O encanto de Jéssica Menezes

A atriz Jéssica Menezes: ela tem um encanto que é só dela - Foto: Jennifer Glass/Divulgação

A atriz Jéssica Menezes: ela tem um encanto que é só dela – Foto: Claire Jean/Divulgação Oficina

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

“Vou tomar um banho de sol”, anuncia a atriz Jéssica Menezes, antes de deitar-se na mesa na qual faço um pit-stop entre o ensaio do Teatro-Bloco Pau-Brasil e o show de Juliana Perdigão e os Kurva, na versão verão do projeto Das Bandas do Oficina.

É noite de sexta, faz calor e, com suas luzes e magnetismo tropicalista, o Teat(r)o Oficina está justificadamente o mais belo do mundo, como sabiamente decretou o jornal inglês The Guardian.

Diante da presença incontestável de Jéssica, lhe ofereço meu drinque. Ela aceita, sorvendo o canudinho com ar brejeiro. Devolve o copo. Agradece. Suas pernas balançam ao ar, iluminadas por um foco de luz rosa. Percebo que Jéssica reluz.

E ali ela fica. Curte a música de fundo. Está presente. Dialoga com o que surge ao seu redor.

Até que algo mais forte surge nas caixas de som. É um samba. Jéssica se levanta, encontra colegas artistas da Universidade Antropófaga do Oficina, deixa seu corpo sentir a cadência do ritmo. Em um gesto de ousadia, arrisca um bem executado passo de gafieira.

Fico parado por um instante. Hipnotizado por aquela imagem. E constato uma coisa fundamental: Jéssica tem um encanto que é só dela. E ainda bem que temos Jéssica Menezes.

Jéssica Menezes no camarim do Teat(r)o Oficina - Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Jéssica Menezes no camarim do Teat(r)o Oficina – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício/Divulgação

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *