Veja 25 motivos para acompanhar o 25º Festival de Curitiba

Maria Alice Vergueiro vai encenar sua própria morte e velório em Why the Horse, no 25º Festival de Curitiba - Foto: André Stefano

Maria Alice Vergueiro vai encenar sua própria morte e velório em Why the Horse, no 25º Festival de Curitiba – Foto: André Stefano

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Começa na próxima terça (22) e vai até 3 de abril o 25º Festival de Teatro de Curitiba. É o maior e o mais importante do Brasil. O evento dirigido por Leandro Knopfholz espera receber 220 mil espectadores em mais de 350 espetáculos em 65 espaços curitibanos durante seus 13 dias. Orçado em R$ 6 milhões, conta com 3.000 participantes, entre artistas, jornalistas, técnicos e produtores, além de gerar 800 postos de trabalho diretos e 1.500 indiretos. Veja 25 motivos para não perder a maior vitrine do teatro brasileiro:

Ópera de Arame  é uma das sedes do Festival de Curitiba - Foto: Divulgação

Cartão postal, Ópera de Arame é uma das sedes do Festival de Curitiba – Foto: Divulgação

1 – O Festival de Curitiba é o maior, mais antigo e mais tradicional evento teatral do Brasil.

2 – Ver uma das 85 peças gratuitas do Fringe, a mostra paralela, sem gastar nem um só centavo. Mas vale não ser pão duro e dar um contribuição ao chapéu do artista no final, hein?!

3 – Arriscar assistir ao que surgir na programação livre do Fringe e poder se apaixonar perdidamente por uma peça que só você viu. Ou detestar também. Faz parte.

4 – Acompanhar como são nos palcos rostos conhecidos da TV nas peças da Mostra Oficial e sair depois dizendo o que achou de ver o famoso de pertinho no teatro.

Dan Stulbach (ao centro) está na peça Morte Acidental de um Anarquista, na Ópera de Arame - Foto: João Caldas

Dan Stulbach (ao centro) está na peça Morte Acidental de um Anarquista, na Ópera de Arame – Foto: João Caldas

5 – Visitar a Ópera de Arame, onde o Festival de Curitiba começou em 1992, e ainda assistir por lá a espetáculos de sucesso como Urinal, o Musical, que rendeu o APCA de melhor direção a Zé Henrique de Paula, e Morte Acidental de um Anarquista, com Dan Stulbach.

6 – Dar muitas gargalhadas com o pessoal do Porta dos Fundos na comédia Portátil, na Ópera de Arame, e também com as estrelas do stand-up na mostra Risorama, no Park Cultural.

O Cu l to aborda diversos problemas mundiais - Foto: Divulgação

O Cu l to aborda diversos problemas mundiais – Foto: Divulgação

7 – Ver a denúncia que o Teatro das Almas faz da atmosfera contemporânea na peça O Cu l To, nas Ruínas São Francisco, que fala de guerra, pedofilia, geopolítica, charlatanismo, cristianismo, retórica, globalização…

8 – Descobrir a vida sexual do argentino Túlio Carella com rapazes do Recife acompanhando a peça Orgía ou De Como os Corpos Podem Substituir as Ideias, do Teatro Kunyn, no Edifício Anita.

9 – Saber o que sente uma doméstica na peça A Empregada dos Seus Sonhos no Auditório Brasílio Itiberê.

A Casa do Terror promete assustar espectadores no Teatro Lala - Foto: Divulgação

A Casa do Terror promete assustar espectadores no Teatro Lala – Foto: Divulgação

10 – Poder se assustar com o espetáculo A Casa do Terror no Teatro Lala.

11 – Aprofundar-se na questão sexual e de gênero unidas na peça Quem Tem Medo de Travesti, no Teatro Paiol.

12 – Divertir-se ao ver dois amigos saírem do armário na comédia Ai Lacrou, Será Que Eu Sou? no Teatro Rodrigo D’Oliveira.

Paulo Betti revela sua vida em monólogo no Festival de Curitiba - Foto: Divulgação

Paulo Betti revela sua vida em monólogo no Festival de Curitiba – Foto: Divulgação

13 – Saber detalhes da vida de Paulo Betti assistindo a seu monólogo Autobiografia Autorizada no charmoso Teatro Paiol.

14 – Conhecer a história do ator Paulo José na peça Algumas Histórias, com Bruno Fracchia, no Teatro Mini-Guaíra.

15 – Dar muitas gargalhadas, principalmente se for curitibano, vendo Tesão Piá!, no Teatro Regina Vogue.

Cena da performance Batucada - Foto: Divulgação

Cena da performance Batucada – Foto: Divulgação

16 – Espiar dezenas de corpos nus no espetáculo piauiense Batucada, no Espaço Cult.

17 – Ver imigrantes haitianos dominarem a praça Tiradentes para contar suas histórias em Cidade Vodu, do Teatro de Narradores.

Até o Darth Vader participa do Festival de Curitiba - Foto: Divulgação

Até o Darth Vader participa do Festival de Curitiba – Foto: Divulgação

18 – Descobrir que a saga de Stars Wars também aportou no Festival na peça Darth Vader Invade Curitiba a Fim de Conquistar o Universo, no Teatro Faculdade Bagozzi Portão.

19 – Comer gostosuras dos principais chefs do país no Gastronomix, a feirinha gastronômica do Festival de Curitiba nos jardins do Museu Oscar Niemeyer.

20 – Ficar com vontade de dançar tango ao ver os espetáculos Gardel – O Musical e Um Tango no Escuro, no Centro Cultural Todo Tango Studio.

Lauanda Varone e Liza Caetano são duas irmãs atrizes em Hermanas Son las Tetas, no Solar do Barão - Foto: Arô Ribeiro

Lauanda Varone e Liza Caetano são duas irmãs atrizes em Hermanas Son las Tetas, no Solar do Barão – Foto: Arô Ribeiro

21 – Descobrir que as irmãs vividas por Lauanda Varone e Liza Caetano são grandes inimigas na peça Hermanas Son las Tetas, de Juan Manuel Tellategui, no Solar do Barão. E ainda conferir as participações especiais de Simone Magalhães, Patricia Cipriano e Stéfano Belo, da Selvática Ações Artísticas.

22 – Participar do funeral em vida da atriz Maria Alice Vergueiro na peça Why The Horse?, no Teatro da Reitoria.

Curitiba Mostra reúne novos autores paranaenses - Foto: Divulgação

Curitiba Mostra reúne novos autores paranaenses – Foto: Divulgação

23 – Ficar por dentro do que existe de melhor no atual teatro paranaense na Curitiba Mostra e acompanhar textos de Dalton Trevisan, Wilson Bueno, Alice Ruiz, Luci Collin, Leonarda Glück e Priscila Merizzio.

Performance Mordedores tem vários artistas se mordendo - Foto: Divulgação

Performance Mordedores tem vários artistas se mordendo – Foto: Divulgação

24 – Ver um monte de artistas se mordendo no palco na performance Mordedores, na Casa Hoffmann.

25 – Terminar o Festival de Curitiba com a sensação de que não viu aquela peça importantíssima perdida entre os 350 espetáculos e jurar se programar melhor para ver mais coisas em 2017.

Público no centro histórico durante o Festival de Curitiba - Foto: Daniel Sorrentino/Clix

Público no centro histórico durante o Festival de Curitiba – Foto: Daniel Sorrentino/Clix

Leia a cobertura completa do Festival de Teatro de Curitiba

Curta nossa página no Facebook e siga o site!

Fique por dentro do que está rolando nas artes

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *