Globo usa blackface em Marco Nanini e é acusada de racismo

Marco Nanini sugriu de blackface em foto da gravação da novela Eta Mundo Bom!, divulgada pela atriz Flávia Alessandra, que aparece também na imagem - Foto: Reprodução

Marco Nanini surgiu de blackface em foto da gravação da novela Eta Mundo Bom!, divulgada pela atriz Flávia Alessandra, que aparece também na imagem – Foto: Reprodução

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

A Globo resolveu utilizar a técnica do blackface, considerada racista e na qual um ator branco é pintado de preto, no enredo da novela Êta Mundo Bom!, exibida no horário das 18h, escrita por Walcyr Carrasco e dirigida por Jorge Fernando.

Em imagem divulgada no Instagram da atriz Flávia Alessandra, Marco Nanini surge pintado de tinta preta, enquanto cinco mulheres, todas brancas, apontam para ele, sorrindo, entre elas as atrizes Flávia Alessandra e Eliane Giardini, juntas de integrantes da equipe da novela.

Flávia Alessandra legendou: “É o que temos pra hoje… Nanini maravilhoso!!! E a brincadeira é que o disfarce dele vai por água a baixo [sic] pq começa a chover”.

A comunidade negra ficou revoltada com a imagem. Muitos internautas estão comentando na própria foto e nas redes sociais, rechaçando o uso do blackface na trama.

Os internautas lembram que a prática do blackface é um ato racista e que ridiculariza o negro.

Um deles comentou: “negro não é fantasia”. Outro afirmou: “Negro usado como boneco de chacota dos brancos, nojo desse racismo camuflado”. Ao que um outro completou: “Blackface não tem graça. Racismo é crime”.

O site procurou a TV Globo, que não se manifestou sobre o blackface. Apenas informou que “na trama, o personagem de Nanini, Pancrácio, tem o costume de se disfarçar”.

“Racismo contra os brancos”

No Twitter, o autor da novela Walcyr Carrasco disse: “Sinceramente não vou aderir ao radicalismo do politicamente correto. Humor é humor”.

Ele falou que apoia os negros: “Eu sempre a apoiei. Lembrando fui eu que lancei a Tais [Araújo] em Xica da Silva como primeira protagonista negra de novela”, disse, citando a novela que escreveu na Manchete ambientada na época da escravidão em Diamantina.

Carrasco ainda tentou comparar o blackface em sua trama atual com o fato de Grande Otelo ter vivido Julieta, personagem criada por Shakespeare, no cinema: “Uma das grandes cenas do cinema brasileiro foi com Grande Otelo, grande comediante negro, fantasiado de Julieta. É racismo contra os brancos?”.

Uma internauta explicou para Carrasco: “Entendo você, mas não existe racismo reverso, não existe ‘racismo contra os brancos’, eles não foram escravizados”.

Depois, o autor parece ter se arrependido da comparação e respondeu: “Eu só quis dar um exemplo, não existe racismo reverso”.

Carrasco também xingou uma outra internauta: “Então, vá cuidar da sua vida em vez de me atacar aqui. Chata”, escreveu.

Esta não é a primeira vez que uma novela de Walcyr Carrasco tem problemas com a comunidade negra.

Em Amor à Vida, folhetim que Carrasco escreveu para o horário das 21h, o autor foi acusado de não escalar atores negros para o elenco. Depois de muitos protestos, a atriz negra Ana Cabartti entrou na trama no papel de uma médica.

Blackface no teatro

Este não é o primeiro caso de uso do blackface no mundo das artes recentemente e de forte reação da comunidade negra.

Em 2015, o grupo Os Fofos Encenam pintou um ator de preto na peça A Mulher do Trem, na qual ele interpretava uma empregada doméstica.

Após pressão da comunidade negra, a peça, que aconteceria no Itaú Cultural, em São Paulo, foi cancelada, e o diretor, Fernando Neves, pediu desculpas.

No mesmo ano também causou polêmica a foto do ator Leandro Melo, de pele clara, com o rosto pintando de preto em um cartaz para interpretar Madame Satã, o boêmio negro carioca, no teatro musical. Na época, ele também pediu desculpas.

Leia reportagem especial para o UOL: Atores negros lutam contra preconceito e estereótipos 

Praticada no teatro no século 19, quando o Brasil ainda vivia sob regime de escravidão, a técnica do blackface consistia em pintar um ator branco de preto para causar graça. Após pressão do movimento negro durante o século 20, a prática racista deixou de ser comumente praticada.

Diante de tanto racismo que enfrentam diariamente, nesta última sexta (4), atores negros fizeram um protesto durante a MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo) por conta do preconceito que sofrem.

Veja, abaixo, o post de Flávia Alessandra com o blackface de Marco Nanini:

globo-blackface-marco-nanini-eta-mundo-bom-instagram-flavia-alessandra

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Taty Godoi disse:

    As pessoas estão alegando que na novela ele usa muitos disfarces, sim usa, eu assisto, mas chega dessa palhaçada de fazer chacota dos Negros, Walcyr é um autor Racista todos sabemos e não vamos mais tolerar isso, todas as novelas esse autor acha que é Deus e quer denegrir os negros e quando reclamamos ele ameaça como fez comigo. Blackface é racismo sim, olha como esta ridiculo essa pintura, ate quando seremos tratados assim?

  2. Taty Godoi disse:

    Achei tão bonitinho ele fazer um romance com a personagem da Jeniffer Nascimento, pois a mulher negra ainda mais em uma novela de época nunca tem romance, mas ai i ele vai e faz essa besteira de black face, ou seja tava bom demais para ser verdade.

  1. abril 13, 2016

    […] a Globo fez blackface na novela “Êta Mundo Bom!”, pintando o ator Marco Nanini de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *