“Naturaleza Muerta” traz quatro mulheres presas em lugar decadente

"Naturaleza Muerta" é inspirada em obra de autor uruguaio - Foto: Jonatas Marques

“Naturaleza Muerta” é inspirada em obra de autor uruguaio – Foto: Jonatas Marques

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Em um decadente restaurante estrangeiro, quatro mulheres se encontram enclausuradas e não sabem o motivo que as leva a estarem aprisionadas ali.

Este é o mote da peça “Naturaleza Muerta”, inspirada na obra do autor uruguaio Mario Benedetti (1920-2009) e que estreia no Armazém do Grupo XIX de Teatro, na Vila Maria Zélia, em São Paulo, neste sábado (8).

As sessões são gratuitas de sábado a segunda, às 20h. No feriado de 12 de outubro haverá sessão especial, às 19h, com um bate-papo temático: “Ser Latino-americano”, com o sociólogo e professor Jean Tible e a socióloga Carla Cristina Garcia.

Com direção de Rodolfo Amorim (do Grupo XIX de Teatro) o elenco é formado por Gabi Costa, Juliana Sanches,Maria Carolina Dressler e Tatiana Ribeiro, que também assina o texto.

“Convidamos o público a dividir a mesa. O histórico resumido e aleatório de cada personagem é servido aos poucos, em meio a tentativas de diálogos para evitar o constrangimento do silêncio diante de um desconhecido. Nesse jantar dançante de gosto duvidoso, percebemos nossas identidades definidas ou condicionadas por padrões e comportamentos que pouco parecem nos pertencer, mas que, ainda assim, definem nosso modo de interagir com a vida”, explica o diretor Rodolfo Amorim.

Ficha técnica:

Texto: Tatiana Ribeiro. Direção: Rodolfo Amorim. Assistente de direção: Bruno Canabarro. Elenco: Gabi Costa, Juliana Sanches, Maria Carolina Dressler e Tatiana Ribeiro. Produção: Vanessa Candela. Figurinos: Juliana Sanches. Cenografia: Cristiano Panzarin. Iluminação: Daniel Gonzalez. Preparação de ator: Inês Aranha. Assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli. Fotografia e arte gráfica: Jonatas Marques. Provocador de pesquisa: Jean Tible. Palestrantes: Jean Tible e Carla Cristina Garcia. Coreografia: Jhennifer Peguim. Costureira:Noemi Azevedo Costa. Contrarregragem: Luciano Morgado. Idealização: Cia La Desdeñosa.

Serviço:
NATURALEZA MUERTA – Estreia dia 8 de setembro às 20h no Armazém da Vila Maria Zélia.
Temporada: De 8 a 30 de outubro – Sábados, domingos e segundas-feiras, às 20h.
Ingressos: Grátis. (Necessário retirar os ingressos com 1 hora de antecedência).
Duração: 60 minutos. Classificação etária: 16 anos. Capacidade: 50 lugares.
Dia 12 de outubro, às 19h seguido do debate Ser Latino-americano com o sociólogo e professor Jean Tible e a socióloga Carla Cristina Garcia.

Vila Maria Zélia – Rua Mário Costa 13 (Entre as ruas Cachoeira e dos Prazeres) – Belém. Telefone: (11) 2081-4647. Acesso para deficientes físicos. Informações e reservas, de terça a sexta-feira das 14 às 17h. Estacionamento: gratuito.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *