Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Foto: Cacá Bernardes

Motel Rashômon estreia neste domingo com direção de Roberto Audio na SP Escola de Teatro – Foto: Cacá Bernardes

Por MIGUEL ARCANJO PRADO 

Página policial
Crimes políticos e passionais inspiraram a peça Motel Rashômon, que estreia neste domingo (10), na SP Escola de Teatro, em São Paulo. Com direção de Roberto Audio, texto de Marcos Gomes e elenco formado pelos atores Raquel Anastásia, Tertulina Lima, Alessandro Hernandez e Ernandes Araujo, a nova montagem da Cia Santa Cacilda (a mesma de Plínio Conta Estrelas) buscou inspiração no conto Dentro do Bosque, do escritor japonês Ryûnosuke Akutagawa.

Barbárie
Uma das ideias presentes em Motel Rashômon é a de que a verdade pode ser construída. Raquel Anastácia, idealizadora do projeto, apresentou o conto do japonês para Marcos Gomes e, junto com ele e Tertulina Lima, começaram a pensar em como transpor o texto para a realidade brasileira atual. Daí a ligação com os crimes.

Nicette Bruno e Eva Wilma com a equipe nos ensaios de O Que Terá Acontecido a Baby Jane? - Foto: Divulgação

Nicette Bruno e Eva Wilma (sentadas, ao centro) com a equipe nos ensaios de O Que Terá Acontecido a Baby Jane? – Foto: Divulgação

Letter to Daddy
Charles Möeller e Claudio Botelho já começaram os ensaios de O Que Terá Acontecido a Baby Jane?, com Eva Wilma e Nicette Bruno vivendo os papéis que foram de Bette Davis e Joan Crawford no cinema no lendário filme. A autorização para montagem só foi liberada este ano e a encenação brasileira marca o lançamento mundial da peça, já que a versão norte-americana só irá para a Broadway em 2017. A estreia acontece em 12 de agosto no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. Disputadíssima.

Há vagas
Estão abertas as inscrições para a Oficina de Atores de São Paulo 2016, ministrado pela Cia Das Artes. O objetivo do curso é a formação de jovens atores por meio da pesquisa de linguagem do gesto mínimo, com a montagem de textos de dramaturgos brasileiros como Dias Gomes, Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Arthur de Azevedo, entre outros. A Cia. das Artes existe há 20 anos e há dez trabalha com a formação de atores na cidade de São Paulo. Informações pelo telefone 11 2729-3098.

Carolina Fabri e Gabriel Miziara estão em Término do Amor - Foto: João Caldas

Carolina Fabri e Gabriel Miziara estão em Término do Amor – Foto: João Caldas

Dor de cotovelo
Sabe a dor do amor perdido? Pois é ela que embala a peça Término do Amor, com Carolina Fabri e Gabriel Miziara, que estreia em 12 de julho no Viga Espaço Cênico, em São Paulo, com produção de André Canto. A obra de Pascal Rambert propõe um embate verborrágico entre um casal prestes do fim. Janaína Suaudeau é quem dirige a montagem que ainda conta com intermediação dramatúrgica de Vinicius Calderoni. A peça aborda o fim sob dois pontos de vista diferentes. Melhores assim.

Virados
O Teat(r)o Oficina apresenta neste sábado (9), à meia-noite, no Sesc Palladium, na Virada Cultural de BH, a peça Pra Dar um Fim no Juízo de Deus. Politizadíssima, a obra não será afetada pela regra emitida pela Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, a cláusula 8 do contrato da Virada, segundo a qual os artistas não podem se manifestar politicamente no palco durante a Virada, o que está causando revolta na classe artística mineira. É que o Oficina foi contratado pelo Sesc Minas.

Camila Mota em Pra Dar um Fim no Juízo de Deus - Foto: Ayume Oliveira

Camila Mota em Pra Dar um Fim no Juízo de Deus – Foto: Ayume Oliveira

Repúdio
Camila Mota, atriz do Oficina, conversou com a coluna sobre o caso: “Nossa peça não será afetada pela cláusula 8. Nosso contrato foi assinado diretamente com o Sesc. No entanto, mesmo não sendo diretamente censurados, repudiamos a cláusula 8. A vida é política, a arte é política e uma cláusula como essa impede a própria expressão artística”, afirma Camila.

Desafogo
Cléo De Páris, a atriz e musa do grupo Os Satyros, avisa: “Troco sonhos por ChicaBon”.

Eu voltei
Débora Falabella volta a encenar Mantenha Fora do Alcance do Bebê, peça da premiada dramaturga Silvia Gomez, no dia 10 de agosto, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. Fica até 15 de setembro, quarta e quinta, 21h.

Elenco da peça Juliette no Prêmio Aplauso Brasil - Foto: Patricia Nagano

Elenco da peça Juliette no Prêmio Aplauso Brasil – Foto: Patricia Nagano

Galera esperta
Falando em Satyros, o elenco da peça Juliette era o mais animado na entrega do 4º Prêmio Aplauso Brasil, na última terça (5), no Teatro Porto Seguro, em São Paulo.

Turminha
Fato é que se caísse uma bomba no Teatro Porto Seguro na noite da última terça o teatro brasileiro ficaria bastante desfalcado.

Não dá ideia
Falando em bomba, Guta Ruiz, que levou melhor atriz coadjuvante, disse que se tivesse uma segunda profissão, seria uma mulher bomba para explodir o Congresso Brasileiro. Foi ovacionada.

Fora Temer
Muitos premiados, ao fim de seus discursos, bradaram: “Fora Temer!”. O público gostou. Já a parte coxinha da classe teatral que participava de passeata vestida de verde-amarelo ficou quietinha.

Nathalia Timberg agradece os aplausos de pé do público - Foto: Patricia Nagano/Divulgação

Nathalia Timberg agradece os aplausos de pé do público – Foto: Patricia Nagano/Divulgação

Emoção
Nathalia Timberg ficou muito emocionada ao receber homenagem no Prêmio Aplauso Brasil. Mal conseguiu fazer discurso.

Emoção 2
Os premiados mais elegantes fizeram questão de dedicar também o prêmio a Michel Fernandes, o idealizador. Elias Andreato, outro homenageado, foi um deles.

Tarcísio & Glória
Tarcísio Meira e Glória Menezes também seriam homenageados. Só que Glória está internada no Rio, com princípio de pneumonia. Então, Michel Fernandes decidiu dar o prêmio aos dois em uma próxima oportunidade.

Discursos longos
Alguns vencedores não apareceram para pegar o prêmio. Aí, alguns representantes aproveitaram para fazer discursos longos… Uma sábia pessoa na plateia cochichou: “Gente, só poderia discursar quem ganhou, né? Quem representa, é pegar o troféu e dizer muito obrigado em nome do vencedor e voltar pianinho pro seu lugar”. A coluna concorda.

Ego
Uma atriz que apenas começa a carreira, não estava indicada a nada e era uma das mais exageradas da noite, fez a blasé no coquetel do 4º Prêmio Aplauso Brasil. Pegou mal.

Peça - Foto: Divulgação

Peça A Dama da Noite tem André Grecco em homenagem a Caio Fernando Abreu – Foto: Rafael Petri

Viva Caio Fernando Abreu!
Os 20 anos da morte do autor Caio Fernando Abreu são lembrados na peça A Dama da Noite, com o ator André Grecco dirigido por Kiko Rieser. A estreia está marcada para 13 de julho, no bar Caos, em São Paulo.

Largado no mundo
Na peça, a personagem-título, beirando a meia idade, trava uma conversa casual com um jovem garoto em um bar. Durante todo o tempo,
ela conduz o diálogo, a partir de sua perspectiva de mundo, suas experiências, anseios e frustrações. A Dama da Noite fala da morte, da espera de um grande e verdadeiro amor e, principalmente, de como ela se vê à margem do mundo que a rodeia. Mais Caio Fernando Abreu impossível.

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *