Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Kleber Bianez e Rani Guerra estão em "Fim?", nova peça do Grupo Esparrama, no Teatro Alfa - Foto: Sissy Eiko/Div.

Kleber Bianez e Rani Guerra estão em “Fim?”, nova peça do Grupo Esparrama, no Teatro Alfa – Foto: Sissy Eiko/Divulgação

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Fim do mundo
Após o apocalipse só sobram dois palhaços e duas baratas no mundo. Este é o mote da peça “Fim?”, nova produção do Grupo Esparrama, que ficou famoso ao fazer teatro em uma janela com vista para o Minhocão, no centro paulistano. A obra estreia no Teatro Alfa, em 1º de outubro, onde fica até 27 de novembro, sábados e domingos, 17h30, com entrada a R$ 30. No elenco, estão Kleber Bianez e Rani Guerra. A trupe ainda tem os artistas Iarlei Rangel, Ligia Campos e Luciana Gandelini. Turma do bem.

Riso
O Teatro APCD, em Santana, recebe o comediante Sérgio Mallandro com o “Stand-up do Mallandro” no dia 30 de setembro. Já nos dias 1º e 2 de outubro é a vez de subir ao palco o youtuber Victor Meyniel, com mais de 700 mil inscritos em sua página, com apresentações de “Berro!!”. Recado dado.

"La Estupidez" estreia no Teatro Porto Seguro, em SP - Foto: Divulgação

“La Estupidez” estreia no Teatro Porto Seguro, em SP – Foto: Divulgação

Ambição
A estreia de “La Estupidez”, texto do argentino Rafael Spregelburd, estreia em 28 de setembro, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. Em foco, a ganância humana. Em cena estão os atores Marcello Airoldi, Lucas Salles, Juliana Araripe, Cris Wersom, Thiago Adorno e Thiago Albanese, sob direção de Otávio Martins.

Coração corinthiano
No próximo dia 29 de setembro estreia em São Paulo e nas cidades do interior do Estado o filme “1976 – O Ano da Invasão Corinthiana’’, produzido pela Canal Azul em coprodução com a ESPN e dirigido por Ricardo Aidar e Alexandre Boechat. A produção relembra o fato conhecido como “Invasão Corinthiana”, ocorrido em 5 de dezembro de 1976, há 40 anos. Nessa data, o time paulistano vivia um dos momentos mais marcantes e gloriosos de sua história: a Fiel Torcida Corinthiana invadiu o Rio de Janeiro para acompanhar a semifinal do Campeonato Brasileiro.

Tia
Cléo De Páris, a atriz, foi ao Rio Grande do Sul visitar seus sobrinhos. Está feliz.

Lucas Lentini e Rita Batata em "Kiwi" - Foto: Arô Ribeiro/Divulgação

Lucas Lentini e Rita Batata em “Kiwi” – Foto: Arô Ribeiro/Divulgação

Peça olímpica
Após seis anos entre Rio e Portugal, o diretor Lucianno Maza volta a São Paulo com a peça “Kiwi”, do canadense Daniel Danis. Rita Batata e Lucas Lentini estão em cena no texto inédito no Brasil, traduzido pelo diretor. Estria em 1º de outubro no Teatro Augusta, onde fica até 27 de novembro, sábados e domingos. O espetáculo mostra uma cidade que expulsa os pobres de um local para construir a Vila Olímpica. Tudo a ver com o Brasil atual.

Futurista
“Fortuna”, com texto e direção de Eloisa Vitz, comemora 16 anos do Grupo Gattu. Estreia em 29 de setembro, no Teatro do Sol, em Santana, São Paulo. Conta a história de uma mulher que fica congelada cem anos e precisa reconstruir toda sua vida.

Ligia Paula Machado protagoniza musical "Hoje É Dia de Maria" - Foto: Divulgação

Ligia Paula Machado protagoniza musical “Hoje É Dia de Maria” – Foto: Divulgação

Encontro marcado
A equipe do espetáculo “Hoje é Dia de Maria – A Fabula Musical” se reúne na próxima terça (27) com a imprensa para apresentar a superprodução que estreia no dia 30 de setembro, no Teatro Cetip, em São Paulo. No elenco, estão Ligia Paula Machado, Cleto Baccic, Kleber Montanheiro, Luiz Araújo, Camila Brandão e Felipe Machado.

Promoção
No dia 1º de outubro, próxima sexta-feira, é comemorado o Dia do Idoso no Brasil , e o musical “Forever Young” fará uma ação para que idosos possam assistir ao espetáculo gratuitamente. Neste dia, cada pessoa com 60 anos ou mais, que estiver acompanhado por um pagante, assistirá ao musical de graça. A ação é válida apenas para um idoso por pagante e está sujeita à lotação do Teatro Fecomércio Raul Cortez.

Coletivo britânico Marshmallow Laser Feast cria obra para exposição na Galeria de Arte Digital Sesi-SP - Foto: Everton Amaro

Coletivo britânico Marshmallow Laser Feast cria obra para exposição na Galeria de Arte Digital Sesi-SP – Foto: Everton Amaro/Divulgação

Fachada viva
Um olhar em 360º para São Paulo é o que propõe o coletivo de arte Marshmallow Laser Feast (MLF) com a obra Dividing Lines. É uma das quatro atrações da mostra Vestígios Paulistanos – Poética da Metrópole Distraída, em cartaz na Galeria de Arte Digital SESI-SP de 30 de setembro a 15 de novembro, das 20h às 6h. A exposição, que tem apoio do  British Council, acontece na fachada do edifício da Fiesp/Sesi-SP, na Av. Paulista, 1.313, em frente à estação Trianon-Masp do Metrô.

O tempo urge
A Cia Luna Lunera, de Minas Gerais,, está no CCBB-SP com o espetáculo “Urgente”, uma parceria dos mineiros com os cariocas do Areas Coletiveo de Arte. A direção é da atriz Miwa Yanagizawa, que atualmente está na novela “O Sol Nascente”, e de Maria Sílvia Siqueira Campos. A temporada se estende até 17 de outubro, sempre de sábado a segunda. Estão todos convidados.

Ana Paula Lopez, Paulo Vinicius, Sol Faganello e Victor Mendes estão na peca Melancia - Foto: Divulgação

Ana Paula Lopez, Paulo Vinicius, Sol Faganello e Victor Mendes estão na peca Melancia – Foto: Divulgação

Pelado, pelado
“Melancia”, espetáculo de estreia da Cia. Monstro, explora o caráter precário e descartável das relações. A partir de 30 de setembro até 29 de outubro no Sesc Ipiranga, em São Paulo.

Internacional
De 23 a 27 de setembro, desta sexta a terça-feira, a Cia. Paidéia de Teatro, fundada por Amauri Falseti e Aglaia Pusch, realiza a décima edição do Festival Internacional Paidéia de Teatro para a Infância e Juventude. Companhias da Alemanha, Argentina, Brasil, Dinamarca, Suíça e Turquia vão apresentar espetáculos na sede da Cia Paidéia (Rua Darwin, 153 – Jardim Santo Amaro), com preços populares (entradas: R$ 25 inteira / R$ 12 meia), e no Sesc Campo Limpo (Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo), com entrada franca. O Festival também terá oficinas, com preços populares, e Mesas de Reflexão, grátis, com profissionais da Alemanha, da Argentina, do Brasil, de Cuba, do Uruguai e da Suíça. Confira a programação.

Alexandre Mate: curso no CPF do Sesc sobre coletivos teatrais - Foto: Rodrigo Alves/Divulgação

Alexandre Mate: curso no CPF do Sesc sobre coletivos teatrais – Foto: Rodrigo Alves/Divulgação

Pensamento teatral
Alexandre Mate, um dos maiores especialistas em teatro paulistano, vai dar o curso “A Reinvenção dos Sentidos na Prática Teatral de Coletivos” no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc entre 3 e 31 de outubro. Doutor em História Social – FFLCH da USP; Mate é professor da pós-graduação do Instituto de Artes da Unesp. No curso, promete apresentar reflexões importantes sobre teatro de grupo na cidade de São Paulo. Assunto no qual é craque. Faça sua inscrição.

"Revolver", do Coletivo Negro, está na programação em Heliópolis - Foto: Divulgação

“Revolver”, do Coletivo Negro, está na programação em Heliópolis – Foto: Divulgação

Mostra
Alexandre Mate também é o curador da 2ª Mostra de Teatro de Heliópolis, com entrada gratuita em todas as sessões entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro – e em diversos pontos da Comunidade de Heliópolis e do bairro do Ipiranga. A programação é formada por três peças teatrais (adulto), quatro espetáculos de rua, uma intervenção de rua e rodas de conversa com os grupos participantes.

Nomes
Participam desta edição grupos Ciclistas Bonequeiros (“Uma Saga Macunaímica”), Trupe Lona Preta (“O Perrengue da Lona Preta”), Bando Trapos (“Foi o que Ficou… Do Bagaço”), CompanhiaDaNãoFicção (“Procura-se Ninguém”), Coletivo Quizumba (“Oju Orum”), Família Fodaccio (“O Espetaculoso Espetáculo da Família Fodaccio”), Companhia do Miolo (“Taiô”) e Coletivo Negro (“Revolver”). Confira a programação completa.

OPOVOEMPÉ associa pós nazismo ao Brasil de hoje em peça - Foto: Felipe S. Cohen/Divulgação

OPOVOEMPÉ associa pós nazismo ao Brasil de hoje em peça – Foto: Felipe S. Cohen/Divulgação

Ocupação
O grupo OPOVOEMPÉ apresenta Mostra de Repertório no Sesc Belenzinho com cinco espetáculos e também uma Exposição/Instalação, que propõe uma vivência da linguagem do grupo. Com direção de Cristiane Zuan Esteves, o primeiro espetáculo é “W POLSCE, CZYLI GDZIE? (NA POLÔNIA, ISSO É ONDE?)” com sessões até 25 de setembro, sexta e sábado, 21h30 e domingo 18h30.

Ontem e hoje
O trabalho busca estabelecer pontes entre a Polônia pós-Holocausto, que motivou toda a obra de Kantor, e o momento histórico do Brasil. A mostra vai até 16 de outubro com os seguintes espetáculos “9:50 Qualquer Sofá” (29/09 a 01/10), “O Espelho – Uma Contemplação da Vida e da Finitude” (01 a 15/10), “Aquidentro Aquifora” (06 a 09/10) e “Arqueologias do Presente – A Batalha da Maria Antônia” (13 a 16/10). Anotou tudo?

Marcos Coletta e Assis Benevenuto posam na Praça 7, em BH - Foto: José Jr./Divulgação

Marcos Coletta e Assis Benevenuto posam na Praça 7, em BH – Foto: José Jr./Divulgação

Papo e palco
O Grupo Quatroloscinco Teatro do Comum estreia nova peça em BH, “Fauna”, neste sábado (24), no Teatro Espanca!, onde fica em cartaz até 16 de outubro com sessões sábados e domingos, 20h, com entrada a R$ 20. Com direção de Ítalo Laureano e Rejane Faria, e texto e atuação de Assis Benevenuto e Marcos Coletta, os artistas invertem as funções assumidas em “Ignorância” (2015). A obra, chamada por eles de “peça-conversa”, ainda teve provocação criativa do dramaturgo paulistano Alexandre Dal Farra. O charme é colocar o espectador dentro da peça.

Solo
Na abertura a mostra de teatro “O Ator Maestro – Solos Urbanos, no dia 6 de outubro com “Canções para Não Dizer”, do cearense Lucas Sancho, o público tem a oportunidade de escrever nas paredes de papel craft do cenário. A ação interfere diretamente na identidade do personagem, que é baseada no que a plateia deixou registrado. Fica em cartaz até 11 de novembro no Espaço Cia. do Pássaro, em São Paulo.

Gabriel Machado, Francisco Mallmann e Ricardo Nolasco em BH - Foto: Divulgação

Gabriel Machado, Francisco Mallmann e Ricardo Nolasco em BH – Foto: Marina Arthuzzi/Divulgação

Curitiba-BH
Os curitibanos da Selvática Ricardo Nolasco, Gabriel Machado e Francisco Mallmann se aventuram pelo teatro de Belo Horizonte. Mallmann teve seu texto “Isso É Outra História: Manual para se Ler a Dramaturgia-Primeira” lido pelas Bacurinhas na Janela de Dramaturgia. Já Nolasco e Machado foram participar do 17º Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto. “Fizemos uma criação em intercâmbio com a Marina Viana e Marina Arthuzzi, que são figuras super importantes da cena teatral brasileira e agente sempre volta a pensar coisas com elas. O nome da cena é ‘Cabaré Voltei: Oswald Rói Ubu’. A gente vai fazer sábado e domingo agora, na temporada das cenas mais votadas. O Desfile das Campeãs”, conta Nolasco à coluna.

"Nuvens Insetos" faz sessões grátis na Caixa Cultural SP - Foto: Divulgação

“Nuvens Insetos” faz sessões grátis na Caixa Cultural SP – Foto: Divulgação

Pombo correio
A Cia. Fragmento de dança, dirigido e coreografado por Vanessa Macedo, faz apresentações nesta sexta (23), sábado (24) e domingo (25), sempre às 19h15, do espetáculo “Nuvens Insetos” na Caixa Cultural São Paulo. O projeto iniciou por meio de uma pesquisa realizada em 2011, onde os artistas abordavam os transeuntes e perguntavam: “O que você escreveria se essa fosse sua última carta?”. Com mais de cem adesões, o espetáculo reflete o conteúdo dessas cartas de ruptura, de despedida, suicidas, e também sobre as diversas formas de comunicação num tempo marcado pelo mundo virtual e pela carência de relações presenciais. E o melhor: a entrada é gratuita.

Volta ao mundo
Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, do Satyros e da SP Escola de Teatro, fazem viagem profissional pela Europa. Já estiveram até em Veneza. E, agora, Copenhague. Chiquérrimos.

Livro
Direto da Finlândia, Ivam Cabral conta tudo: “Aqui na Finlândia, acabo de ser convidado para colaborar na elaboração de um livro para refletir as pedagogias contemporâneas. O convite surgiu de Eeva Antila, que trabalha entre Nova Zelândia, Austrália e Finlândia, e a obra será editada pela Routledge, da Taylor & Francis Group. Será minha segunda colaboração para a editora do Reino Unido!”, fala, todo feliz. E prossegue: “Segundo Eeva, devemos conceber ‘um livro que não existe, um livro que precisa ser escrito’. Tenho ou não motivos para sorrir pelos próximos meses?”, pergunta.

"Naturaleza Muerta" estreia dia 8 de outubro na sede do Grupo XIX de Teatro - Foto: Jonatas Marques/Divulgação

“Naturaleza Muerta” estreia dia 8 de outubro na sede do Grupo XIX de Teatro – Foto: Jonatas Marques/Divulgação

Latinidade
A peça “Naturaleza Muerta” estreia no Armazém XIX, na Vila Maria Zélia, em São Paulo, dia 8 de outubro, inspirada no prólogo do livro “Gracias Por El Fuego”, do uruguaio Mario Benedetti (1920-2009). As sessões são gratuitas, de sábado a segunda-feira, sempre às 20h.

Quatro mulheres
Com direção de Rodolfo Amorim (do Grupo XIX de Teatro) o elenco é formado por Gabi Costa, Juliana Sanches, Maria Carolina Dressler e Tatiana Ribeiro, que também assina o texto. Ambientada em um restaurante fora do país, quatro mulheres se encontram enclausuradas em um local decadente sem que se saiba por qual motivo, simplesmente não saem pela porta da frente.

Debate
Excepcionalmente, dia 12 de outubro, quarta-feira, haverá espetáculo, às 19h, seguido de um bate-papo sobre o tema “Ser Latino-americano”, com o sociólogo e professor Jean Tible e a socióloga Carla Cristina Garcia.

Ney Matogrosso - Foto: Divulgação

Ney Matogrosso com os integrantes da Cia Àtropical em São Paulo – Foto: Divulgação

Presença ilustre
O cantor Ney Matogrosso acompanhou esta semana o ensaio da peça “Normalopatas – Um Manifesto Pornochanchesco e Sombrio para o Brasil de um Futuro Possível”, que estreia dia 1º de outubro, sábado, às 23h59, no Estação Satyros. Com texto e direção de Dan Nakagawa, peça acompanha as memórias erráticas de Metá que, ainda adolescente, sente a necessidade de abandonar os códigos e as convenções do mundo ao seu redor. A montagem é da Cia Àtropical.

"Eu Tenho Tudo" - Foto: Cacá Bernardes/Divulgação

“Eu Tenho Tudo” tem Pedro Vieira, indicado ao Prêmio Shell de Teatro – Foto: Cacá Bernardes/Divulgação


Encontro marcado
Indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator, Pedro Vieira reestreia “Eu Tenho Tudo”, s
olo que traz, pela primeira vez ao Brasil, uma obra do francês Thierry Illouz. A montagem com direção de Cácia Goulart faz temporada de 27 de setembro a 29 de novembro, as segundas e terças-feiras, às 21 horas, na Sala Piscina do Viga Espaço Cênico. No espetáculo, um homem ensandecido, ferido de ódio mortal, tem um suposto encontro com um outro numa estação de trem.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *