Cultura negra é foco de ações públicas em BH

Bloco Angola Janga no Carnaval de BH, um dos destaques da cultura negra na cidade – Foto: Nereu Jr.

Por MIGUEL ARCANJO PRADO
Fotos NEREU JR

Foram lançadas nesta terça (21), Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, em Belo Horizonte, uma série de ações públicas para valorização e difusão da cultura negra.

No palco do Teatro Francisco Nunes foram realizadas a abertura da Temporada FAN 2017 e o lançamento da 9ª edição do Festival de Arte Negra – FAN-BH 2017, além do lançamento da Campanha do Selo de Promoção da Igualdade Racial. O evento contou com apresentações artísticas das escolas municipais e de artistas da cidade.

Essa é mais uma ação de iniciativa do Grupo Gestor de Promoção de Igualdade Racial da SMED e da FMC que deseja consolidar a Política Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Belo Horizonte.

Para Rosália Diogo, Coordenadora de Políticas de Promoção da Cultura e Arte Negra da Fundação Municipal de Cultura, esta união do poder público é fundamental para o combate ao racismo.

“É muito importantes estarmos juntos como poder público, nós da Fundação de Cultura, a Secretaria de Políticas Sociais e de Educação, atuando juntamente com esta nova geração de estudantes para a desconstrução do racismo”, afirmou.

O evento desta terça-feira teve a apresentação do espetáculo “Osilo Upaka”, uma criação coletiva de monitores do Programa Escola Integrada (E.M. Professor Edson Pisani e E.M. Fernando Dias Costa), resultado de processo formativo de qualificação, ocorrido em 2016.

Outra atração do dia foi o grupo Samba de Terreiro, que tem como ideal reverenciar a ludicidade do samba proveniente dos diversos terreiros onde a energia do samba se manifesta. Alunos do Programa Escola Integrada da E.M.Ulysses Guimarães fizeram uma apresentação de percussão.

Cristal Lopez, musa negra da cultura de BH – Foto: Nereu Jr.

FAN das mulheres

O Festival de Arte Negra deste ano terá o protagonismo das mulheres. A ideia é celebrar os 120 anos de Belo Horizonte, as iniciativas culturais e políticas de valorização da cidade. O Festival pretende reunir várias ações artísticas e culturais, de modo a destacar o protagonismo da mulher negra em várias partes do planeta, com foco no continente africano, no Brasil, e em Belo Horizonte.

As mulheres não formam um grupo homogêneo. Cada mulher reúne em si outras diversas identidades, diferentes culturas, etnias, orientações sexuais, idades, credos, cores e outras características. Quando as diferenças são transformadas em desigualdades, tornam-se necessárias políticas públicas específicas de promoção de igualdade de direitos, visibilidade, e enfrentamento às desigualdades.

O evento desta terça-feira foi a primeira ação da Temporada FAN 2017. Ao longo do ano serão realizadas diversas atividades sob a temática das artes negras, numa programação construída por produtores privados, com a chancela da Fundação Municipal de Cultura, e com o apoio do Festival de Arte Negra – FAN. A ideia é que o evento tenha um caráter de permanência, dando continuidade, para além do Festival de Arte Negra (realizado bienalmente) ao cenário artístico e cultural das artes negras, e visibilidade às ações de seus realizadores.

A iniciativa visa promover as manifestações desenvolvidas por diversos atores de Belo Horizonte e da região metropolitana. Música, artes cênicas, literatura, bate-papo, com destaque para o hip-hop, integraram uma ampla programação que ocupou diversos espaços na cidade. Destaca-se também o Fanzinho, especialmente produzido para o público infantil e juvenil.

Certificado 

Instituído pelo Decreto 15.392 de 22 de novembro de 2013, tem por finalidade estimular, apoiar e reconhecer empresas, associações e entidades da sociedade civil de Belo Horizonte que possuem em sua prática de gestão ações no campo da promoção da igualdade racial, do enfrentamento ao racismo e do combate à discriminação etnicorracial.

A adesão ao Programa de Certificação será atestada por meio do Selo de Promoção da Igualdade Racial conferido a cada dois anos a empresas, associações e entidades que se destacarem pelas ações voltadas para a promoção da igualdade racial, em consonância com os objetivos estabelecidos na Política Municipal de Promoção da Igualdade Racial.

Ao receber o Selo, estas instituições estarão assumindo publicamente o compromisso de desenvolverem ações de combate ao racismo e promoção da igualdade racial em seu ambiente de trabalho, aliando produtividade e desenvolvimento humano e profissional de sua equipe de colaboradores.

“A ideia é que se consiga envolver empresas do setor privado na valorização dos funcionários, no respeito às identidades negras. Queremos pautar o assunto na sociedade e discutir e promover a mudança de postura”, afirma Maíra Colares, Secretária Municipal de Políticas Sociais.

O Programa de Certificação em Promoção da Igualdade Racial integra a Política Municipal de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte que, dentre outras ações, busca valorizar a diversidade étnico-racial da população como um catalisador para o desenvolvimento econômico e social da cidade.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *