Finos Filmes revela novos cineastas do Brasil e do mundo

Cena do curta Olhos Sujos de Azul, da cineasta Bia Vilela - Foto: Divulgação

Cena do curta Olhos Sujos de Azul, da cineasta Bia Vilela – Foto: Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Com sessões gratuitas, o III Festival de Finos Filmes caminha para a reta final, com a divulgação dos cinco vencedores nesta terça (10), às 20h30, na Matilha Cultural (r. Rêgo de Freitas, 542, República), em São Paulo.

Serão distribuídos os prêmios de melhor filme, melhor filme nacional, melhor roteiro, melhor direção e prêmio de reconhecimento artístico. Após a solenidade, os filmes ganhadores serão exibidos. Ao todo, 16 curtas integram a mostra competitiva, que teve cerca de 700 inscritos. São quatro brasileiros e 12 curtas internacionais, formando um panorama de novos cineastas.

Entre os nacionais, já se destaca o curta Olhos Sujos de Azul, que marca a estreia da diretora paulistana Bia Vilela. O roteiro tem como protagonista uma imigrante brasileira que vive uma situação de conflito em Berlim, onde o filme foi rodado. Além de revelar o olhar sensível de Bia Vilela como cineasta, o curta ainda apresenta a atriz Mariah Diniz, sutil e ao mesmo tempo potente como a protagonista da história.

Há representantes da Nova Zelândia, Alemanha, Grécia, Turquia, Argentina, Israel, Filipinas, Hungria, França, Austrália, Cuba e Brasil. Além de Olhos Sujos de Azul, os outros filmes brasileiros na mostra competitiva são Cartas, de David Mussel, do Rio, Iha, de Ismael Moura, produção da Paraíba e do Rio Grande do Norte; e Edifício Tatuapé Mahal, de Fernanda Salloum e Carlina Markowicz, de São Paulo.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *