O Retrato do Bob: Sylvia Prado, força absoluta

A atriz Sylvia Prado - Foto: Bob Sousa

A atriz Sylvia Prado – Foto: Bob Sousa

Foto BOB SOUSA
Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Sylvia Prado acaba de dar vida à emblemática Neusa Sueli, mulher concebida por Plínio Marcos para a Navalha na Carne do Oficina dirigida por Marcelo Drummond. Mal se despiu da personagem, veste outra: Lurdz, a Paulista, em Mistérios Gozósos, que o Teat(r)o Oficina estreia na próxima sexta (20), sob direção e dramaturgia de José Celso Martinez Corrêa, nosso Zé Celso, a partir de  O Santeiro do Mangue, de Oswald de Andrade. Com formação pelo Indac, a atriz está no Oficina desde final da década de 1990. Recentemente, na Odisseia Cacilda, deu vida a Cacilda Becker, na companhia de Camila Mota. No cinema, é desejada por diretores da cena independente. Atuou no sucesso Tatuagem, de Hilton Lacerda, por exemplo. Camaleônica, Sylvia sempre empresta às suas personagens a força absoluta que tem.

*BOB SOUSA é fotógrafo e mestre em Artes Cênicas pela Unesp. Autor do livro Retratos do Teatro, ele publica sua coluna O Retrato do Bob toda segunda-feira.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *