Por trás do pano – Rapidinhas teatrais

Nash Laila, em cena de "Bacantes" do Oficina - Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício

Nash Laila, em cena de “Bacantes” do Oficina – Foto: Jennifer Glass/Fotos do Ofício

Por MIGUEL ARCANJO PRADO

Xô, crise!
O Teat(r)o Oficina volta a encenar “Bacantes”, que já foi montada em 1995, nesta sexta (21), no Teatro do Sesc Pompeia. Na próxima semana, vai para sua sede, no Bixiga. Para espantar a crise, Zé Celso comanda um time de 70 artistas no palco. Todos antropófagos, é claro.

Dupla
Elisete Jeremias volta a fazer a direção de cena do Oficina em “Bacantes” ao lado de seu pupilo Otto Barros. Dupla mais que dinâmica.

Poderosa
Lúcia Camargo deixou a SP Escola de Teatro para ser a nova secretária-adjunta de Cultura do Estado de São Paulo.

Maria Alice Vergueiro em cena do filme que estreia na Mostra de SP - Foto: Divulgação

Maria Alice Vergueiro em cena do filme que estreia na Mostra de SP – Foto: Divulgação

Tapa na Pantera
Musa do teatro underground, a incansável oitentona Maria Alice Vergueiro é tema do documentário “Górgona”, que estreia nessa sexta (21), dentro da programação da Mostra de Cinema de São Paulo, que tem a atriz como uma de suas homenageadas. O filme, dirigido por Fábio Furtado e Pedro Jezler, foi feito durante a temporada da peça “As Três Velhas”, um dos grandes sucessos de sua carreira.

Intimista
O filme, por meio de conversas de camarim e bastidores, acaba contando a história de vida de Maria Alice, que se confunde com a do próprio teatro brasileiro recente. Ela é danada.

Piscina grátis
Os aprendizes da SP Escola de Teatro agora têm direito à carteirinha do Sesc. Que bom.

"Baal.Material" estreia no Teatro João Caetano, em SP - Foto: Christian Piana

“Baal.Material” estreia no Teatro João Caetano, em SP – Foto: Christian Piana

Rei do Studio 54
Com 230 caixas de papelão inspiradas em “Brillo”, obra de Andy Warhol, além de uma betoneira que produzirá cimento ao longo do espetáculo no cenário, a Cia Les Commediens Tropicales e o Quarteto à Deriva estreiam nesta sexta (21), às 21 horas, no Teatro João Caetano o espetáculo “Baal.Material”.

Brechtiano
O primeiro texto de Brecht, “Baal”, foi o ponto de partida para a criação da peça, que traz diversas linguagens para o palco: artes plásticas, vídeo, teatro e música, que circulam pelas cenas, sem hierarquia alguma entre elas.

"Os Arqueólogos" está de volta no Viga Espaço Cênico - Foto: Felipe Stucchi

“Os Arqueólogos” está de volta no Viga Espaço Cênico – Foto: Felipe Stucchi

Bisbilhotando na praça
O espetáculo “Os Arqueólogos” volta aos palcos paulistanos na próxima terça-feira (25) no Viga Espaço Cênico. Na obra, dois locutores esportivos transmitem cenas corriqueiras vistas em uma praça, como o parto de gêmeos, um casal que discute a relação e crianças que brincam em uma praça.

Histórico farto
Vale lembrar que o espetáculo foi um dos três premiados da Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo e marca a estreia nos palcos de Vinicius Calderoni, que atua ao lado do ator Guilherme Magon. Trata-se da primeira montagem da dupla Rafael Gomes e Vinicius Calderoni após ganharem o Prêmio Shell de melhor direção e autor por, respectivamente, por “Um Bonde Chamado Desejo” e “Ãrrã”.

Cinema
Nesta sexta (21), tem maratona de filmes no MIS (Museu da Imagem e Som), além da estreia do Vídeo Clip “True Wave”, música e direção do Dino Poli. Os filmes são: “Perto e Profundo”, de Guily Machovec, “Bloody Boomerang”, de Elder Fraga, “23 de Agosto”, de Johnnas Oliva. A entrada é gratuita, a partir das 19h30. O endereço é av. Europa, 158, no Jardim Europa. Estão todos convidados.

Martha Kiss Perrone em cena da peça Rózà - Foto: Murilo Salazar

Martha Kiss Perrone em cena da peça Rózà – Foto: Murilo Salazar

Palco novo
Depois de apresentações gratuitas nas escolas ocupadas pelo movimento secundarista, o espetáculo “Rózà” parte para temporada na Praça das Artes, em São Paulo, a partir de 27 de outubro.

Rosas
De temperamento caloroso e apaixonado, a polonesa naturalizada alemã Rosa Luxemburgo (1871-1919) – uma das principais mulheres revolucionárias do século XX e defensora intransigente da democracia – é a centelha projetada pelo espetáculo Rózà para tratar das Rosas de todos os tempos. Com direção de Martha Kiss Perrone e Joana Levi, a peça fica em cartaz de quinta à sábado até 19 de novembro.

 

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *