem mais
As garotas ainda farão mais intervenções pela cidade, aos sábados. Mas só vão revelar o endereço em seu site. Tá bom?

Peça sobre Noel Rosa é encenada no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo - Foto: Divulgação

Peça sobre Noel Rosa é encenada no Teatro Ruth Escobar, em São Paulo – Foto: Divulgação

Dose dupla
Além de encenar o clássico O Mambembe (sábados, às 21h e domingos, às 19h), com direção de Jair Aguiar, no Teatro Paiol Cultural, a Cia das Artes volta com um dos seus espetáculos de repertório: O Poeta Da Vila E Seus Amores, com direção de Antonio Netto. Reestreia nesta sexta-feira (13) às 21h30 no Teatro Ruth Escobar (Sala Dina Staf). No palco, vida e obra de Noel Rosa. Sextas e sábados às 21h30 e domingos às 19h30, até 28 de novembro. Vai, gente!

Cartaz da peça Mistérios Gozósos, do Oficina - Foto: Divulgação

Cartaz da peça Mistérios Gozósos, do Oficina – Foto: Divulgação

Hora da Virada
Zé Celso já decretou. A nova peça do Oficina, Mistérios Gozósos, terá sessão no dia de Natal, 25 de dezembro, e no dia 31, noite de Ano-Novo, sempre começando às 21h. Ou seja, quem ficar em São Paulo poderá começar 2016 com pé direito junto da companhia teatral mais intensa do Brasil.

Criada por Alexandre D’Angeli, Listening To The Sheep Sleeping, traz um sujeito híbrido, um homem carneiro deitado sobre uma cama de casal, onde o público pode se deitar ao lado do performer e escolher ouvir um dos quatros textos escritos pelo autor e cartunista Caco Galhardo - Foto: Divulgação

Criada por Alexandre D’Angeli, Listening To The Sheep Sleeping, traz um sujeito híbrido, um homem carneiro deitado sobre uma cama de casal, onde o público pode se deitar ao lado do performer e escolher ouvir um dos quatros textos escritos pelo autor e cartunista Caco Galhardo – Foto: Divulgação

Performando
Recém chegado da Europa, o performer Alexandre D’Angeli participa do projeto Segunda da Performance, na próxima segunda (16), no Palacete Carmelita (r. Dom Francisco de Souza, 165, Luz, São Paulo), com entrada a R$ 20.

Sêxtuplo
Das 19h às 23h, D’Angeli fará seis ações diferentes do antigo hotel no centro paulistano: Para que as Coroas Venham ao Chão, 436, Listening to the Sheep Sleeping, Objeto de Valor, Resíduo e Quase. Estão todos convidados.

Cartaz da Satyrianas 2015: todos podem conviver num mesmo espaço - Foto: Divulgação

Cartaz da Satyrianas 2015: todos podem conviver num mesmo espaço – Foto: Divulgação

Satyrianas vem aí
A 16ª edição do festival Satyrianas será realizada das 18h do dia 19 de novembro até a meia-noite do dia 22 de novembro. São mais de 600 atrações em 78 horas ininterruptas de programação na praça Roosevelt e em teatros em seus arredores, em São Paulo. O esquema é pague quanto puder na maioria das atrações. O tema é Caldeirão de Culturas, propondo uma convivência democrática e respeitosa das pessoas. Coisa que tanto falta faz. Em breve, a programação completa estará no site do evento coordenado por Gustavo Ferreira, do grupo Os Satyros, e fundado por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez.

 

 

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *